Mosca do sorgo (Contarinia sorghicola)
CI

Mosca do sorgo

(Contarinia sorghicola)

Culturas Afetadas: Sorgo

Trata-se de uma praga específica, que ataca as panículas do sorgo granívero. Sua ocorrência foi constatada pela primeira vez em 1967, em São Paulo. São mosquinhas de asas transparentes e abdome avermelhado. A longividade dos adultos é muito curta, pois são poucas as fêmeas que vivem mais de um dia, enquanto os machos nem isso vivem.

Danos: São consideráveis uma vez, ao fazer a ovoposição na flor, prejudica a formação do grão. As cultivares que florescem mais tardiamente são mais prejudicadas, em virtude do aumento da população da praga. Como consequência do ataque, as panículas ficam finas, sem grãos formados, e os danos podem ser totais em certas cultivares.

Controle: Como a mosca tem uma logevidade curta e ataca exclusivamente a inflorescência, que é suscetível apenas durante 10 dias, é frequenteo escape à infestação. As medidas que favorecem o escape são:

a) Plantio precoce para o florescimento ocorrer em época de pequena população da praga;

b) Plantio de variedades com florescimento uniforme;

c) Procurar uniformizar de semeadura, o espaçamento, a adubação e época de plantio para se obter um florescimento também uniforme no campo;

O controle químico só é viável quando o campo estiver com florescimento igualado. Nestas condições, deve-se aplicar o inseticida em pulverização quando:

a) 90% das panículas tiverem emergido das plantas e 10% delas estiverem florescidas na parte superior;

b) ou quando 80% da plantação estiver florida.

Repetir a aplicação 5 dias após a primeira aplicação, se forem observados, ainda, adultos ao redor das inflorescências. Os inseticidas recomendados para esta praga são os fosforados e carbamatos, com bons resultados quando os produtos são aplicados a UBV.

Embora exista uma grande variação na suscetibilidade das variedades de sorgo, sendo que a variedade de AF-28 é altamente resistente à mosquinha. Embora não seja cormercial, esta variedade vem sendo utilizada num programa de melhoramento para introdução de resistência em linhagens ou híbridos de outras variedades.

Os microhimenópteros Tetrastichus sp., Inostema sp. e Eupelmus popa são parasitos que atuam intensamente sobre a "mosca do sorgo", apesar de não ser suficiente para impedir as enormes infestações deste inseto.