Bula Arrow - Nortox

Bula Arrow

acessos
Triflurina
11707
Nortox

Composição

Trifluralina 450 g/L Dinitroanilina

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Seletivo, Sistêmico, Pré-emergência

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Arroz S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha;
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha;
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Feijão S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha;
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Milho S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha;
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1,2 a 2,4 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Aplicação no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo três dias após a última operação de manejo do solo para efetuação do plantio. Para solo arenoso (leve): 1,2 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 1,8 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 2,4 L p.c./ha
Soja S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim favorito
(Rhynchelytrum repens)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim massambará
(Sorghum halepense)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha;
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha; solo areno-argiloso (médio): 4,0 L p.c./ha; solo argiloso (pesado): 5,0 L p.c./ha
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 5 L p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Somente em solo arenoso (leve): 3,0 L p.c./ha;

Garrafa plástica para 1 L. Bujão de plástico para 5; 10 e 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO:
Arrow é um herbicida seletivo, pré-emergente, apresentado na formulação concentrado emulsionável. Sua aplicação é feita através de pulverização após o plantio, em pré-emergência das plantas daninhas e das culturas para as quais é indicada, até o máximo de três dias após a ultima operação de manejo de solo para efetuação do plantio, proporcionando assim perfeito controle de plantas daninhas de ciclo anual e perene, principalmente gramíneas.

CULTURAS:
É indicado para as culturas de Feijão, Milho e Soja tanto no sistema de plantio direto como no convencional. É recomendado também para a cultura do Algodão quando se tratar apenas de plantio convencional.

CULTURAS, PLANTAS DANINHAS E DOSE*:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

(*) Para Plantio Convencional de Algodão, Feijão, Milho e Soja, as doses são as seguintes:
a) Solo arenoso (leve): 1,2 L/ha;
b) Solo areno-argiloso (médio): 1,8 L/ha;
c) Solo argiloso (pesado): 2,4 L/ha.

Para Plantio Direto de Feijão, Milho e Soja, as doses são as seguintes:
a) Solo arenoso (leve): 3,0 L/ha;
b) Solo areno-argiloso (médio): 4,0 L/ha;
c) Solo argiloso (pesado): 5,0 L/ha.

Nota: 1,2; 1,8; 2,4; 3,0; 4,0 e 5,0 L/ha eqüivale respectivamente a 540; 810; 1080; 1350; 1800 e 2250 g i.a./ha

MODO DE APLICAÇÃO:
Arrow é um concentrado emulsionável em água nas concentrações indicadas para ser aplicada no solo, em pré-emergência das plantas daninhas e da cultura, sem incorporação, imediatamente após o plantio da cultura e até no máximo 03 (três) dias após a ultima operação de manejo do solo para efetuação do plantio, período este em que as sementes tanto das plantas daninhas como da planta econômica ainda não germinaram. Na aplicação utiliza-se de 200 a 400 L/ha de calda, sendo que a vazão maior é indicada para o sistema de plantio direto.

Para se obter uma distribuição uniforme de Arrow sobre a área a ser cultivada, recomenda-se utilizar pulverizadores de barra, equipados com bicos de jato em leque 80.02, 80.03, 80.04 ou similar, distanciados 50 cm entre si. Em relação ao solo, a altura para execução da pulverização deve ser mantida entre 50 a 60 cm. Os bicos regulados à pressão de 30 a 40 libras/pol2 proporcionam densidade de 12 gotas / cm² com tamanho de 200 a 300 micra.

Evitar aplicação do produto na presença de ventos fortes (acima de 10 km/h), nas horas mais quentes do dia (acima de 30ºC) e umidade do ar abaixo de 50%. A critério do Técnico responsável as condições de aplicação poderão ser alteradas.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Período de carência não determinado devido à modalidade de emprego, plantio direto e quebra de dormência.

LIMITAÇÕES DE USO:
• Não há evidência de fitotoxicidade para as culturas de algodão, cana-de-açúcar, feijão, milho e soja quando usada as doses recomendadas. Com relação à cultura de arroz pode ocorrer fitotoxicidade inicial de leve a moderada ao sistema radicular, com recuperação da cultura após 30 dias da aplicação.
• Não aplicar o produto em solo seco, uma vez que a umidade condiciona a uma melhor ativação do produto.

DADOS RELATIVOS A PROTEÇAO DA SAUDE HUMANA
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO ESTAS INSTRUÇÕES. PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

2.1- PRECAUÇÕES GERAIS
- Produto para uso exclusivamente agrícola
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto com as mãos desprotegidas. Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados. Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
-Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais , pessoas.

