Frete atrapalha negócios do milho: QUEM PAGA A CONTA?
CI
Imagem: Divulgação
MERCADO

Frete atrapalha negócios do milho: QUEM PAGA A CONTA?

Com as quedas de Chicago (-3,06% e do dólar (-0,62%) a exportação arrefeceu e houve mais negócios no mercado interno do Paraná
Por: -Leonardo Gottems

O mercado do milho segue parado no Rio Grande do Sul, mesmo com o aumento dos preços, de acordo com o que afirmou a TF Agroeconômica. Isso acontece porque o frete está muito caro e não se decidiu “quem pagará essa conta”. “Mercado de milho segue muito parado, à espera da chegada dos contratos futuros firmados com milho de segunda safra, oriundos no centro-oeste. Há um nítido desconforto dos compradores e vendedores, em relação aos fretes contratados nos meses anteriores para esse milho do centro-oeste, que acumulam altas de mais de 30% entre a estimativa e a realidade atual. Esse descompasso, mais a demora, pode trazer o comprador de milho para fechar mais alguma coisa próxima às fábricas de imediato”, comenta.

“Preços indicados por compradores, melhoraram em função do atraso da chegada do milho de segunda safra e, agora, estão na faixa de R$ 95,00 CIF Ijuí, Frederico e Santa Rosa, R$ 93,00 Chapecó, R$ 96,00 Marau. R$ 97,00 Arroio do Meio. As ofertas no mercado local estão em R$ 94,00 e R$ 95,00 FOB interior, ou seja, se viabilizam, quando muito próximas dos pontos de consumo”, completa.

Santa Catarina segue os mesmos moldes da semana passada. “Os negócios de milho continuam muito parados, nos moldes da semana passada. Vendedores na faixa de R$ 96,5-97,00/saca e Comprador a R$ 95,00. Em Campos Novos vendedores a R$ 95,00 e compradores a R$ 92,00”, indica. “O custo de produção de milho no estado foi estimado pela EPAGRI em R$ 59,50/saca, contra um preço médio pago aos agricultores no estado de R$ 84,00 geraria um lucro líquido de R$ 41,17%, o maior do país, que poderá compensar as perdas de 32,3% na produção”, indica.

Com as quedas de Chicago (-3,06% e do dólar (-0,62%) a exportação arrefeceu e houve mais negócios no mercado interno do Paraná. “Mesmo assim, foi pouco movimento. Muita gente buscando milho tributado, que está vindo ja do MT. Ao que parece no norte foram feitas algumas compras a R$ 90 + Icms, nesse sentido. Nos Campos Gerais saiu milho disponível a R$ 90,00 com pagamento à vista, 2.000 tons. No oeste foram negociadas 1.000 toneladas a R$ 88,50/saca, pagamento 15 dias”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.