Regressão? Entenda por que espanhóis querem volta dos burros
CI
Imagem: Pixabay
MUNDO

Regressão? Entenda por que espanhóis querem volta dos burros

O prefeito de Secastilla, Ángel Vidal, pontualmente destacou “o muito bom trabalho” dos burros
Por: -Leonardo Gottems

A Câmara Municipal do município de Secastilla, na província espanhola de Huesca, está a promover um projecto tão inovador como original. Recuperando o burro como ferramenta de trabalho sustentável.A iniciativa “A recuperação do burro como animal de trabalho: uma proposta inovadora para reduzir a pegada de carbono”, é uma experiência piloto para demonstrar que a sobrevivência do burro dos Pirinéus - do qual existem mil exemplares em Aragão - pode ter utilidade prática, pois seu pastoreio poderia aumentar a diversidade vegetal das pastagens, retirar biomassa vegetal para evitar incêndios ou abrir acessos em áreas isoladas.

O prefeito de Secastilla, Ángel Vidal, pontualmente destacou “o muito bom trabalho” dos burros na área até a chegada do maquinário agrícola, além de influenciar na filosofia da proposta de verificar os benefícios do seu pastejo. O projeto está sendo desenvolvido em Aldea Puy de Cinca, uma área dispersa de Secastilla abandonada na década de 1960 que, em 1994, o Sindicato dos Agricultores e Pecuaristas de Aragão começou a se revitalizar e que, desde 2014, é administrada pela Associação de Laboratórios de Ruralização. . Lá eles trabalham em oficinas e ateliês, com um rebanho formado pelos 13 burros que a Aldea possui.

Cerca de cinquenta pessoas participaram das oficinas propostas, enquanto os estudos realizados mostraram que o pastejo de burros aumenta a diversidade das plantas de forma equitativa, permite reduzir a biomassa vegetal para evitar incêndios e os próprios animais permitem a limpeza de áreas emboscadas e a remoção de resíduos. Durante a apresentação das conclusões, o autarca, Ángel Vidal, disse que “o balanço é positivo, houve verdadeiros especialistas, um orador da Universidade de Barcelona, ??entre outros, e tudo funcionou muito bem. Além disso, estão sendo geradas sinergias muito interessantes”.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink