Bula Tricea - Dow AgroSciences

Bula Tricea

acessos
Piroxsulam
4414
Dow AgroSciences

Composição

Piroxsulam 45 g/L Sulfonamida triazolopirimidina

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Dispersão de óleo (OD)
Sistêmico, Seletivo, Pós-emergência

Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Aveia
(Avena sativa)
400 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha
Aveia preta
(Avena strigosa)
400 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha
Azevém
(Lolium multiflorum)
340 a 400 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha
Cipó de veado
(Polygonum convolvulus)
340 a 400 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
340 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha
Soja
(Glycine max)
340 a 400 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Aplicação única Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego Aplicar em pós-emergência inicial, quando as plantas daninhas estiverem em estádio de 2-4 folhas. Adicionar adjuvante (óleo vegetal) à calda no volume de 0,5 L/ha

Frasco - Plástico - 0,5; 1; 4L
Frasco - Metálico - 0,5; 1; 4L
Bombona - Plástico - 4; 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35; 50L
Bag in Box (Jerry Box) - Plástico - 1; 4; 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35; 50L
Balde - Plástico - 1; 4; 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35; 50L
Balde - metálico - 1; 4; 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35; 50L
Tambor - Plástico - 100; 200; 250L
Tambor - metálico - 100; 200; 250L
Mini Bulks - Plástico - 420; 1000L
Mini Bulks - metálico - 420; 1000L
IBC - Intermediate Bulk Cotainer - plástico com revestimento metálico - 1000L

INSTRUÇÕES DE USO:

TRICEA é um herbicida seletivo, de ação sistêmica indicado em aplicações de pós-emergência para a cultura do trigo, apresentando alta eficiência às principais ervas de folha-larga e gramíneas infestantes desta cultura.

MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:

O herbicida TRICEA deverá ser aplicado em área total, em pós-emergência, observando-se uma boa cobertura das plantas daninhas. A aplicação do herbicida TRICEA deverá ser feita com equipamentos motorizados, tratorizados com barra, utilizando-se bicos leque ou equivalentes. Observar sempre as recomendações do fabricante. A altura da barra, distância entre bicos e pressão utilizada devem ser calculadas de modo a obter uma cobertura uniforme da parte aérea das plantas daninhas.

Adjuvante:

Para aplicação de TRICEA, é obrigatória a adição de adjuvante à calda de aplicação para possibilitar a absorção do produto e seu efeito sobre as plantas daninhas alvo. Recomenda-se o uso de Óleo Vegetal na dose de 0,5 L/ha.

Obs.:
- O uso de adjuvante abaixo da dose recomendada de 0,5 L/ha reduzirá significativamente a atividade de TRICEA.
- Não aplicar adjuvante de classes diferentes do recomendado.
CONDIÇÕES CLIMÁTICAS:
Aplicar somente em condições climáticas favoráveis:
- Temperatura máxima de 27ºC - Ventos de até 5 km/h - evitar rajadas de vento
- Umidade relativa do ar mínima de 50%

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Trigo: Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo O para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

O produto herbicida TRICEA é composto por Pyroxsulam, que é um inibidor da acetolactato sintase (ALS), pertencente ao Grupo B, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).