CI

Clima beneficia o avanço da safra de feijão

O clima propício proporcionou um ambiente adequado para a operação


Foto: Canva

A implantação de lavouras de feijão continuou na Região Nordeste do Rio Grande do Sul, beneficiada por condições ambientais favoráveis pela segunda semana consecutiva. O clima propício proporcionou um ambiente adequado para a operação e o estabelecimento inicial das plantações. Nas demais regiões produtoras, a colheita do feijão manteve-se em andamento. A projeção para a Safra 2023/2024 é de uma área de cultivo de 29.053 hectares em primeira safra, com uma estimativa de produtividade de 1.775 kg/ha.

Na região de Caxias do Sul, as precipitações em menor volume e períodos mais longos de incidência de radiação solar permitiram um progresso eficaz na semeadura, que está em fase de conclusão. Essas chuvas também beneficiaram a germinação, a emergência e o crescimento das áreas já implantadas. A expectativa é de que 12.057 hectares sejam dedicados à cultura.

Em Frederico Westphalen, 75% das lavouras de feijão foram colhidas, mantendo a expectativa de produtividade em torno de 1.900 kg/ha.

Na região de Santa Maria, a colheita da leguminosa está em andamento, e a produtividade se aproxima de 1.800 kg/ha. A intenção inicial de plantio na região era de 1.373 hectares, mas a área efetivamente plantada não atingiu esse limiar. Poderá haver compensação na segunda safra.

Em Soledade, o tempo estável, aliado a radiação solar e temperaturas normais para a estação, trouxe benefícios para as lavouras de feijão. A fase vegetativa viu um aumento na área foliar, enquanto a fase reprodutiva testemunhou a fixação de flores, enchimento de grãos e avanços na maturação, além de colheita. No entanto, adversidades climáticas ao longo do ciclo resultaram em perda de produtividade, ainda não quantificada. As fases da cultura estão distribuídas com 5% em desenvolvimento vegetativo, 10% em florescimento, 40% em enchimento de grãos e 45% em colheita.

Qunato a comercialização (saca de 60 quilos), de  acordo com o levantamento semanal de preços realizado pela Emater/RS-Ascar no Estado, o valor médio do feijão apresentou um aumento de 4,84% em relação à semana anterior, passando de R$ 281,75 para R$ 295,40.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.