Bula Scorpion

acessos
Flumetsulam
494
Dow AgroSciences

Composição

Flumetsulam 120 g/L Sulfonanilida triazolopirimidina

Classificação

Herbicida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Seletivo, Sistêmico
Sisal Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Picão preto
(Bidens pilosa)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
1167 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Corda de viola
(Ipomoea nil)
1167 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Erva de touro
(Tridax procumbens)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Fedegoso branco
(Senna obtusifolia)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não deterrminado. Pré-emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
875 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas

Metálica de 1, 5, 10, 20, 50 e 100 L. Plástica de 1, 2, 2,5, 4, 5, 10, 20, 50 e 100 L.

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: CULTURAS INDICADAS: Scorpion* é um herbicida seletivo, aplicado no solo, recomendado para o controle de plantas daninhas de folha larga na cultura de soja. Scorpion* pode ser usado tanto nas áreas tradicionais de plantio de soja, na região sul, como também nas áreas de cerrado, do meio oeste brasileiro.

PLANTAS DANINHAS CONTROLADAS E DOSES RECOMENDADAS: Scorpio controla, eficientemente, na dose de 875 mL/ha, equivalente a 105 gramas de ingrediente ativo por hectare, as seguintes plantas daninhas: Carrapicho rasteiro (Acanthospermum australe); Cheirosa (Hyptis suaveolens); Mentrasto (Ageratum conyzoides); Corda-de-Viola (Ipomoea nil); Nabiça (Raphanus raphanistrum); Guanxuma (Sida rhombifolia); Fedegoso-branco (Senna obtusifolia); Carrapicho-de-carneiro (Acanthospermum hispidum); Poaia (Richardia brasiliensis); Picão Preto (Bidens pilosa) e Erva-de-touro (Tridax procumbens).

Aplicado na dose de 1167 mL/ha, equivalente a 140 gramas de ingrediente ativo por hectare, Scorpion* controla, adicionalmente, as seguintes plantas daninhas: Amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla); Caruru (Amaranthus viridis). Para o controle de Amendoim-bravo (Euphorbia heterophylla) e Corda-de-viola (Ipomoea nil), Scorpion* só é recomendado na ocorrência de baixa a média infestações. Baixa infestação deve ser considerado quando o Amendoim-bravo ou a Corda-de-viola ocorrem, entre outras plantas daninhas infestantes, mas não são as espécies predominantes da lavoura. Infestação média deve ser considerada quando as espécies Amendoim-bravo ou Corda-de-viola ocorrem no mesmo nível de infestação de outras espécies. O produto não oferece controle satisfatório na situação em que o Amendoim-bravo ou a Corda-de-viola ocorrem em alta infestação e são as únicas espécies predominantes na lavoura. O grau de controle das plantas daninhas e a sua duração dependerá da dose aplicada, textura do solo, chuvas, grau de infestação de plantas daninhas e outras condições. Em solos arenosos ou com baixo teor de matéria orgânica (menor que 2%), é recomendado o uso de Scorpion* no máximo a 105 g i.a./ha (875 mL/ha). Scorpion* não proporciona controle satisfatório para as espécies da família das gramíneas e, no caso da ocorrência destas, o controle deve ser complementado com herbicidas graminicidas específicos.

NÚMERO E ÉPOCA E INTERVALO DAS APLICAÇÕES: É recomendada a utilização de Scorpion* no sistema de PPI (pré-plantio incorporado), podendo ser aplicado em pré-emergência. Neste caso, será necessária a ocorrência de chuvas após o tratamento para que o herbicida seja posicionado na camada de germinação das sementes e alcance a sua melhor eficácia.

MODO DE APLICAÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: Scorpion* deverá ser aplicado por equipamento terrestre, seja por pulverizador manual (costal) como por pulverizador tratorizado, de baixa pressão (35 a 50 lb/pol2), com barras e dotados de bicos tipo "leque" 80.02 a 80.04 ou 110.02 a 110.04. A altura da barra, distância entre bicos e pressão utilizada devem ser calculadas de modo a prover uma cobertura uniforme da superfície a ser tratada. O volume de calda recomendado é de 200 a 300 litros por hectare. O produto deve ser agitado antes de ser dosado no pulverizador. Nas aplicações em pré-plantio incorporado, a grade deve ser regulada de modo a incorporar o produto a uma profundidade de 5 a 10 cm. O equipamento usado deve desmanchar os grandes torrões e misturar o produto completamente com o solo. Nas aplicações em pré-emergência, o produto deverá ser aplicado imediatamente após a semeadura da soja e, de preferência, com umidade no solo. Neste caso, será necessária a ocorrência de chuvas após o tratamento para que o herbicida seja posicionado na camada de germinação das sementes e alcance a sua melhor eficácia. Quando tratar-se de Plantio Direto, certifique-se que o volume de água e a pressão estejam regulados para assegurar uma boa cobertura na palha.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Não definido devido a modalidade de aplicação (solo).

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recoemndações aprovadas pelo Órgão Responsável pela Saúde Humana- ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO: FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS: A soja apresenta boa tolerância à aplicação de Scorpion* nas doses recomendadas. Em solos arenosos ou com baixo teor de matéria orgânica (menor 2%), é recomendado o uso de Scorpion* no máximo a 105 g i.a./ha (875 mL/ha).

