Bula Anchor SC - UPL

Bula Anchor SC

CI
Carboxina + Tiram
1594
UPL

Composição

Tiram 66,7 g/L
Carboxina 66,7 g/L

Classificação

Tratamento de Sementes
Fungicida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Suspensão Concentrada (SC)
Contato, Sistêmico

Embalagem: 1 L.

INSTRUÇÕES DE USO

ANCHOR® SC é uma suspensão concentrada que contém o fungicida sistêmico (CARBOXINA) 66,7 g/L, e o fungicida de contato (TIRAM) 66,7 g/L, destinado ao tratamento de sementes. ANCHOR® SC dá uma maior proteção à semente durante os estádios susceptíveis da plântula, principalmente em condições desfavoráveis ao desenvolvimento da cultura. Por esta razão, ANCHOR® SC proporciona um aumento na porcentagem de germinação, velocidade de emergência e maior sanidade das plântulas.

MODO DE APLICAÇÃO / EQUIPAMENTOS

ANCHOR® SC é uma formulação especialmente desenvolvida para o tratamento direto na caixa de semeadeira, não sendo necessária a utilização de tambores rotativos e/ou equipamentos específicos para tratamento de sementes. ANCHOR® SC possui substâncias que promovem sua perfeita redistribuição junto às sementes, além de agentes fixadores de bactérias nitrificantes (inoculantes a base de óleo ou turfa). Não se recomenda adição de água no tratamento de sementes com ANCHOR® SC.
Para o tratamento na caixa de semeadeira:
1. Adicionar uma quantidade pré-deteminada de sementes.
2. Despejar em forma de filete um volume proporcional de ANCHOR® SC procurando distribuir de forma homogênea sobre a camada de sementes.
3. Mexer com um bastão até que uma coloração rósea indique a uniformidade do tratamento.
4. Proceder da mesma maneira na adição de inoculantes.
5. Remexer com um bastão.
6. Repetir estas operações até o enchimento da caixa. Não mexer as sementes com as mãos. Sementes inoculadas dever ser semeadas no mesmo dia do tratamento, não devendo ser armazenadas.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não se aplica por se tratar de tratamento de sementes.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não há necessidade de observância de intervalo de reentrada, desde que as pessoas estejam calçadas ao entrarem na área tratada (sulco de plantio).

LIMITAÇÕES DE USO

• A semente tratada deve ser usada unicamente para o plantio. Não pode ser usada como alimento, ração ou na produção de óleo.
• Aplique somente as doses recomendadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso sucessivo de fungicidas com mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento na população de fungos menos sensíveis a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto como consequência da resistência.
Como prática de manejo de resistência afim de evitar a seleção de fungos menos sensíveis ou resistentes aos fungicidas, seguem algumas recomendações:
- Na primeira pulverização posterior a emergência da cultura, fazer sempre que possível a alternância de
fungicidas com mecanismos de ação distinto do Grupo C2 para o controle do mesmo alvo, exceto as misturas prontas que contém na formulação fungicidas do grupo M03.
- Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO C2 FUNGICIDA
GRUPO M03 FUNGICIDA

O produto fungicida ANCHOR SC é composto por Carboxina e Tiram, que apresentam mecanismos de ação de Inibidores do complexo II: succinato-desidrogenase e de atividade de contato multissítio, pertencentes aos Grupos C2 e M03, respectivamente, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).

Thiram Técnico Flexsys registro nº 7809, ATO Nº 30, de 09/06/2014; DOU de 12/06/2014
Thiram Técnico Crompton registro nº 03006, ATO Nº 30, de 09/06/2014; DOU de 12/06/2014