Números positivos para a bovinocultura de corte e Cavalos Crioulos marcam 2021
CI
Imagem: Pixabay
PECUÁRIA

Números positivos para a bovinocultura de corte e Cavalos Crioulos marcam 2021

Trajano Silva Remates destaca liquidez e aumento de 30% na oferta da raça Crioula e nas médias de venda dos bovinos
Por:

Os leilões tanto dos bovinos de corte quanto da raça Crioula apresentaram números importantes em 2021 em relação ao ano passado. Os eventos virtuais de comercialização de animais ganharam força e devem permanecer ao lado dos presenciais. Para 2022 a expectativa da Trajano Silva Remates é de que será muito bom, consolidando os resultados positivos já alcançados.

O diretor e leiloeiro do escritório, Marcelo Silva, afirma que para a bovinocultura de corte 2021 foi o melhor dos últimos dez anos, “não só pela liquidez como também pelo grande volume de animais vendidos, assim como as médias que chegaram a ser 30% maiores quando comparadas com 2020”. De acordo com Silva, esse crescimento nas médias foi sentido especialmente nas raças trabalhadas pela Trajano Silva, como Angus, Brangus, Hereford e Braford. “Foi um ano maravilhoso, com números finais realmente muito importantes e que nos dão boas expectativas para 2022, baseado justamente no que aconteceu em 2021 e também pelo avanço da pecuária e sua valorização como um ativo importante de investimento”, observa.

Silva lembra que, ao ser consultado em junho passado, quando começaram os primeiros leilões, sobre o que esperar em números para a Temporada de Primavera, estimou um aumento de até 20% na comparação com valores do ano anterior. “E, na realidade, eles ultrapassaram esse percentual em todas as raças, em todas as categorias dos animais produzidos no Rio Grande do Sul, vendendo para todo o Brasil. E a perspectiva é que essa capilaridade para 2022 seja maior e mais positiva”, pontua.

Sobre o mercado do Cavalo Crioulo, o leiloeiro destaca os leilões virtuais durante o período da pandemia, que acabaram resultando em um aumento de 30% no número de animais vendidos em relação a 2020. “Houve um aumento também muito grande na oferta. Para dar um exemplo, no mês de novembro tivemos 29 leilões com todos os lotes oferecidos absorvidos pelo mercado”, ressalta, afirmando que este foi, pelo menor, o melhor dos últimos 3 anos para a raça.

As expectativas para 2022 são boas para a comercialização do Cavalo Crioulo, conforme Silva, tendo em vista que todos os eventos presenciais devem ser liberados a partir de janeiro, o que deverá dar um impulso maior a este segmento. “Independentemente da raça ou espécie, seja bovina ou equina, os leilões virtuais são uma realidade e vieram para ficar. Estimo que 70% dos remates vão continuar nesta modalidade justamente pela facilidade que trazem tanto para o  comprador quanto para o vendedor. Acredito que serão presenciais somente os grandes leilões, com volumes maiores de oferta”, afirma.

Em 2022, Silva completa 50 anos como leiloeiro e agora em 2021 a Trajano Silva Remates comemorou 60 anos de existência. “Temos muito a comemorar”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.