Agronomia com paixão

Agronomia com paixão

Por:
114 acessos

Por Antonio Roque Dechen, membro do Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS), Professor Titular do Departamento de Ciência do Solo da ESALQ/USP, Presidente da Fundação Agrisus e Membro da Federação Brasileira de Plantio Direto e Irrigação (FEBRAPDP)

Agronomia com Paixão é o título de livro que narra episódios da vida de Dr. Fernando Penteado Cardoso, fundador da Manah e da Agrisus, única entidade privada de financiamento à pesquisa agronômica. Ele define sua trajetória como uma história de amor à agronomia, ao trabalho, à família e à vida. O lançamento, em outubro de 2018, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), contou com amigos, familiares e admiradores, que puderam ouvir um discurso em que ele reafirmou seus ideais.

A paixão pela agronomia é antiga, desde o ingresso na Luiz de Queiroz em 1933, e formatura em 1936; era, portanto, aluno da ESALQ por ocasião da criação da USP em 1934. Sua família já era ligada à terra e ele foi sempre aluno exemplar.

Desde os tempos de estudante, já preconizava: “A fertilidade do solo não é eterna: decrescerá pela erosão, a causa suprema. Um só recurso impedirá a perda da fertilidade: as adubações”. Até hoje sua propriedade, a Fazenda Aparecida, em Mogi Mirim/SP, é modelo e referência em conservação do solo.

Como profissional, iniciou as atividades na então Seção de Fruticultura do Departamento de Fomento Agrícola do Estado de São Paulo, onde era encarregado, entre outras coisas, de evitar que se exportassem laranjas que pudessem apodrecer durante a viagem. Estudou o tema a fundo e escreveu o trabalho “Como evitar a podridão das laranjas”.

Em 1939, foi para os Estados Unidos, onde acompanhou o comércio de laranjas em Nova York, desde a chegada da fruta na cidade, vinda da Flórida e da Califórnia, até a distribuição no mercado de atacado.

Em 1947, fundou a Manah (fertilizantes e gado de corte), até hoje lembrada nas escolas de publicidade e propaganda pelo slogan criado por ele: “Com Manah, adubando dá”. Foi em uma das viagens a clientes no Rio Grande do Sul, nos anos 1980, que tomou conhecimento do Sistema de Plantio Direto e entrou em contato com os pioneiros da técnica, como Herbert Bartz, Nonô Pereira, entre outros. A partir daí, a luta pela difusão desses ensinamentos seria uma de suas razões de viver.

Dr. Cardoso acredita que tudo precisa ser pesquisado e quantificado para que seja possível aperfeiçoar e disseminar as novas técnicas. Tendo essa premissa como base, organiza em 2001 a Fundação Agrisus, entidade a qual hoje presido, que reúne pesquisadores de diferentes universidades, entidades e localidades, cujo foco principal é estimular a capacitação e o aperfeiçoamento profissional, difundindo tecnologias destinadas a otimizar a fertilidade da terra de forma sustentável e favorável ao meio ambiente.

Aos 104 anos, ele também é lembrado pelo papel da família no melhoramento do gado Nelore. E, falando em família, Dr. Cardoso conta com seis filhos, 20 netos e 41 bisnetos, além de 23 consortes.

A agronomia brasileira terá sempre o reconhecimento da comunidade se realizada com tecnologia, paixão e sustentabilidade.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink