Bula Ruget - Bayer

Bula Ruget

acessos
Thidiazuron
2598703
Bayer

Composição

Tidiazurom 500 g/L Uréia

Classificação

Herbicida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Desfolhante, Herbicida

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Não classificado
(Não classificado)
125 a 200 g.p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única aplicação. 7 dias. Antes da colheita. 50 a 80 % das maças estiverem abertas

Caixas de papelão: 1kg. Barricas de papelão: 5, 10 e 20 kg.

INSTRUÇÕES DE USO: Desfolhante para cultura do algodão.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: Uma única aplicação antes da colheita do algodão, quando 50% a 80% das maçãs estiverem abertas.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:
Diluir primeiramente a quantidade de RUGET em pouca água, mexendo continuamente até obter uma pasta uniforme.
Em seguida, sob agitação constante, juntar o restante da água até completar o volume desejado. Usar equipamento costal manual ou motorizado, de tração tratorizada, bem como por aplicação aérea.

Aplicação terrestre : Com uso de barra
- Volume de aplicação : 200-400 l de calda/ha. A variação do volume de calda está em função do porte e/ou desenvolvimento da cultura a ser tratada, objetivando-se sempre uma boa cobertura foliar da cultura tratada.

- Tamanho de gota : em torno de 180-200 micra
- Densidade das gotas : mínimo de 40 gotas/cm2
- Pressão de trabalho : 50 a 80 libras/pol2
- Condições da aplicação : Usar preferencialmente bicos tipo leque (8003 - 80015) que permitam despender o volume de calda indicado. A velocidade de trabalho do trator em torno de 6 km/hora. Caso utilize bicos cônicos, recomenda-se pontas da série D ou similares.
- Condições climáticas : O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (L/ha) para proporcionar a adequada densidade de gotas, obedecendo ventos de até 10 km/hora, temperatura e umidade relativa visando reduzir ao máximo perdas por deriva ou evaporação.

Aplicação aérea : Com uso de barra

- Volume de aplicação : 30-50 litros de calda/ha;
- Altura de vôo : 2 - 3 m;
- Largura da faixa de deposição efetiva : 15 m;
- Tamanho de gotas : em torno de 60 micra;
- Densidade de gotas : mínimo de 40 gotas/cm2;
- Pressão de trabalho : 30 - 40 libras/pol.2;
- Condições de aplicação : usar preferencialmente bicos do tipo leque (8003 - 80015) que permitam despender o volume de calda indicado;
- Condições climáticas : a mesma da aplicação terrestre.

Não aplicar em presença de ventos fortes, superiores a 10 km/h. Aplicar nas horas mais frescas do dia e observando a temperatura e umidade relativa do ar, visando-se com isso, reduzir ao máximo as perdas por deriva ou evaporação.
Usando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter uma cobertura uniforme da parte aérea da planta.
. Seguir as instruções de aplicações acima explicitadas, caso contrário consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Algodão ..................................................................................................................... 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:
Respeitadas as doses e o modo de aplicação, o produto não apresenta restrições.

PRECAUÇÕES DE USO E RECOMENDAÇÕES GERAIS QUANTO A PRIMEIROS SOCORROS, ANTÍDOTO E TRATAMENTO:

PRECAUÇÕES GERAIS:

- Produto para uso exclusivamente agrícola.
- Não transporte este produto juntamente com alimentos, medicamentos, bebidas, rações, animais e pessoas.
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPI) danificados.
- Não utilize equipamentos com vazamentos ou com defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.
- Ao abrir a embalagem, faça de maneira a evitar derrames.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO:

- Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas, avental impermeável, protetor ocular, máscara para vapores orgânicos cobrindo o nariz e a boca, touca árabe, luvas e botas de borracha.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:

- Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança.
- Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas, protetor ocular, máscara para vapores orgânicos cobrindo o nariz e a boca, touca árabe, luvas e botas de borracha.


PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:

- Não reutilize a embalagem vazia.
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado na embalagem original, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
- Fique atento ao período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
- Tome banho, troque e lave as roupas de proteção separado das roupas domésticas.
- Ao lavar as roupas utilizadas/contaminadas, utilize luvas e avental impermeável.
- No descarte de embalagens vazias use EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas, luvas e botas).
- Evitar entrar nas áreas tratadas até o término do intervalo de reentrada estabelecido para o produto (24 horas).

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente por pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado (“respirado”), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA/ANTÍDOTOS:

Não existem antídotos específicos para o caso de intoxicação, devendo-se portanto, recorrer ao tratamento sintomático.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO, E EXCREÇÃO PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO:

Em estudos de metabolismo realizados em animais de laboratório, verificou-se que o produto é rapidamente metabolizado e excretado na urina (0-48 horas) e fezes (0-72 horas). Seu principal metabólito na urina é o 4-hydroxy thidiazuron, sendo que os demais metabólitos encontrados, na sua maioria, transformam-se em 4-hydroxy thidiazuron, através de hidrólise por enzima ou ácido. Desta forma, após a administração com a mais baixa dose, o 4-hydroxy thidiazuron (livre ou conjugado) é responsável por 44-66 % da radioatividade excretada na urina e 16-17 % da excretada nas fezes.

EFEITOS AGUDOS PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO:

Em estudos agudos realizados em animais de laboratório, verificou-se apatia e prostração. A DL 50 em ratos é maior que 4000 mg/kg, DL 50 dérmica maior que 1000 mg/kg.

EFEITOS CRÔNICOS PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO:

Em estudos crônicos realizados em animais de laboratório, verificou-se diminuição no consumo alimentar.

SINTOMAS DE ALARME

Não específicos.

EFEITOS ADVERSOS

Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos adversos.
TELEFONES DE EMERGÊNCIA PARA INFORMAÇÕES MÉDICAS: DISQUE-INTOXICAÇÃO: 0800-722-6001
Rede Nacional de Centros de Informações e Assistência Toxicológicas RENACIAT - ANVISA/MS
Telefone de Emergência da Empresa: 0800-7010450
Centro de informações toxicológicas: 0800-410148

Não avaliado pelo IBAMA - Registro Decreto nº 24.114/34.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrada para cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.