Agronegócio

Sintomas

Sintomas
Por: -José Luis da Silva Nunes
acessos

Sintomas

Ferrugem asiática Agente causal Ciclo e Epidemiologia Consórcio AntiFerrugem Práticas de Manejo Produtos de Controle Sintomas Vazio Sanitário

 

Os sintomas causados pela ferrugem asiática (Phakopsora pahyrhizi) iniciam-se nas folhas inferiores da planta e são caracterizados por minúsculos pontos (1 a 2 mm de diâmetro), mais escuros do que o tecido sadio da folha, com coloração esverdeada a cinza esverdeada (Figura 1).

 

 

Figura 1 - Sintomas iniciais de ferrugem asiática na face abaxial da folha de soja.

 

Essas lesões, provenientes da fase inicial da infecção,  correspondem a formação de protuberância, chamadas urédias (estruturas de reprodução do fungo), que se apresentam como pequenas saliências na lesão (Figura 2).

 

Figura 2 - Pústulas de Phakopsora pahyrhizi na face inferior da folha de soja.

 

As lesões da ferrugem tendem para o formato angular e podem atingir 2 a 5 mm de diâmetro, podendo aparecer nos pecíolos, vagens e caules. Progressivamente, as urédias, adquirem cor castanho clara a castanho escura, abrem-se em minúsculo poro, por onde é liberado os uredósporos (Figura 3).

 

Figura 3 - Sintomas da ferrugem asiática da soja causada por Phakopsora pachyrhizi na face inferior da folha.

 

A observação das urédias é a principal característica que permite a distinção entre a ferrugem da soja e outras doenças com outros sintomas semelhantes, tais como as lesões iniciais de mancha parda (Septoria glycines) que forma um halo amarelo ao redor da lesão necrótica, que é angular e castanho avermelhada (Figura 4).

 

Figura 4  - Urédias com poros abertos de Phakopsora pachyrhizi.

 

Os uredósporos, inicialmente de coloração hialina (cristalina), tornam-se bege e acumulam-se ao redor dos poros ou são carregados pelo vento (Figura 5).

 

Figura 5 - Uredosporos de Phakopsora pachyrhizi.

 

A medida que prossegue a esporulação, o tecido da folha ao redor das primeiras urédias, adquirem coloração castanho clara (lesão do tipo “TAN”) a castanho-avermelhada (lesão do tipo “reddish-brown”- RB), formando as lesões que são facilmente visíveis em ambas as faces da folha. As urédias que deixaram de esporular apresentam as pústulas,nitidamente, com os poros abertos, o quê permite distinguir da pústula bacteriana, quefrequentemente tem sido confundida com a ferrugem.

É considerada uma das doenças mais severas que incidem na cultura e pode ocorrer em qualquer estádio fenológico da cultura. Plantas infectadas apresentam desfolha precoce, comprometendo a formação e o enchimento de vagens, reduzindo o peso final dos grãos (Figura 6).

 

Figura 6 - Danos decorrentes da infecção de Phakopsora pachyrhizi.

 

Nas diversas regiões geográficas onde a ferrugem asiática foi relatada em níveis epidêmicos, os danos variam de 10% a 90% da produção. Em casos de ataques severos, as plantas ficam semelhantes a lavouras dessecadas com herbicidas, sofrendo abortamento de flores e vagens e deficiência na granação. Quanto mais cedo ocorrer a desfolha, menor será o tamanho dos grãos e, consequentemente, maior a redução do rendimento e da qualidade. 

 

 

José Luis da Silva Nunes

Eng. Agrº, Dr. em Fitotecnia


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink