Bula Amblymip - Promip

Bula Amblymip

Amblyseius tamatavensis
3620
Promip

Composição

Amblyseius tamatavensis 10 Ácaros/mL

Classificação

Terrestre
Inseticida biológico
Não Classificado
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Ácaros vivos
Inseticida biológico

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Calda Terrestre Dosagem
Bemisia tabaci (Mosca branca)

Tipo: Frasco
Material: Plástico, metálico, papelão, multifoliado
Capacidade: 0, - 5 kg
Tipo: Sachê
Material: Papel, plástico, TNT, aluminizado, multifoliado, hidrossolúvel
Capacidade: 0,05 - 2 kg.

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO

AMBLYMIP® (Amblyseius tamatavensis) é um agente biológico de controle utilizado no controle de mosca branca (Bemisia tabaci) em todas as culturas com ocorrência do alvo biológico. O produto permanece viável por 48 horas após o recebimento, se armazenado e transportado em temperaturas entre 8 e 10ºC.

NÚMERO, ÉPOCA, INTERVALO E MODO DE APLICAÇÃO

Deve-se liberar de 5 a 20 mL do produto comercial/m² (o mesmo que 50 a 200 ácaros predadores vivos), ou 50 a 200 litros do produto comercial/ha (o mesmo que 500 mil a 200 milhões de ácaros predadores vivos). As liberações de Amblymip® devem ser realizadas no início da infestação da mosca-branca (Bemisia tabaci) na cultura. Em caso de reinfestação nova liberação pode ser realizada após 14 a 21 dias. Ao receber os frascos recomenda-se que os mesmos sejam gentilmente agitados. Em seguida, seu conteúdo deve ser liberado na área tratada diretamente sobre as plantas, utilizando a dose recomendada.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não pertinente.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não pertinente.

INFORMAÇÕES REFERENTES A SUA COMPATIBILIDADE COM OUTROS PRODUTOS

Compatível com aplicação de inseticidas químicos seletivos a este organismo.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.

FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS

O produto não é fitotóxico para as culturas nas doses e condições recomendadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir na sistemática de inspeção ou monitoramento e controle de pragas, quando a infestação atingir o limite de prejuízo econômico, outros métodos de controle de pragas (ex.: controle cultural, biológico, rotação de inseticidas, acaricidas, etc.) visando o programa de Manejo Integrado de Pragas. O ácaro não desenvolve resistência ao seu próprio feromônio.

O ácaro Amblyseius tamatavensis em AMBLYMIP®, é um predador natural da mosca branca (Bemisia tabaci). Não são esperados casos de resistência. No entanto, boas práticas de manejo de resistência devem ser sempre seguidas para manter a eficácia e a longevidade de AMBLYMIP® como uma ferramenta útil no manejo de Bemisia tabaci. As aplicações de AMBLYMIP® devem ser sempre direcionadas no início da infestação da mosca-branca. AMBLYMIP® deve ser usado como parte de uma estratégia de manejo de resistência de pragas que inclua a rotação de produtos eficientes e com diferentes modos de ação. Sempre que disponíveis e eficazes, devem-se integrar múltiplos métodos de controle de B. tabaci (ex.: químico, biológico, cultural) dentro de programas de Manejo Integrado de Pragas (MIP). Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas - IRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI), visando prolongar a vida útil dos mesmos:
• Utilizar somente as doses recomendadas e não utilizar inseticidas com o mesmo modo de ação em gerações consecutivas da mesma praga.
• Consultar um Engenheiro Agrônomo para orientações mais detalhadas sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas.
• Visitar o site do IRAC (www.irac-online.org.br) para obter mais informações sobre o manejo de resistência de pragas a inseticidas.