Bula Rizos OG - Laboratório Farroupilha

Bula Rizos OG

Bacillus subtilis UFPEDA 764
15116
Laboratório Farroupilha

Composição

Bacillus subtilis UFPEDA 764 1,5 %

Classificação

Nematicida Microbiológico
IV - Pouco tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Nematicida microbiológico

Soja

Meloidogyne javanica (Nematóide das galhas)
Pratylenchus brachyurus (Nematóide das lesões)

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Meloidogyne javanica (Nematóide das galhas)
Pratylenchus brachyurus (Nematóide das lesões)

Tipo de Embalagem: Frasco e Galão Plástico
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: Frasco Plástico de 1 livro e Galão Plástico de 5 litros

INSTRUÇÕES DE USO:
RIZOS OG é um nematicida microbiológico a base de Bacillus subtilis, de ocorrência natural em solos, eficaz no controle de fitonematoides no solo, incluindo o nematoide Meloydogine javanica (nematoide das galhas) e Pratylenchus brachyurus (nematoide das lesões), em qualquer cultura no qual ocorram. As recomendações para as demais culturas devem ser obtidas com o Departamento Técnico do Laboratório de Bio Controle Farroupilha Ltda. Telefone 0800 940 4377. E-mail: departamentotecnico@labfarroupilha.com.
NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÕES:
Uma única aplicação no tratamento de sementes. E em pós emergência são recomendadas 2 aplicações nos estádios vegetativos da soja, V2 e V4.
MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
Agite antes de usar. O produto pode ser adicionado diretamente no pulverizador, no equipamento de aplicação em sulco de plantio ou na calda para tratamento de sementes, sem a necessidade de pré diluição. Para o tratamento de sementes a preparação será realizada em equipamento específico para esse fim, ou outra tecnologia que proporcione cobertura homogênea da semente. Quando aplicado em pós emergência pode ser utilizado pulverizadores costais, de arraste, autopropelidos e através de sistemas de irrigação.
Limpeza do Equipamento:
Limpar muito bem os equipamentos a fim de eliminar resíduos de inseticidas, herbicidas ou fungicidas químicos.
Atenção:
a) Não realizar a limpeza próximo de lagos, rios ou reservas de água.
b) Realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação.
- O ideal é encher o tanque do pulverizador com água e adicionar 1 litro de solupan ou 1 Kg de sabão em pó para cada 400 litros de água. Deixar essa mistura em repouso por 12 horas. Em seguida, agitar a mistura e aspergir todo o volume através dos bicos de pulverização. Posteriormente, enxaguar com água limpa usando como escoamento sempre os bicos. Nessa operação aproveita-se para testar a regulagem da vazão.
Preparo da Calda:
Agite antes de usar. Tanto para aplicação foliar quanto para o tratamento de sementes, o produto pode ser utilizado diretamente na dosagem recomendada sem necessidade de pré diluição ou outros cuidados especiais.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Não determinado devido à natureza microbiológica do ingrediente ativo.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Para aplicação em pós-emergência: 4 horas ou até a secagem da calda. Para tratamento de sementes para uso exclusivo em plantio: não há necessidade de estabelecimento.
LIMITAÇÕES DE USO:
Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e/ou bula do produto.Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos as culturas indicadas. Em pulverização, recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente ao final da tarde ou a noite, em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições, a exposição dos conídios (esporos) da bactéria à radiação UV do sol é menor.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre o Manejo Integrado de Pragas - MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de pragas e doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. Para tanto, deve-se utilizar a rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo e bula.