Bula Valient

acessos
Methoxyfenozide
1999
Bayer

Composição

Methoxyfenozide 240 g/L Hidrazida

Classificação

Inseticida
IV - Pouco tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Acelerador de ecdise
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
60 a 90 mL p.c./ha 80 a 200 L de calda/ha 10 a 12 L de calda/ha (aéreo) - 7 dias. Início da infestação, até a fase de floração
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
625 mL p.c./ha 80 a 200 L de calda/ha 10 a 12 L de calda/ha (aéreo) - 7 dias. Início da infestação, entre ovoposição e a eclosão
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
150 a 180 mL p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - - 7 dias. Vide Aplicação/Uso
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
60 a 90 mL p.c./ha 80 a 200 L de calda/ha 10 a 12 L de calda/ha (aéreo) - 7 dias. Início da infestação
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
6 a 9 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - 7 dias. 1 dia. Inicio do florescimento até a colheita
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
50 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - 7 dias. 1 dia. Início da infestação

Frascos ou bombonas plásticas de material PET ou COEX com capacidade para 250 ml, 500 ml e 1 L.

INSTRUÇÕES DE USO:
VALIENT (METOXIFENOZIDA) é um inseticida acelerador de ecdise que imita o hormônio natural da muda dos insetos, a ecdisona, e que age especificamente sobre larvas de lepidópteros (lagartas). VALIENT atua ligando-se fortemente à proteína receptora de ecdisona, ativando-a e iniciando o processo da muda, denominado ecdise. Imediatamente após a ligação do VALIENT com o receptor de ecdisona, as lagartas param de se alimentar e produzem uma nova, porém mal formada cutícula por baixo da antiga, sendo que as lagartas morrem por inanição e desidratação. Por atuar especificamente sobre as larvas de lepidópteros, por seu alto grau de seletividade e segurança para inimigos naturais, predadores e parasitóides, VALIENT é especialmente recomendado para os programas de manejo integrado de pragas.

CULTURAS, PRAGAS E DOSES:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
ALGODÃO:
- Curuquerê do algodão: VALIENT deve ser aplicado no início da infestação até o estágio de floração. Do florescimento em diante aplicar quando o nível de infestação atingir de 1 a 2 lagartas pequenas por planta. Repetir a aplicação se necessário. Fazer no máximo 2 aplicações.
- Lagarta da maçã: VALIENT deve ser aplicado no início da infestação, entre a ovoposição e a eclosão. Repetir a aplicação se necessário. Fazer no máximo 2 aplicações.

MILHO:
- Lagarta do cartucho: VALIENT deve ser aplicado no início da infestação, em lagartas até o 3º instar (1,5 cm), com no máximo 20% de infestação. Repetir a aplicação se necessário. Fazer no máximo (1) uma aplicação.

SOJA:
- Lagarta da soja: VALIENT deve ser aplicado no início da infestação. Aplicar a maior dose recomendada quando o nível de infestação for maior (30 lagartas por batida de pano). Repetir a aplicação se necessário. Fazer no máximo 2 aplicações.

TOMATE
- Broca-pequena-do-fruto: aplicar no início do florescimento até a colheita, em intervalos de 7 dias antes das lagartas penetrarem no fruto.
- Traça do tomateiro: aplicar no início da infestação, quando as lagartas são pequenas (nos primeiros ínstares larvais) procurando atingir toda a parte aérea da planta. Repetir a aplicação com intervalo de 7 dias. Nas aplicações na cultura do tomate, adicionar óleo vegetal ou mineral emulsionável na dose de 100 ml / 100 litros de água. Fazer no máximo (6) seis aplicações.

MODO / EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:
VALIENT, por ser um inseticida fisiológico, não tem atividade imediata e apesar de eficiente contra lagartas em todas as fases de desenvolvimento, as aplicações devem ser realizadas no início das infestações e em lagartas de primeiros instares. Doses mais elevadas promovem uma ação mais rápida do produto, devendo ser utilizadas em lagartas em um estágio de desenvolvimento mais avançado.
VALIENT é indicado para aplicações terrestres e aéreas. As aplicações terrestres podem ser costais ou tratorizados. O volume de calda varia de acordo com a cultura, devendo ser aplicado em quantidade de água suficiente para uma cobertura completa e uniforme das plantas. No preparo da calda, antes de adicionar o produto no tanque do pulverizador, fazer uma pré-mistura.

a) Pulverizadores Costais:
Culturas: Algodão, milho e tomate
Velocidade: 1 m/s
Volume de aplicação: 200 L/ha - algodão e milho; 400 - 1000 L/ha – tomate
Pressão de trabalho: 40 - 60 psi
Tipos de bico: jato cônico - D2 a D6 com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110 – 120 µ.