2.2- PRECAUÇÕES NO MANUSEIO
-PRODUTO IRRITANTE OCULAR. Se houver contato do 'produto com os olhos, lave-o imediatamente com água corrente e SIGA AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIRO: SOCORROS.
Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e SIGA AS ORIENTAÇÕE: DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente com água corrente e sabão, e SIGi AS ORIENTAÇÕES DESCRITAS EM PRIMEIROS SOCORROS.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
-Utilize equipamento de proteção individual — EPI: luvas e botas de borracha, macacão d, algodão e avental impermeáveis com mangas compridas passando por cima do punho da luvas e as pernas das calças por cima das botas, óculos de proteção, touca árabe e mãscar descartável para vapores orgânicos cobrindo nariz e boca.

2.3- PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
-Evite ao máximo possível o contato com a área de aplicação.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
-Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de seguranç (intervalo de tempo entre a última aplicação e a colheita).
-Utilize equipamento de proteção individual — EPI: luvas e botas de borracha, macacão d, algodão impermeável com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e a pernas das calças por cima das botas, óculos de proteção, touca árabe, máscara descartávE para vapores orgânicos, cobrindo nariz e boca.

2.4- PRECAUÇÕES APÕS A APLICAÇÃO
-Não reutilize a embalagem vazia.
-Não entre na área tratada com o produto até o témiino do período de reentrada (24 h).
-Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original, er local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
-Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilize luvas e avental impermeáveis.
-Faça a manutenção dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
-Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de aplicação longe de fontes d'água.
-Fique atento ao período de vida útil dos filtros respiratórios, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
-No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual — luvas e
botas de borracha, macacão de algodão impermeável com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas.

2.5- PRIMEIROS SOCORROS: procure logo o serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.
Ingestão: não provoque vômito.
Olhos: lave com água em abundância durante 15 minutos. PRODUTO IRRITANTE OCULAR. Pele: lave com água e sabão em abundância.
Inalação: transporte o intoxicado para local arejado.
Se o acidentado parar de respirar, faça imediatamente respiração artificial e providenci, assistência médica de urgência.
ANTÍDOTO: NÃO EXISTE ANTÍDOTO PARA TRIFLURALINA.

INTOXICAÇÕES POR TRIFLURALINA
Informações Médicas

Grupo químico: Dinitroanilina

Classe Toxicológica: Classe I — Extremamente Tóxico

Vias de absorção: Inalatória, oral, dérmica e mucosa.

Sintomas e sinais clínicos: As manifestações clínicas decorrentes da exposição são diretamente proporcionais à concentração e à quantidade do produto, assim como ao , tempo de exposição do organismo à Trifluralina.
Intoxicação Aguda:
Em casos de INGESTÃO podem ocorrer náusea e desconforto intestinal. Sinais de lesões hepáticas e renais. Em casos de exposição CUTÂNEA podem ocorrer dermatite de contato (eritema, queimação, prurido e vesículas). O quadro pode ser agravado por uma infecção bacteriana secundária.
Exposição OCULAR pode resultar em severa irritação local.
Em casos de exposição RESPIRATÓRIA pode ocorrer irritação da boca, garganta e pulmões. Em caso de aspiração: pneumonia química. Intoxicação Crônica:
Exposição CUTÂNEA prolongada e repetida pode causar dermatite alérgica.

Metabolismo e Toxicocinética: É pouco absorvido por via oral, inalatória e dérmica. A fração absorvida é o depositada principalmente no fígado, rins, baço e pulmões. A metabolização é hepática, por meio de reações de N-desalquilação, redução, hidroxilação, ciclização e conjugação. É eliminado e principalmente na urina e fezes.

Diagnóstico: O diagnóstico é estabelecido pela confirmação da exposição e pela ocorrência de quadro clínico compatível.

