Milho paraguaio preocupa em relação à logística
CI
Imagem: Divulgação
MERCADO INTERNACIONAL

Milho paraguaio preocupa em relação à logística

“Alguns compradores no Brasil desistiram momentaneamente das compras"
Por: -Leonardo Gottems

O milho paraguaio teve mercado voltado para a comercialização da Safrinha, mas logística preocupa, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Para o milho, observa-se também um mercado lento, com a FAS mantendo as ideias estáveis nos últimos 3 dias, mas são números que não despertam o interesse dos vendedores. O mercado brasileiro tem sido a opção mais atrativa, mas durante o dia o dólar dificultou os negócios, embora houvesse algum interesse dos vendedores, mas eles buscavam números um pouco acima do indicado”, comenta.

“Alguns compradores no Brasil desistiram momentaneamente das compras, aguardando uma melhor definição de como ficará a situação fronteiriça, temendo problemas no recebimento de produtos para suas fábricas. As primeiras parcelas de milho plantadas na primeira semana de receberam chuvas de abril com seus 285 mm após 133 mm na segunda quinzena de março”, completa.

Como se não bastasse, nos primeiros cinco dias de maio já choveu 52 mm acumulando 470 mm em pouco mais de um mês e meio. “Desde o início do plantio, os campos plantados nas primeiras parcelas, semeadas em 4 de janeiro, acumulam 670 mm em quatro meses. Um corte definitivo das chuvas é urgente para que o desenvolvimento de todas as parcelas Independentemente da época de plantio, a fim de que permitem o início da colheita”, indica.

“As previsões meteorológicas indicam tempo seco por não mais de três dias e as chuvas retornam a partir de segunda-feira 09. Nenhuma geada no radar até o final de maio, embora as lavouras não terão o tempo seco e ensolarado tão necessário, pelo menos não sofrerão nenhum dano de um evento. O início da colheita das primeiras parcelas, variedades híbridas de topo, está previsto para últimos dias de maio, com rendimentos de 7 ton/ha ou um pouco mais em algumas parcelas”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.