Bula PureSpray 15E - Quantiq
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,156 (0,78%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)

Bula PureSpray 15E

Óleo mineral
3604
Quantiq

Composição

Óleo mineral 843,68 g/L

Classificação

Terrestre
Acaricida
Não Classificado
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Óleo para Pulverização (SO)
Contato

Galões de 1 L e de 5 L;
Balde de 20 L;
Tambores de 200 L
Tanques de aço carbono com capacidade de 5000; 15000 e 30000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

PURESPRAY 15E é óleo mineral, destilado e refinado, perfeitamente emulsionável em água.

Indicação de Uso

Cultura de Citros, no controle do Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora.

Modo de Ação de PURESPRAY 15E

Ação de contato. A morte do alvo biológico é por asfixia – morte mecânica. Modalidade de Emprego: Aplicar na forma de pulverização terrestre de modo a conseguir uma boa cobertura de todas as partes da planta.

Dose Recomendada

1.000 ml de PURESPRAY 15E em 100 litros de água.


Preparo da Calda Acaricida

Encher pela metade o tanque do pulverizador; Ligar o agitador do pulverizador e ir jogando aos poucos a quantidade desejada de PURESPRAY 15E;
Completar o volume do tanque, adicionando água e sempre com uma moderada agitação;

Cuidados

- Durante a pulverização, manter a agitação;
- Os volumes de aplicação deverão ser considerados até além do ponto de escorrimento.

MODO DE APLICAÇÃO

INÍCIO O controle do Ácaro da Ferrugem é feito após o florescimento mediante inspeções quinzenais com lente de 10 aumentos em 5 frutos por árvore; localiza-se a visada em áreas não expostas diretamente aos raios solares.
A pulverização deverá ter início quando a população de Ácaros atingir o limite de infestação economicamente prejudicial, ou seja:
- 10% dos frutos inspecionados apresentarem:
- Até 30 ácaros por árvore, quando a fruta é destinada ao mercado interno e à indústria;
- De 1 a 30 Ácaros por árvore, quando a fruta é destinada à exportação;
ÉPOCA PURESPRAY 15E é pulverizado observando-se o manejo do pomar isto é, inspeções mais frequentes e mais rigorosas quanto mais próximo do nível de dano econômico. Consulte o Engenheiro Agrônomo para a orientação adequada a região.
NÚMERO DE APLICAÇÕES

É comum 2 a 3 tratamentos ao ano, espaçados de 30 ou 45 dias, para controle do Ácaro da Ferrugem.

INTERVALO DE APLICAÇÃO

- 30 dias, quando PURESPRAY 15E for usado em ação preventiva;
- 45 dias, quando PURESPRAY 15E for usado em infestações próximas ao nível de dano econômico.

MODO E EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

- Aplicação terrestre com equipamentos de aplicação, acoplados ao trator, munidos de pistola ou turbo atomizador.
E observar as seguintes recomendações
COM PISTOLA - Usar pressão = 100 a 300 lb/pol² - Vazão = 1.500 a 2.500L de calda/hectare, ou seja 7 ou 8 litros de calda/planta de acordo com a idade e tamanho da copa.
COM TURBO ATOMIZADOR
- Usar pressão = 150 lb/pol² - Bicos = tipo cone - Vazão = 1.500 a 2.500L de calda/hectare, ou seja 7 ou 8 litros de calda/planta de acordo com a idade e tamanho da copa.
LIMITAÇÕES DE USO
- Nunca pulverizar durante a florada; - Não deve ser misturado ao Enxofre, porque a mistura pode causar queimaduras graves; - Pulverizar nas horas mais frescas do dia; - Não aplicar o produto durante a ocorrência de ventos, pois pode ocorrer desvio do produto em relação ao alvo (deriva).

INTERVALO DE SEGURANÇA

- Sem restrições.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área tratada até a secagem do produto sobre as folhas das plantas. Se necessário use macacão de algodão, hidrorrepelente, com mangas compridas, capa ou avental impermeável, luvas impermeáveis, botas, óculos protetores e máscaras protetoras especiais providas de filtros adequados.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS

Durante o manuseio, preparação da calda, use macacão de algodão, hidrorrepelente com mangas compridas, luvas impermeáveis, touca árabe, botas, óculos protetores.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir, na sistemática de inspeção da presença e controle de pragas quando a infestação atingir o limite de prejuízo econômico, na cultura de Citrus, outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, rotação de inseticidas, acaricidas) visando o programa de Manejo Integrado de Pragas.

- Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticida - IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticida, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo.
- Consultar sempre um engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência à Inseticidas.

Perigo por aspiração – Categoria 1.