CI

Avanço na semeadura de arroz no Rio Grande do Sul

As chuvas pontuais não causaram transtornos significativos


Foto: Pixabay

O progresso significativo na semeadura do arroz, nas aplicações de fertilizantes em cobertura e no controle de plantas daninhas foi observado recentemente. As chuvas pontuais não causaram transtornos significativos, enquanto o predominante clima ensolarado favoreceu o desenvolvimento das lavouras já estabelecidas, conforme os dados do Informativo Conjuntural da Emater/RS.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Bagé, em São Borja, 95% da área destinada ao plantio de arroz já foi semeada. A expectativa é concluir o plantio nas áreas afetadas pelas enchentes dos rios antes do final de dezembro, levando em consideração a previsão do tempo para os próximos dias. A irrigação das lavouras continua intensa, aproveitando a umidade dos solos, resultante dos grandes volumes de chuva dos últimos meses.

Em Pelotas, onde a semeadura foi finalizada, os agricultores estão se dedicando aos tratos culturais nos dias ensolarados. As lavouras encontram-se principalmente em estágio vegetativo, considerado satisfatório para este período. O aumento da luz solar e das temperaturas tem contribuído positivamente para esse desenvolvimento.

Na região de Santa Maria, o avanço na área plantada se aproximou de 92% do total. Cerca de 98% das lavouras estão em fase de germinação e desenvolvimento vegetativo, enquanto 2% já estão em fase de floração. Apesar do progresso, o plantio permanece atrasado em comparação com anos anteriores, quando já estaria finalizado neste mesmo período.

Na área de Soledade, a semeadura atingiu 98% da área planejada. As lavouras mais precoces e não afetadas pelas enchentes estão recebendo tratos culturais; devido ao excesso de chuvas, houve aplicação preventiva de fungicidas. Em áreas submersas, foi necessário o replantio ou houve atraso na semeadura devido a esse cenário. Produtores estão realizando adubações iniciais e controle de pragas, especialmente caramujos e minhocas vermelhas, que apresentaram maior incidência após as inundações. Prevê-se uma redução na produtividade nessas áreas afetadas, devido a problemas no estabelecimento inicial, afetando o perfilhamento, floração e enchimento de grãos, impactando tanto a produção quanto a qualidade final do produto.

Comercialização (saca de 50 quilos): Segundo o levantamento semanal de preços da Emater/RS-Ascar no estado, o produto apresentou um aumento de 2,21%, passando de R$ 120,54 para R$ 123,20.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.