Na Argentina, governo fica com 63% da renda agrícola

Agronegócio

Na Argentina, governo fica com 63% da renda agrícola

Na Era Kirchner ultrapassou 90%
Por: -Leonardo Gottems
1304 acessos

A cada 100 Pesos de renda agrícola, o governo argentino fica com 63 Pesos, de acordo com levantamento realizado no último mês de Dezembro. Por incrível que pareça, o percentual foi comemorado pelo setor porque representou uma forte baixa em relação ao que era durante a administração Kirchner, quando a porcentagem chegou a superar os 90 Pesos.

O governo Macri, que assumiu ainda no final de 2015, eliminou as chamadas “retenciones”, ou impostos sobre exportações de culturas como o trigo, o milho e o girassol, além de reduzir as alíquotas sobre a soja. O índice Fada (Fundação Agropecuária para o Desenvolvimento da Argentina) caiu a 63%, uma diminuição de 2,4 pontos em relação a setembro (65,4%).

“A explicação para a baixa se encontra no incremento do preço disponível do milho em Dólares na ordem de 7,6%, um aumento do tipo de câmbio de 5% e uma leve baixa em Pesos nos custos dos insumos fitossanitários na faixa entre 5% e até 10%”, explica a Fundação. O índice Fada contabiliza a somatória de todos os tributos: provinciais, nacionais e os chamados “direitos de exportação da soja.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink