Governo fomenta cadeias produtivas na zona rural de Rio Branco

Cadeia produtiva

Governo fomenta cadeias produtivas na zona rural de Rio Branco

Mais de 20 famílias serão contempladas com o grão
Por:
53 acessos

Reconhecendo o grande potencial produtivo e econômico de Rio Branco, o governo do Estado, por meio da Secretaria Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), e Prefeitura de Rio Branco têm fomentado a produção sustentável de diferentes cadeias, na zona rural da capital acreana.

Na tarde desta quinta-feira, 5, a instituição realizou a entrega de sementes de milho aos produtores da Associação Renascer, da comunidade Barro Alto. No local, mais de 20 famílias serão contempladas com o grão, que é indicado para regenerar áreas alteradas e pode ser cultivado em consórcio com outras cadeias.

Seguindo a necessidade de lógica de uma política de desenvolvimento sustentável, que aposta em investimentos tecnológicos agrícolas para extinguir o uso de fogo em áreas produtivas, a Seaprof realizou anteriormente a mecanização das propriedades contempladas com o grão.

Segundo o presidente da Associação de Produtores Renascer, Raimundo Prudêncio da Silva, o Estado tem um trabalho consolidado com os agricultores. “O governo está sempre olhando para a gente, e isso faz a diferença. Temos companheiros que não produzem por falta de condições, mas quando chega incentivo como esse, eles se empenham em produzir e faturar sua renda também”, destacou.

Em Rio Branco, 200 famílias de produtores serão contempladas com a distribuição de duas toneladas de sementes de milho híbrido, que possuem uma capacidade germinativa de 85%.

Diversificação produtiva

Além do milho, a Seaprof também fomenta outras cadeias no Barro Alto. Tanques para criação de peixes foram construídos nas propriedades, para incentivar o crescimento da piscicultura na região.

No local é desenvolvido o Programa de Fruticultura, que estimula o plantio de árvores frutíferas em áreas abertas. A iniciativa além de ter um cunho ambiental e de saúde, também aquece a economia dos agricultores, com a venda das frutas para as industrias de beneficiamento, que importam parte de sua matéria-prima de outros centros brasileiros.

Paulo Braña, diretor de Produção da Seaprof, explica que esse programa é mais uma oportunidade que o Estado proporciona aos agricultores, de terem uma renda permanente, melhorando a qualidade de vida das famílias.

O Estado auxilia ainda na promoção e escoamento dos alimentos comercializados na feira agrícola que o grupo coordena, semanalmente, no bairro Manoel Julião.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink