Sulfato de potássio - vantagens e manejo do adubo
CI
Fertilizantes

Sulfato de potássio - vantagens e manejo do adubo

Leia sobre as principais características do sulfato de potássio.
Por:

O sulfato de potássio é um fertilizante que possui, no mínimo, 48% de potássio na forma de K2O e 15% de enxofre, podendo ter também magnésio na sua composição, até 12% (para ler mais sobre estes elementos, clique no nome deles).

Uma das vantagens deste fertilizante é que ele é livre de cloro, sendo uma alternativa ao cloreto de potássio, principalmente no uso em culturas sensíveis ao cloro. Os prejuízos causados pelo uso do cloro se relacionam com o excesso de absorção pelas plantas, causando fitotoxicidade, e seus impactos na qualidade do solo, devido ao efeito biocida que pode eliminar microrganismos benéficos neste ambiente.

Outro aspecto importante é que este fertilizante é bastante solúvel (podendo ser utilizado em fertirrigação), ainda que a solubilidade seja menor que a do cloreto de potássio. Esta alta solubilidade pode ser uma vantagem em situações de necessidade imediata do nutriente no solo. Porém, também acaba sendo uma desvantagem pelo fato de que a velocidade de liberação do nutriente é maior que a taxa de absorção de potássio e enxofre das plantas, ficando uma boa parte do fertilizante livre no solo, suscetível a perdas por lixiviação (favorecida por excesso de umidade e/ou chuvas, e baixa CTC no solo). Quando ocorre lixiviação e não resta efeito residual do nutriente no solo, acaba-se fazendo novas aplicações, levando ao acúmulo crescente de sais no solo. A salinidade deste fertilizante é bastante alta (46%), limitando o desenvolvimento das raízes das plantas e dos microrganismos benéficos no solo, além de salinizar o solo.

 

O sulfato e o ácido sulfúrico

Ao aplicar sulfato de potássio ou qualquer outro sulfato, é importante que o nível de ferro no solo esteja adequado. Esta necessidade se deve pelo fato de que o sulfato no solo interage com a matéria orgânica, formando ácido sulfúrico (H2SO4), que é prejudicial, inibindo a absorção de outros nutrientes pelas plantas. Porém, se houver ferro em um nível adequado no solo, este reage com o ácido sulfúrico, formando pirita (FeS), que não são prejudiciais às plantas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.