Milho voluntário RR (Zea mays (Milho voluntário RR))
CI

Milho voluntário RR

(Zea mays (Milho voluntário RR))

Culturas Afetadas:

As plantas voluntárias de milho, também chamadas de plantas guaxas ou tigueras, ocorrem por perdas de grãos e espigas durante as operações de colheita. Além disto, a presença das plantas de milho voluntário passou a ser comum após o lançamento do milho resistente/tolerante a herbicidas, principalmente no caso do programa Roundup Ready (RR). Estas plantas devem ser vistas como uma espécie agressiva ao cultivo comercial de outras culturas, pois sua presença promove competição por recursos, como luz, água e nutrientes, com consequentes perdas de produtividade das culturas. Com a infestação gradual de milho voluntário, ocorre a diminuição progressiva da produtividade das demais culturas.

Controle

No passado recente, o controle químico do milho voluntário não resistente era realizado através do herbicida glifosato, aplicado na operação de manejo de entressafra ou em pós-emergência das culturas RR. A aplicação deste produto não se mostra mais viável quando as plantas de milho voluntário são provenientes de híbridos também resistentes ao herbicida glifosato, cuja área de cultivo tem aumentado rapidamente. A germinação do milho voluntário é desuniforme. Portanto, como em condições de campo a germinação é variável, o agricultor pode considerar pelo menos dois fluxos para efeitos de aplicação de herbicidas.

A recomendação de controle químico do milho voluntário se baseia na aplicação de graminicidas pós-emergentes, os inibidores da ACCase. Quanto mais novas as plantas, melhor o controle, o que pode ser obtido com menor dose. Com até três folhas, as opções de produtos são várias e com eficiência próxima a 100% para a maioria dos herbicidas. Mas se o milho estiver com cinco ou mais folhas, as opções se reduzem bastante e o nível de controle cai significativamente para quase todos os produtos.

Um ponto importante a ser considerado é quando o controle do milho voluntário coincide com o controle de espécies de folhas largas, particularmente a buva. Nestas condições é comum utilizar a combinação de produtos, aumentando a possibilidade de ocorrerem efeitos antagônicos com os latifoliadicidas. Esta reação é facilmente observada entre 2,4-D e os herbicidas inibidores da ACCase.

Recomenda-se o uso de produtos registrados para as culturas.

Fotos

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.