Bula Assist - Basf

Bula Assist

Óleo mineral
1938789
Basf

Composição

Óleo mineral 756 g/L

Classificação

Acaricida, Inseticida
IV - Produto Pouco Tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Abacate

Saissetia hemisphaerica (Cochonilha parda)

Café

Coccus viridis (Cochonilha verde)
Saissetia hemisphaerica (Cochonilha parda)

Citros

Aleurothrixus floccosus (Mosca branca)
Chrysomphalus ficus (Cochonilha cabeça de prego)
Coccus viridis (Cochonilha verde)
Lepidosaphes beckii (Cochonilha escama vírgula)
Planococcus citri (Cochonilha branca)
Saissetia coffeae (Cochonilha parda)

Maçã

Pseudaulacaspis pentagona (Cochonilha do lenho)

Pera

Pseudaulacaspis pentagona (Cochonilha do lenho)

Pêssego

Pseudaulacaspis pentagona (Cochonilha do lenho)

Baldes de aço: 20 litros. Tambores de aço: 50; 100 e 200 litros. Latas de flandres: 1 e 5 litros. Polietileno: 1; 5; 20; 50; 100 e 200 litros. Aço carbono: 5000; 10000 e 15000 litros. Contentor plástico em polietileno: 1000 litros. Contentor metálico em aço c/ saco plástico interno de polietileno: 1000 litros.

INSTRUÇÕES DE USO: CULTURAS/PRAGAS:
Assist, inseticida e acaricida, impede a respiração normal das pragas quando recobre seus corpos.
DOSE:
• Café:
- 20 L/ha em temperatura baixa (inverno), menor que 25ºC. - 10 L/ha em temperatura alta (verão), maior que 25? C.
• Para as frutíferas que permanecem enfolhadas durante todo o ano, como citros e abacate:
- Temperatura baixa (inverno), menor que 25ºC: 2,0 litros de Assist® em 100 L de água.
- Temperatura alta (verão), maior que 25ºC: 1,0 litro de Assist® em 100 L de água. Em temperaturas baixas, a atividade fisiológica das pragas diminui, havendo, portanto, necessidade de uma dose maior de óleo.
• Para as culturas que perdem as folhas, num período de descanso anual, como as frutíferas de clima temperado, recomenda-se apenas o tratamento durante esse período:
- 2,0 litros de Assist® em 100 litros d’água. O volume de calda por planta ou por hectare varia conforme o porte e número de plantas por área. Volume de calda recomendado para tratamento com alto-volume, para dar boa cobertura às plantas:
• Café, Maçã, Pêra e Pêssego: - 1.000 - 1.500 litros/ha.
• Citros e Abacate: - 2.000 litros/ha.
NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Efetuar o tratamento quando, pela intensidade do ataque das pragas, possa haver dano econômico. Repetir o tratamento quando houver reinfestação da praga, em nível de dano econômico.
MODO DE APLICAÇÃO:
Misturar o produto nos volumes adequados de água e aplicar de forma a dar plena cobertura, até o nível de escorrimento sobre todas as partes das plantas onde se localizam as infestações.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Sem restrições.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Considerando-se baixa toxicidade do produto, pode-se entrar novamente na lavoura 24 horas após a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Estando as plantas enfolhadas ou brotadas, não efetuar o tratamento nas horas de temperatura elevada. Não tratar as plantas quando as folhas estiverem desidratadas (murchas).
Fitotoxicidade para as culturas recomendadas: Fitotoxidade ausente para as culturas indicadas, nas doses e condições especificadas.
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
• Pulverizador costal manual equipado com bico cone tipo “D”, ou similar.
• Atomizador costal motorizado.
• Atomizador tratorizado com cortina de ar, equipado com bico cone tipo “D”, ou similar.
• Pulverizador tratorizado equipado com pistola.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de pragas (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

Qualquer agente de controle de pragas pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRACBR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas e acaricidas:
• Qualquer produto para controle de pragas da mesma classe ou de mesmo modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
• Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência;
• Incluir outros métodos de controle de pragas (ex. controle cultural, biológico, etc.)