Lagarta das palmeiras ou (Brassolis sophorae)

Lagarta das palmeiras

(Brassolis sophorae)

Culturas Afetadas: Alfafa, Algodão, Amendoim, Arroz, Batata, Brócolis, Cana-de-açúcar, Côco, Couve, Couve-flor, Dendê, Fumo, Mandioca, Maracujá, Milho, Pastagens, Repolho, Seringueira (Floresta implantada), Soja, Trigo

A borboleta mede entre 80 e 90 mm de envergadura e tem coloração geral marrom escura. A lagarta mede entre 70 e 80 mm de comprimento e tem coloração marrom escura com listras longitudinais esbranquiçadas.

Danos: As lagartas dessas borboletas, são pragas das palmeiras e dos coqueiros, plantas de grande valor econômico do ponto de vista ornamental e industrial. Sua presença é notada de setembro-outubro até março, podendo, porém, iniciar mais cedo e terminar mais tarde. Causam desfolha e depreciam o produto pela presença de suas fezes junto às plantas.

Controle: Pode ser:

a) Mecânico - pela coleta dos casulos e destruição por esmagamento das lagartas;

b) Cultural - em áreas com plantios comerciais, catação dos restos da cultura do coco (casca e folhas) pois estes oferecem às lagartas condições à sua crisalidação e proteção contra inimigos naturais;

c) Biológico - pulverização com o fungo Bouveria bassiana ou a bactéria Bacillus thuringiensis. Na natureza é comum encontrar lagartas parasitadas pela mosca Xanthozona melanopyga (Tachinidae) e por vespinhas (microhimenópteros), que também podem parasitar seus ovos.
 

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente