Bula Attic

acessos
Iprodiona
15408
FMC - Campinas

Composição

Iprodiona 500 g/L Dicarboximida

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato

Cevada Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Drechslera teres)
60 a 100 mL p.c./ha 500 mL de calda/100 kg de sementes - Realizar uma aplicação em tratamento de semente. Não determinado. Tratamento de sementes
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Brusone
(Pyricularia grisea)
100 mL p.c./ha 500 mL de calda/100 kg de sementes - Realizar uma aplicação em tratamento de semente. Não determinado. Tratamento de sementes
Mancha marrom
(Bipolaris sorokiniana)
60 a 100 mL p.c./ha 500 mL de calda/100 kg de sementes - Realizar uma aplicação em trtamento de semente. Não determinado. Tratamento de sementes

Fraco- PEAD: 0,25L, 0,3L, 0,5L, 1L, 1,5L, 2L, 2,5L, 3L;
Bombona- plástico; PEAD; COEX;PET: 5, 10, 20, 25, 50L;
Tambor- PEAD: 100, 200, 250, 500, 1.000, 2.000, 2.500, 5.000L;
Tanque container estruturado- Aço inox com proteção anticorrosiva: 10.000, 15.000, 20.000, 23.000, 25.000 L.
BAG IN BOX- fibra de papel com bolsa plástica: 1; 5; 10; 20; 1000; 1250 L
Bulk- COEX; PEAD; PET; metal/plastico com pallet de madeira; metal/plastico com pallet de plastico; metal/plastico com pallet de metal; ferro revestido com resina epóxi; plastico com estrutura metálica: 500; 1000; 2000; 3000; 4000; 5000; 10.000 L
Farm-pack e Container- COEX; PEAD; PET; metálico; metal/plastico com pallet de madeira; metal/plastico com pallet de plastico; metal/plastico com pallet de metal; plastico com estrutura metálica:100; 200; 300; 400; 500; 945; 1000 L
Contentor intermediário (IBC)- COEX; PEAD; PET; plastico com estrutura metálica: 100; 200; 300; 400; 500; 945; 1000 L
Frasco- polietileno; COEX; PET; plastico: 0,1; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1; 1,5; 2; 2,5; 3; 5 L
Isocontainer e Isotanque- COEX; PEAD; metálico; aço: 100; 200; 300; 400; 500; 945; 1000; 5000; 10.000; 20.000; 25.000; 30.000 L
Mini bulk- COEX; PEAD; PET; metálico; metal/plastico com pallet de madeira; metal/plastico com pallet de plastico; metal/plastico com pallet de metal; plastico com estrutura metálica; ferro revestido com resina epóxi:100; 200; 300; 400; 500 L
Stand up pouch com tampa- polietileno; COEX; PEAD; PET; plástico; poly-nylon: 0,1; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1; 1,5; 2; 2,5; 3; 5 L
Tambor- polietileno; Papelão; COEX; PET; metálico; ferro revestido com resina epóxi; poly-nylon: 0,1; 0,2; 0,25; 5; 10; 20; 25; 50; 100; 200; 300; 400 L

INSTRUÇÕES DE USO:
Attic é um fungicida exclusivo para o tratamento de semente nas culturas de cevada e trigo.
Utilizar as maiores doses em cultivares mais suscetíveis e em sementes com maior percentual de infecção.
Para o controle de Brusone (Pyricularia grisea) via tratamento de sementes, utilizar sementes com no máximo 9% de infecção com este fungo.

NÚMERO, ÉPOCA E INTEVALO DE APLICAÇÃO:
Em tratamento de sementes antes da semeadura em uma única aplicação.

MODO DE APLICAÇÃO:
O tratamento de sementes pode ser efetuado em tambores rotativos ou em máquinas específicas até que haja uma perfeita distribuição da calda fungicida sobre as sementes. O tratamento é feito via úmida, diluindo-se a dose recomendada do fungicida em um volume que não exceda 500 ml de calda por 100 kg de sementes. No caso particular dos tambores rotativos, proceder a mistura durante 3 minutos, para que ocorra uma perfeita uniformização do fungicida sobre a superfície das sementes. Maquinas de tratamento de sementes: verificar o rendimento do equipamento e colocar a calda pronta no reservatório, calibrar a máquina e efetuar o tratamento. Após o tratamento deixar as sementes secarem a sombra e proceder a semeadura. As sementes tratadas deverão ser semeadas em solo úmido que garanta germinação e emergência uniformes. Obedecer as recomendações oficiais de profundidade de semeadura.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Intervalo de segurança não determinado evido a modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não há necessidade de observancia de intervalo de reentrada devido a modalidade de emprego, desde que as pessoas estejam calçadas ao entrarem na área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO:
O tratamento deverá ser efetuado em local arejado e especifico para esse fim. Utilizar somente sementes limpas (livres de poeira e impurezas) e de boa qualidade (alto poder germinativo e bom vigor). Sementes tratadas não podem ser utilizadas para alimentação humana ou animal. Não deixar sementes tratadas expostas sobre o solo.

FITOXICIDADE PARA A CULTURA INDICADA:
O produto não e fitotóxico para a culturas de cevada e trigo nas doses e condições recomendadas.