Tratamento: O tratamento das intoxicações por Trifluralina é basicamente sintomático e deve ser implementado paralelamente às medidas de descontaminação' os efeitos locais. Não existe antídoto e, por não se tratar de produto organofosforado ou carbamato, não deve ser empregado atropina. Descontaminação:
Durante a descontaminação, usar luvas e avental impermeável.
1.Remover roupas e acessórios e lavar a pele (incluindo pregas, cavidades, orifícios) e os cabelos com água fria abundante e sabão.
2.Em exposição ocular, irrigar abundantemente com soro fisiológico ou água, por no mínimo 15 minutos, evitando contato com a pele e mucosas.
3.Em caso de ingestão é necessário considerar o volume e a
concentração da solução ingerida, assim como o tempo transcorrido até o atendimento. Ingestão recente (menos de 4 horas): fazer lavagem gástrica e administrar carvão ativado na proporção de 50-100 g em adultos, de 25-50 g em crianças de 1-
12 anos e de 1 g/Kg em menores de 1 ano. O carvão ativado deve ser diluído em água, na proporção de 30 g para 240 mL de água.
Atentar para nível de consciência e proteger vias aéreas do risco de aspiração.
4.Em caso de exposição respiratória, colocar a vítima em local ventilado.
Suporte e tratamento sintomático: manter vias aéreas desobstruídas, aspirar secreções e oxigenar. Observar atentamente ocorrência de insuficiência res iratória.

Contra-indicações: O vômito e contra-indicado em razão do risco de aspiração.

ATENÇÃO: As Intoxicações por Agrotóxicos estão incluídas entre as Enfermidades de Notificação Compulsória. Comunique o caso e obtenha informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento através dos
TELEFONES DE EMERGENCIA PARA INFORMAÇÕES MÉDICAS:
Disque-Intoxicações (Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica - RENACIAT): 0800 722 6001

2.6- Mecanismos de ação, absorção e excreção para animais de laboratório:
-Mecanismo de Ação: Não foi perfeitamente caracterizado pelas informações disponíveis na literatura consultada.
-Mecanismos de Absorção e Excreção: Os resultados obtidos com roedores em laboratório, sugerem que em humanos, a Trifluralina não é absorvida pela pele (< 1%) ou pelo sistema gastrintestinal após ingestão. O produto é metabolizado completamente e excretado pelas fezes e pela urina em menos de 3 dias. Aproximadamente 80% da dose administrada foi eliminada nas fezes e o restante na urina.

2.7- Efeitos agudos e crônicos para animais de laboratório:
-Efeitos Agudos: A ocorrência de irritações na pele, olhos e mucosas, inclusive a respiratória, bem como dores de cabeça, tonturas e vômitos, associadas à confirmação de exposição ao produto, indicam intoxicação. A ingestão de doses altas podem acarretar lesões em órgãos onde o produto é metabolizado (fígado) e em órgãos de excreção (rins). Eventualmente depressão no sistema nervoso central.

- Efeitos Crônicos: Exposição a longo prazo pode ocasionar nefrotoxidade, "quê leva a formação de cálculos renais, aumentos em hiperplasia do epitélio da pélvis e nefrose progressiva crônica. Estudos em ratos demonstram alterações hemolíticas por provável disfunção renal. Em fêmeas, houve aumento dos rins e do peso das glândulas supra-renais. Observou-se alterações tireodeanas que também parecem estar relacionadas com a disfunção renal, devido a alterações dos níveis de iodo e distúrbios metabólicos.

2.8- INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
24 horas após a aplicação. Caso haja necessidade de reentrar nas lavouras ou áreas tratadas antes deste período, usar macacão de mangas compridas, luvas e botas.

1 - PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II).

- Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Este produto é ALTAMENTE BIOCONCENTRÁVEL em peixes.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
- Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamento com vazamentos.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. - Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
- A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
2 - INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos,
bebidas, rações ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. - O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.

- Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR Associação Brasileira de Normas Técnicas — ABNT.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

3 - INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a Empresa NORTOX S.A., telefone de emergência: (0xx43) 252.0122.
- Utilize equipamentos de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores).
- Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
. Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, contate a empresa registrante, para que a mesma faça o recolhimento. Lave o local com grande quantidade de água;
. Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima;
. Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
- Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.
4 - PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
LAVAGEM DA EMBALAGEM
Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI's — Equipamentos de Proteção Individual — recomendados para o preparo da calda do produto.
• Tríplice Lavagem (Lavagem Manual):
Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:
- Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos;
- Adicione água limpa à embalagem até % do seu volume; - Tampe bem a embalagem e agite-a, por 30 segundos;
- Despeje a água de lavagem no tanque pulverizador; - Faça esta operação três vezes;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

• Lavagem sob Pressão: Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos
- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador
- Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
- Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo. Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos:
- Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
- Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador; - Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem Sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, a devolução deverá ocorrer até o fim do seu prazo de validade.
- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.
- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO
EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃOINADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tomar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em forno destinado para este tipo de operação, equipado com câmara de lavagem de gases efluentes e aprovado por órgão ambiental competente.
TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes.
Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrada para cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não há casos de incompatibilidade