Pragas e seca derrubam girassol
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,704 (-2,06%)
| Dólar (compra) R$ 5,40 (0,44%)

Imagem: Marcel Oliveira

PERDAS

Pragas e seca derrubam girassol

Diante deste cenário Mato Grosso deixou de ser o maior produtor de girassol do país
Por: -Eliza Maliszewski
174 acessos

O girassol perdeu espaço em área e sofreu com clima e pragas nesta safra. O Brasil dedicou 50,5 mil hectares para o plantio da cultura, uma queda de 19,6% em relação a safra passada. Já a produção caiu 18,8%, ficando em 85,2 mil toneladas. Os dados são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Diante deste cenário Mato Grosso deixou de ser o maior produtor de girassol do país. Nesta safra a queda no estado foi de 36,7% em relação à temporada anterior e a produção foi de 38,4 mil toneladas. Goiás, que produziu 42,8 mil toneladas, assumiu a dianteira na produção da cultura no país sendo o único que registrou crescimento, de 14%. Nos demais estados produtores queda acentuada. Minas Gerais teve redução de 90%, colhendo apenas 200 toneladas.

Na avaliação da Conab o “aquecimento do mercado do milho tem inibido a alocação de áreas” para a cultura do girassol, que ainda é dependente de uma indústria “próxima para processamento”. Parte dos produtores que apostaram no plantio do girassol ainda tiveram problemas. “O clima verificado na principal região produtora, a parcela oeste do Estado, não foi favorável à cultura devido à escassez hídrica, a ponto de comprometer a produtividade média dessa. Além disso, em relação à incidência de pragas, houve a presença de grilos, provocando danos econômicos para alguns produtores”, explicou a companhia.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink