Como está a projeção da safra de inverno no Brasil
CI
Imagem: Marcel Oliveira
LEVANTAMENTO

Como está a projeção da safra de inverno no Brasil

A estimativa do trigo foi de 8,4 milhões de toneladas, alta de 34,8% em relação a 2020
Por: -Eliza Maliszewski

Os principais cereais de inverno produzidos no Brasil são o trigo, a aveia branca e a cevada. Em 2020, as lavouras de inverno foram afetadas por problemas climáticos, o que reduziu seus potenciais produtivos. Para 2021, os produtores estão mais otimistas com o clima, além de os preços do cereal estarem em níveis altos. A estimativa foi divulgada pelo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A estimativa da produção do trigo foi de 8,4 milhões de toneladas, crescimentos de 6,3% em relação ao mês anterior e de 34,8% em relação a 2020, com o rendimento médio devendo aumentar 19,9%. A área plantada aumentou 12,4% em decorrência do estímulo do preço do produto. A região Sul deve responder por 90,4% da produção tritícola nacional em 2021. No Paraná, maior produtor (46,4% do total nacional), a produção deve aumentar em 24,6% frente a 2020, atingindo 3,9 milhões de toneladas. O Rio Grande do Sul, segundo maior produtor (40,7% do total), deve produzir 62,1% a mais que em 2020, atingindo 3,4 milhões de toneladas. Santa Catarina também investiu mais no cereal, subindo sua estimativa da produção em 58,9% frente a 2020, chegando a 275,6 mil toneladas em 2021.

A estimativa da produção da aveia foi de 1,0 milhão de toneladas, com aumento de 1,9% em relação a junho e crescimento de 12,9% em relação ao ano anterior. A região Sul concentra 96,5% da produção brasileira do cereal. Rio Grande do Sul e Paraná, os maiores produtores, estimam safras de 794,5 mil toneladas e 178,5 mil toneladas, respectivamente. Em Santa Catarina, a produção deve ficar em 35,1 mil toneladas, aumento de 41,5% frente a 2020.

Para a cevada, a estimativa encontra-se em 480,3 mil toneladas, aumento de 7,1% em relação ao mês anterior, e crescimento de 26,8% em relação a 2020. Os maiores produtores do cereal são Paraná, com 354,6 mil toneladas, e Rio Grande do Sul, com 110,0 mil toneladas, cujas produções somadas representam 96,7% do total nacional.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.