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS: Não são recomendadas as seguintes culturas em rotação de cultura com soja : algodão, beterraba, colza e tomate. Podem ser plantadas em sistema de rotação com soja, as seguintes culturas: milho, alfafa, batata e trigo.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamento com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com a mão desprotegida.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo o nariz e a boca. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha. Ao contato com o produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, óculos ou viseira facial, luvas, avental impermeável, botas e máscara apropriada.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento. O produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca. Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave suas roupas.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: A norma geral adotada internacionalmente não contempla a realização desses estudos no ser humano . Administrado oralmente em doses até 1000 mg/kg peso vivo, 93% do produto foi excretado sem metabolização pela urina. A meia vida de absorção foi de aproximadamente 95 minutos; em ratos, 92% da dose administrada foi excretada entre 54 e 72 horas. Não há diferenças aparentes na absorção, disposição e metabolismo entre animais machos e fêmeas. A limitada absorção, rápido desaparecimento e falta de metabolismo mostram a falta de efeitos toxicológicos significantes do produto em ratos.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Efeitos agudos : Estudos realizados em animais de laboratório mostraram que Scorpion* é considerado não irritante para os olhos e para a pele, apresentando baixa toxicidade aguda por via dérmica e oral. Efeitos crônicos: Estudos em roedores alimentados por dois anos com doses de até 500 mg/kg de peso corporal por dia, não apresentaram nenhum efeito tóxico adverso. Esta dose é muito superior àquela a que o homem poderia estar exposto no uso do produto. Como acima indicado, a limitada absorção, rápido desaparecimento e falta de metabolismo indicam não haver efeitos toxicológicos crônicos em ratos.

EFEITOS COLATERAIS: A norma geral adotada internacionalmente não contempla a realização desses estudos no ser humano : não foram detectados efeitos colaterais nas doses utilizadas nas diversas provas toxicológicas com o produto.

PRIMEIROS SOCORROS: INGESTÃO: Provoque vômito e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. OLHOS: Lave com água em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. PELE: Lave com água em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. INALAÇÃO: Procure lugar arejado.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO: ANTIDOTO : não existe antidoto específico. TRATAMENTO: Tratamento sintomático de acordo com as reações do paciente.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente. Este produto tem ALTO potencial de ser transportado. Este produto é ALTAMENTE persistente no solo. Este produto não pode ser utilizado próximo a corpos hídricos. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Dê a destinação adequada para as embalagens e restos do produto - siga as instruções constantes no item Destino Final de Resíduos e Embalagens. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, seco, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contacte as autoridades locais competentes e a empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscaras contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais. Siga as instruções abaixo: Piso pavimentado: absorva o produto derramado com terra ou areia. Recolha esse material com auxílio de uma pá e coloque em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remova para área de descarte de lixo químico, lave o local com grande quantidade de água. Solo: retire, com o auxílio de uma pá, as camadas de terra contaminada até que atinja solo seco e coloque em tambores ou recipientes lacrados e identificados. Água: interrompa imediatamente o consumo humano e animal e contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. Nos locais onde estiver operando o Programa Nacional de Recolhimento e Destinação Adequada de Embalagens deverão ser observadas suas diretrizes - Consulte seu agrônomo. As embalagens, após enxaguadas, devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico. O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de água, for a do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o aproveitamento agrícola, mesmo a longo prazo. O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água. O solo deve ser produndo, de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação biológica do agrotóxico. Abrir um fosso de 1,0 a 2,0 metros de profundidade, comprimento e largura, não devendo exceder a 3,0 metros, de acordo com as necessidades. Distribuir no fundo do fosso uma camada de pedras irregulares e uma camada de britas. Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas. Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade. Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas. Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres CUIDADO LIXO TÓXICO. Antes de iniciar o uso do fosso, e após cada 15 cm de material descartado, colocar camadas de cal virgem ou calcário para ajudar a neutralização. Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do nível do terreno. Observar a legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas de abrangência do PROGRAMA NACIONAL DE RECOLHIMENTO E DESTINAÇÃO ADEQUADA DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS. Consulte o órgão estadual de meio ambiente.

LAVAGEM DA EMBALAGEM: Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI's - Equipamentos de Proteção Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.

TRIPLICE LAVAGEM(LAVAGEM MANUAL): Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos: Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos; Adicione água limpa à embalagem até 1/4 do seu volume; Tampe bem a embalagem e agite-a por 30 segundos; Despeje a água de lavagem no tanque do pulverizador; Faça esta operação três vezes; Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

LAVAGEM SOB PRESSÃO: Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos: Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador; Acione o mecanismo para liberar o jato de água; Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos; A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador; Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

AO UTILIZAR EQUIPAMENTO INDEPENDENTE PARA LAVAGEM SOB PRESSÃO ADOTAR OS SEGUINTES PROCEDIMENTOS: Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos; Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos; Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador; Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA: Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem Sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com a tampa em sua caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas. O Armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva, ter piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA: No prazo de até um ano da data da compra é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto, ou no local indicado na nota fiscal emitida pelo estabelecimento comercial, no ato da compra. Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, a devolução deverá ocorrer até o fim do seu prazo de validade.

TRANSPORTE: As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS: A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTE DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS: A Destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTO IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com diferentes mecanismos de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas resistentes a esse mecanismo de ação. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas, deverão ser aplicados, alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.