b) Pulverizadores tratorizados de barra:
Culturas: Algodão, milho, soja e tomate
Velocidade do trator: 6 - 8 km/h
Volume de aplicação: 80 a 200 litros/ha – algodão; 150 a 200 litros/ha – soja; 200 a 400 litros/ha – milho; 400 - 1000 Ilha - tomate
Pressão do manômetro: 80 - 100 psi
Tipos de bico: 1) jato cônico vazio com combinação adequada de ponta e difusor (core) de maneira a obter-se uma deposição mínima de 40 gotas/cm² com VMD de 110 - 120 µ para algodão e soja. 2) bicos leque de 80:02 a 80:04 para milho.
Altura da barra: 50 cm em relação ao alvo de deposição.

c) Pulverizadores aéreos:
Culturas: Algodão e soja
Uso de MICRONAIR com deposição mínima de 40 gotas/cm²
Uso de barra com 40 - 42 bicos de jato cônico vazio.
Pressão de trabalho: 15 - 30 psi
Altura de vôo: 4 - 5 metros em relação ao alvo de deposição.
Volume de aplicação: 10 - 12 litros/ha

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA APLICAÇÃO DE VALIENT:
Temperatura máxima: 30 ºC
Umidade relativa do ar: 55% (mínima)
Velocidade do vento: máximo de 10 km/h.

Obs: A critério do Engenheiro Agrônomo responsável, as condições de aplicação poderão ser alteradas.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão, milho e soja: 7 dias
Tomate: 1 dia

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxidade: VALIENT não é fitotóxico às culturas indicadas quando utilizado de acordo com os usos e doses recomendados.
Incompatível com fertilizantes foliares quelatizados.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamento com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. Use macacão com mangas compridas, óculos, luvas, botas e avental impermeável.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento. Use macacão com mangas compridas, viseira facial, luvas, botas e avental impermeável.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas (não misture com roupas de uso diário).

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito, beba 2 copos de água e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água em abundância por no mínimo 15 minutos e, se a irritação persistir, procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e, se houver irritação, procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou o receituário agronômico do produto. Inalação: Procure local arejado.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Foram conduzidos estudos com animais de laboratório para determinar a farmacocinética do METHOXYFENOZIDE. O composto foi rapidamente depurado e não houve evidências de bioacumulação em nenhum tecido. O produto é pouco metabolizado e é excretado principalmente pelas fezes.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA E ANTÍDOTO: A resposta humana para uma dose oral não-letal não é conhecida, mas deve-se esperar que ocorram náuseas e vômitos. Se for ingerido, o produto deve ser diluído com dois copos de água e deve ser consultado um médico. Embora o METHOXYFENOZIDE seja classificado como praticamente não irritante em estudos com animais, a exposição humana, dérmica ou ocular, pode resultar em irritação leve e transiente, particularmente quando em membranas mucosas. Os olhos devem ser lavados com bastante água. A pele afetada deve ser lavada intensamente com sabão e água. METHOXYFENOZIDE não é um sensibilizante e, portanto, não são esperadas reações alérgicas. Como não houveram estudos de toxicidade conduzidos em seres humanos, toda a informação aqui contida é baseada em estudos com animais e todas as recomendações para tratamento são para alívio dos sintomas e terapia de suporte.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: VALIENT possui as seguintes doses letais 50% (DL50): DL50 oral: > 5.000 mg/kg para ratos machos e fêmeas. DL50 dérmica: > 5.000 mg/kg para ratos machos e fêmeas. Estudos de laboratório demonstraram que VALIENT é considerado não irritante aos olhos e praticamente não irritante à pele de coelhos. Estudos de longo prazo realizados com o METHOXYFENOZIDE - ingrediente ativo do VALIENT, demonstraram que o mesmo não apresenta características teratogênicas ou carcinogênicas, nem tampouco efeitos sobre a reprodução. O composto também não apresenta qualquer atividade mutagênica.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente (CLASSE III). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis à danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes as atividades aeroagrícolas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções: Piso pavimentado: Coloque material absorvente (p. ex. serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado e recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. Remova conforme orientações de destinação adequada de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contacte o centro de emergência da Empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para pulverização (TRÍPLICE LAVAGEM). Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. (Obs: exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela Empresa). Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido o enterrio de embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO: O material pode ser incinerado em local apropriado, de acordo com as regulamentações municipais, estaduais ou federais. Por decomposição térmica pode ser gerado isobutileno em temperaturas superiores a 170 ºC. Não se espera que ocorra polimerização perigosa. Tempo médio de queima do material: 30 minutos.

INSTRUÇÕES DE TRANSPORTE: O transporte é feito observando-se as normas da legislação vigente, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, alimentos, rações, medicamentos ou outros materiais.

Incluir métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas, quando disponível, viável e apropriado.

Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
• Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
• Usar somente doses recomendadas na bula/rótulo.
• Sempre consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

Compatibilidade

Incompativel com adubos foliares quelatizados.