Monitoramento da RGE indica pouca chuva para janeiro e fevereiro

Agronegócio

Monitoramento da RGE indica pouca chuva para janeiro e fevereiro

Influência do Lã Niña no Rio Grande do Sul permanecerá durante todo verão
Por:
2296 acessos

Influência do Lã Niña no Rio Grande do Sul permanecerá durante todo verão

 

A manutenção do fenômeno Lã Niña durante os dois primeiros meses de 2017 indica que o bimestre será de pouca chuva e muito calor nas áreas de concessão da RGE e RGE Sul. Conforme o estudo do mensal encomendado pelo Centro de Operações Integrado (COI) da Rio Grande Energia, houve a consolidação do Lã Niña, que exerce influência no clima desde a última semana de novembro do ano passado. Entretanto, mesmo com a previsão de volumes de chuva reduzidos, não está afastada a possibilidade de temporais, uma característica do verão no hemisfério Sul.

A previsão para janeiro indica a alternância, a partir desta segunda-feira, 10 dias de sol e outros 15 com possibilidade de pancadas de chuva acompanhadas de descargas atmosféricas. Apenas os dias 13 e 23 há previsão de temporais.

Conforme o monitoramento do COI a estabilidade no tempo se dá pela temperatura da superfície no Oceano Pacífico, que está 0,5 ºC mais fria do que a normal na área dos trópicos. já entre a costa do Uruguai, Argentina e Brasil as águas estão com a temperatura ligeiramente do que a normal. Esse cenário faz com que os ventos alísios (vento de Leste do Equador) soprem com mais força, caracterizando o Lã Niña.

Já em fevereiro, há previsão de temporais nos dias 9, 10, 11 e 12. Ainda, conforme o COI, em outros 16 dias do mês estão sujeitas pancadas de chuvas isoladas. No demais dias, a previsão é de tempo firme.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink