Plano Safra incentiva produção agroecológica

Agricultura familiar

Plano Safra incentiva produção agroecológica

Consumidor está mudando e procurando fontes mais limpas de alimentos
Por:
199 acessos

A cada dia que passa, a população está mais preocupada com a forma como os alimentos estão sendo produzidos. Com isso, os produtos orgânicos e de origem agroecológica ganham mais espaço no mercado e a agricultura familiar tem tido um papel fundamental no abastecimento desses alimentos. Para fortalecer ainda mais essa produção, o Plano Safra 2017/2020 trouxe taxas de juros de 2,5% a.a para financiamentos no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Não é de hoje que os agricultores familiares estão apostando em formas sustentáveis de cultivo. A prática traz benefícios para o agricultor, para o meio ambiente e para os consumidores. Segundo a analista técnica de políticas sociais Raquel Martins, da Coordenação-Geral de Agroecologia e Produção Sustentável da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), os consumidores estão cada vez mais exigentes em relação a forma de produção dos alimentos.

“O consumidor está mudando e procurando fontes mais limpas de alimentos. Porém, não é uma mera escolha econômica por parte desse agricultor, é uma questão de saúde dele e da família”, afirma. Raquel explica que a produção agroecológica é uma decisão consciente que os agricultores estão tomando e que vai muito além da produção sem agrotóxico. “É uma escolha de convivência com o ambiente em que ele está, de entender como a natureza se comporta e como colher dela”, ressalta. 

Com os juros diferenciados, a Sead busca incentivar a produção de alimentos livres de agrotóxicos. Assim, a agricultura familiar atende uma demanda da sociedade e, ao mesmo tempo, contribui para a qualidade de vida do trabalhador e do meio ambiente. 

Transição agroecológica

Foi a consciência ambiental e social que fez o agricultor familiar Valdir Manuel de Oliveira, de 55 anos, transformar a sua produção convencional, em Ceilândia (DF), em uma produção agroecológica. Apesar de seu Valdir ter nascido na agricultura familiar, o trabalho com orgânicos só começou em 2007. “Eu me apaixonei pela agroecologia. Mesmo tendo nascido e sido criado no mato eu não tinha noção de como funcionava a natureza, não dava muito importância a minha saúde e ao bem-estar da minha família’, afirma. 

Outro ponto que está presente no Plano Safra e que foi fundamental para o seu Valdir é a assistência técnica. O plano reforça as chamadas públicas para a assistência técnica e extensão rural que são de extrema importância no processo de transição. Para seu Valdir, o auxílio da Emater-DF foi fundamental para a sua decisão, pois foram ações da empresa, com visitas a propriedades que usavam práticas agroecológicas, que incentivaram o agricultor. “A gente passou a entender como plantar e preservar ao mesmo tempo. Minha esposa disse que eu dormi ‘veneneiro’ e acordei agroecológico”, conta o produtor. 

A mudança do cultivo convencional para o agroecológico já está rendendo bons frutos. O dinheiro pode não nascer em árvore, mas ela pode ajudar. Hoje, seu Valdir produz cerca de 70 variedades de frutas e hortaliças no sistema agroflorestal, que integra produção agrícola com o cultivo de florestas. Ele afirma que seu produto está mais valorizado e que vende por um preço bem melhor que antes. 

São trabalhos como o de seu Valdir que o Plano Safra vem incentivar e fortalecer. São recursos disponíveis para os milhares de agricultores familiares dispostos a produzir de forma sustentável. É o incentivo à produção de alimentos aliada à conservação ambiental. É a agricultura familiar abraçando a natureza e alimentando o Brasil.  

Portal agroecologia.gov

Outra iniciativa do governo que busca promover a produção sustentável de alimentos é o portal agroecologia.gov. O site é uma ferramenta de comunicação ligada à Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo) e funciona como monitoramento das ações do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), que destaca 194 inciativas, distribuídas em 30 metas e organizadas em seis eixos: produção; uso e conservação de recursos naturais; conhecimento; comercialização e consumo; terra e território; e sociobiodiversidade.

O portal tem o objetivo de sistematizar e veicular as ações do governo voltadas ao fomento e promoção da produção agroecológica e orgânica, da sociobiodiversidade, plantas medicinais e fitoterápicos. Raquel Martins ressalta que o site é uma ótima ferramenta para troca de experiências. “É uma demanda que a gente tinha. Precisávamos de um local para isso, para concentrar as atividades de todos os ministérios que estão envolvidos com a agroecologia e a produção orgânica e os integrantes da Câmara Interministerial de Agroecologia e Produção Orgânica (CIAPO).

No site, o produtor ainda encontra informações de programas, como o Pronaf Agroecologia e a certificação orgânica. Acesse aqui

Neste link é possível ler outras matérias sobre o Plano Safra da Agricultura Familiar 2017/2020. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink