Workshop qualifica produtores e técnicos para produção de carnes caprina e ovina
CI
Imagem: Pixabay
PECUÁRIA

Workshop qualifica produtores e técnicos para produção de carnes caprina e ovina

Evento online que reuniu produtores rurais e técnicos para discussão sobre boas práticas de fabricação e de abate
Por:

A Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE) promoveu, nos dias 20 e 21, o Workshop Agregação de Valor à Carne Ovina e Caprina, evento online que reuniu produtores rurais e técnicos para discussão sobre boas práticas de fabricação e de abate e sobre legislação referente à produção de carne. O Workshop, promovido pelo programa AgroNordeste, é uma das capacitações previstas pela Embrapa para qualificação de agentes do setor produtivo, inclusive para pleitear a obtenção do Selo-Arte para a manta de carneiro dos Inhamuns (CE), produto artesanal daquela região.

“Esta é uma primeira aproximação com o público, que será ampliada em 2022, quando deveremos fazer capacitações presenciais sobre boas práticas de abate e fabricação no território dos Inhamuns”, destacou Lisiane Lima, pesquisadora da Embrapa Caprinos e Ovinos. No Workshop, ela apresentou orientações referentes a boas práticas de manejo para as etapas antes e após o abate de ovinos e caprinos, válidas para produção de carnes e seus derivados.

No Workshop, a pesquisadora Aline Costa, também da Embrapa Caprinos e Ovinos, abordou aspectos necessários para a obtenção do Selo-Arte, certificação concedida a produtos alimentícios de origem animal elaborados de forma artesanal, com características tradicionais, regionais ou culturais. Segundo ela, será importante que o setor produtivo possa implementar boas práticas de fabricação e armazenamento, incluindo atenção ao abate e transporte, além de adequação de instalações e seleção de fornecedores.

De acordo com Aline, uma possível obtenção do Selo-Arte poderá ser vantajosa para os produtores da manta de carneiro (produto obtido a partir da carcaça de ovinos, temperada com sal em processo artesanal tradicional nos Inhamuns), pois facilitará a comercialização do produto para outras regiões do país. “O Selo-Arte pode agregar valor aos produtos e facilitar o acesso a pequenos produtores para se adequar à legislação. O produto poderá chegar a novos mercados, ampliando o mercado consumidor potencial”, ressaltou ela.

O Workshop teve também a presença da professora Ana Maria Siqueira, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) – campus Limoeiro do Norte (CE), que falou sobre Boas Práticas de Fabricação (BPFs), com foco nas responsabilidades de cada agente do setor produtivo. Segundo ela, produtores rurais precisam de qualificação e apoio para se adequarem às normas de qualidade cada vez mais exigentes dos mercados consumidores. “Para que se cobre responsabilidades do produtor rural, é preciso que ele tenha aperfeiçoamento. Políticas públicas são necessárias para que pequenos produtores se mantenham competitivos no mercado”, afirmou ela.

Para os participantes, o Workshop trouxe discussões importantes, especialmente para o contexto da agricultura familiar. “O pequeno produtor tem condição de participar dos mercados, desde que tenha apoio, tenha organização, que se trate de uma cadeia produtiva levando em consideração o que ele desenvolve dentro de sua unidade, do seu pedaço de terra”, ressaltou Elissandra Gonçalves, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Tauá (CE). 

Ações para Inhamuns

A capacitação desenvolvida por meio do Workshop atende a estratégia da Embrapa de atuação na região dos Inhamuns (CE), onde se localizam os maiores rebanhos de caprinos e ovinos do Ceará e também é um polo de produção e consumo tradicionais de carnes ovina e caprina. A Embrapa Caprinos e Ovinos atua na região por meio de três diferentes iniciativas: os programas AgroNordeste e InovaSocial e o projeto SIAL Inhamuns. 

O AgroNordeste  - coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com ações da Embrapa em parceria com Projeto Dom Hélder Câmara e financiamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) – capacitará profissionais dos Inhamuns  sobre terminação em confinamento, além de implantar ações de pesquisa que garantam a segurança alimentar de rebanhos, como forma de viabilizar as atividades produtivas na região. 

O InovaSocial (Embrapa/BNDES) implantará unidades coletivas de abate e processamento nos municípios de Tauá e Parambu, além de fortalecer as redes de comercialização e cooperativismo locais, em parcerias com associações e cooperativas. Já o projeto SIAL Inhamuns tem objetivo de promover a qualificação do processo de produção de alimentos tradicionais do Sertão do Inhamuns, visando reconhecimento e valorização destes produtos. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.