Estiagem afeta Ernestina-RS desde 2019
CI
Imagem: FecoAgro RS/Divulgação
PREJUÍZO

Estiagem afeta Ernestina-RS desde 2019

A boa notícia é que para os próximos dias, a passagem de uma frente fria traz um pouco de chuvas para o estado
Por: -Aline Merladete

A falta de chuvas regulares segue baixando os níveis de água nos reservatórios que abastecem o consumo da população em Ernestina. A estiagem atinge a comunidade ernestinense desde 2019 e tem registrado perdas nas lavouras, mortandade de peixes na barragem da cidade e colocado em risco o abastecimento de água para consumo humano.

De acordo com as informações do jornal Diário da Manha, desde outubro do ano passado, a Barragem de Ernestina sofre com a estiagem que afeta os municípios banhados pelas águas e também o meio ambiente. O prefeito de Ernestina, Odir João Boehm, estima que o esvaziamento seja de 30% a 40%, resultado de seis meses de seca que criam um cenário preocupante. “O município fez um ofício, entrou em contato com a CEEE [Companhia Estadual de Energia Elétrica] que é responsável pela barragem, solicitando que eles fechassem as comportas justamente por estar morrendo muito peixe, a natureza está sofrendo, mas não houve êxito nisso. E a gente sabe que a CEEE está gerando energia e seria uma das saídas, mas se não chover até a primeira quinzena de maio, a situação vai piorar bastante”, relata Boehm.

Alguns fatores vêm inibindo a formação de chuvas no estado, principalmente a presença de bloqueios atmosféricos. Os bloqueios nada mais são do que áreas de alta pressão que podem permanecer na mesma região por vários dias ou mesmo semanas, causando às áreas afetadas a terem o mesmo tipo de tempo por um longo período.

A posição desses bloqueios mudaram o padrão de circulação da atmosfera, alterando o fluxo dos ventos conhecidos como jatos de baixos níveis (os famosos "rios flutuantes"). Fazendo com que a umidade da região amazônica não chegasse no sul do país.

Os bloqueios atmosféricos também impedem ou diminuem a intensidade da passagem de frentes frias, que são muito importantes para a distribuição das chuvas no sul do país. No período, observou-se também uma sequência de dias de calor intenso, também associados a esses bloqueios. Esse calor poderia favorecer a formação de nuvens de chuva, porém isso não aconteceu devido à baixa umidade sobre o estado.

A boa notícia é que para os próximos dias, a passagem de uma frente fria traz um pouco de chuvas para o estado. Mas apesar do alívio, não temos uma mudança significativa no cenário da estiagem. 


a


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink