Adubo - Fosfato monoamônio (MAP) e fosfato diamônico (DAP)
CI
Fertilizantes

Adubo - Fosfato monoamônio (MAP) e fosfato diamônico (DAP)

Leia tudo que você precisa saber sobre o Monoamônio fosfato (MAP) e Diamônio fosfato (DAP)
Por:

O monoamônio fosfato e diamônio fosfato (também conhecidos como fosfato monoamônico e fosfato diamônico, ou simplesmente MAP e DAP, respectivamente), são fertilizantes minerais, fontes de nitrogênio e fósforo com liberação rápida destes nutrientes. O MAP possui no mínimo 9% de nitrogênio na forma amoniacal e 48% de fósforo, já o DAP possui no mínimo 17% de nitrogênio e 45% de fósforo, possuindo mais nitrogênio, porém menos fósforo que o MAP.

Estes fertilizantes possuem como vantagem a rápida absorção pelo solo e disponibilização quase imediata dos nutrientes para as plantas. O MAP possui mais fósforo do que o DAP, desta forma o seu uso é mais indicado para solos argilosos que possuem maior retenção de fósforo por fixação.

O nitrogênio na forma amoniacal é muito suscetível a perdas através de lixiviação e volatilização, já o fósforo é pouco móvel no solo, pois apresenta grande afinidade com óxidos de alumínio e de ferro presentes nos solos brasileiros (você pode ler mais sobre este fenômeno na página sobre fósforo), tendo assim menor disponibilidade deste nutriente para as plantas.

O monoamônio fosfato possui um pH inicial entre 3,5 a 4,2, ou seja, acidifica o solo, desta forma o uso deste produto é mais limitada a solos neutros e básicos para evitar zonas tóxicas para as plantas. O acúmulo de amônia apresenta efeitos potencialmente prejudiciais ao metabolismo vegetal, como o crescimento atrofiado, diminuição da fotossíntese e produtividade. Além disso, a salinidade deste produto pode causar estresse hídrico na planta, comprometendo seu desenvolvimento e produtividade. Já o DAP possui um pH de aproximadamente 7,5.

 

Diferença entre MAP e DAP

- Nitrogênio: o MAP apresenta no mínimo 9% de nitrogênio, já o DAP possui no mínimo 17%;

- Fósforo: o MAP apresenta no mínimo 48% de fósforo, já o DAP possui no mínimo 45%;

- pH: o MAP possui um pH médio de 3,7, já o DAP possui um pH médio de 7,5.

 

Qual escolher: MAP ou DAP?

O principal fator a ser considerado para a escolha de um outro fertilizante é o pH do solo. Como vimos anteriormente, o MAP possui um pH ácido (aproximadamente 3,7), e, quanto a este aspecto, é mais recomendado para solos neutros e alcalinos, pois em solos ácidos pode causar toxicidade e efeitos negativos para as plantas. Seguindo a mesma ideia, o DAP por possuir um pH de 7,4, é mais recomendado para solos neutros e ácidos, pois em solos alcalinos também pode causar efeitos negativos.

Quanto ao nitrogênio, o DAP possui maior concentração de amônia e um pH de 7,5, e estes fatores fazem com que a aplicação superficial deste fertilizante tenha grande potencial de perda de nitrogênio por evaporação.

 

Anderson Wolf Machado - Engenheiro Agrônomo


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.