CI

Esteio repete faturamento de 2002


26ª Expointer vende 1.116 animais por R$ 3,1 milhões. Setor de máquinas é destaque, totalizando R$ 216 milhões.

O total parcial das vendas de animais da 26ª Expointer, encerrada ontem, em Esteio, empatou com o registrado em 2002. Foram comercializados 1.116 animais por R$ 3,1 milhões. O governo estadual projetava avanço de 30% e os leiloeiros apostavam vender R$ 3,5 milhões. Pesou no faturamento, a não realização da Feira do Novilho Gordo, que, no ano passado, garantiu R$ 514 mil.

As máquinas foram as vedetes, negociando R$ 216 milhões contra R$ 125 milhões. Na coletiva, na Casa Branca, o governador Germano Rigotto estava bastante satisfeito com o resultado global e comemorou os números da feira, organizada num curto espaço de tempo. O presidente da Farsul, Carlos Sperotto, avaliou a mostra como um sucesso, lembrado que diversos criadores preferiram esperar os remates de primavera e verão para obter preços mais compesadores com a perspectiva de alta do preço do boi gordo. Rigotto antecipou que o Estado começa a trabalhar amanhã na Expointer 2004. 'Não vamos ficar parados. Com parcerias como neste ano vamos fazer da feira ainda mais nacional e internacional.' A 27ª edição, já marcada para entre 28 de agosto e 5 de setembro, terá divulgação intensa em outras feiras do agronegócio pelo país.

Apesar dos investimento de R$ 2,5 milhões feitos este ano no parque, Rigotto destacou que ainda há melhorias necessárias na infra-estrutura para realização de provas, remates e acomodação de animais. Problemas como falta de mangueiras para os rústicos e de climatização nos galpões, observados pelos produtores. O presidente da Febrac, José Paulo Cairoli destacou ainda a urgência no aumento do pavilhão de ovinos e bovinos de corte.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.