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS:
Não há.

DADOS RELATIVOS A PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES
PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.
PRECAUÇÕES GERAIS:

Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, máscara, óculos e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI's) danificados. Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médido de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas, botas de borracha; óculos, máscara descartável cobrindo nariz e boca e luvas de borracha).
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
Evite o máximo possível, o contato com a área tratada.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas, botas de borracha; óculos, máscara descartável cobrindo nariz e boca e luvas de borracha).

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPls), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: óculos, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
Não reutilize a embalagem vazia.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas, luvas/botas de borracha).

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço medido de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.

Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não de nada para beber ou comer.

Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.

Pele: Em caso de contrato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.

Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve a pessoa para um ventilado.

GRUPO QUÍMICO:
DICARBOXIMIDA

CLASSE TOXICOLÓGICA:
III - MEDIAMENTE TÓXICO

VIAS DE EXPOSIÇÃO:
ORAL, INALATÓRIA E DÉRMICA

TOXICOCINÉTICA:
Após a administração em dose única de Iprodiona por via oral,
o material radiomarcado foi rapidamente absorvido.
A meia vida de eliminação de radioatividade do sangue foi 8,9 ± 1,5 horas para machos e 6,9 ± 1,7 horas para fêmeas, quando administrado uma dose única de Iprodiona a 50 mg/kg. Com a maior dosagem de 900 mg/kg, a meia vida de eliminação do sangue para machos foi de 19,8 ± 3,8 horas e para fêmeas 12,5 ± 3,0 horas.
A distribuição de radioatividade nos órgãos e tecidos de material radiomarcado foi extensiva, mas baixa.
A excreção foi similar entre machos e fêmeas, baixa e altas doses e entre dose única e doses repetidas.

MECANISMOS DE TOXICIDADE:
Os mecanismos de toxicidade em humanos não são conhecidos.
Os fungicidas do grupo dicarboximida ligam-se aos receptores de androgênio e bloqueiam a expressão gênica induzida pelo androgênio in vitro e in vivo. Essa classe exibe afinidade baixa a moderada aos receptores de androgênios e atuam como antagonista tipo I.
Os fungicidas do grupo dicarboximida são disruptores endócrinos que se ligam ao receptor androgênio em mamíferos. A toxicidade e baixa ou improvável após ingestão aguda e/ou inalação.
Exposição crônica: em altas doses pode resultar em efeitos antiandrogênios, similares aqueles causados pela Flutamida, embora nenhum caso em seres humanos tenha sido reportado.

SINTOMAS E SINAIS CLÍNICOS:
Os perfis hormonais anormais podem teoricamente ocorrer nos homens e nas mulheres após exposições tóxicas prolongadas aos fungicidas do grupo dicarboximida (agentes antiandrogênios). Nos homens, as mudanças hormonais podem incluir: espermatogênese diminuída, hormônio luteinizante (LH) aumentado, hormônio folículo estimulante (FSH) aumentado e concentrações de testosterona aumentada, tamanho testicular diminuído e ginecomastia. Nas mulheres, urn aumento no hormônio sexual ligado a globulina e
no hormônio folículo estimulante FSH, um aumento no nível de testosterona, ginecomastia, galactorréia e prurido na mama.
Os fungicidas do grupo dicarboximida são tóxicos para os testiculos em animais experimentais e em humanos. Eles revelam ser carcinogênicos em animais experimentais. Esse grupo químico pode induzir a mal formação do sistema reprodutivo em fetos machos expostos. Estudos em roedores mostraram que a exposição pré-natal resulta em desmasculinização do sistema reprodutor na prole masculina.
Exposição pré-puberdade atrasa a puberdade e retarda o crescimento das glândulas acessórias em rates machos. As fêmeas igualmente tratadas mostram somente efeitos mínimos.

MUCOSAS: Os fungicidas do grupo dicarboximida são fracamente irritantes da membrana mucosa e podem causar irritação das narinas e garganta após contato.

GENITURINÁRIO:
As exposições significativas podem resultar em efeitos de hipergonadismo, embora nenhum caso em seres humanos seja relatado.

REPRODUTIVO:
Devido ao mecanisme de ação de disruptores endócrinos, espera-se que as exposições humanas tóxicas possam resultar em alterações antiandrogênicas no sistema reprodutivo. A exposição pré-natal pode ser responsável por reduzir a contagem dos espermatozóides em humanos e aumentar a incidência de hipospadias e "undescended testis" - testículos que não desceram.

DIAGNÓSTICO:
O diagnóstico e estabelecido pela confirmação da exposição e
ela ocorrência de quadro clínico comatível.

TRATAMENTO:
Não existe antídoto ou antagonista específico para o fungicida Iprodiona. O tratamento médico e sintomático. Medidas terapêuticas imediatas devem ser tomadas para reduzir ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto e intensificar sua eliminação. Analise os sinais vitais e as funções, monitorando o estado cardiaco; a temperatura corpórea e o estado mental. O tratamento deve ser baseado nos achados clínicos. A toxicidade e mínima. O principal efeito clínico previsto e um efeito antiandrogênico que deve ser monitorado em todos os casos de exposição.

EXPOSICAO ORAL
Não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não de nada para beber ou comer. Administre o carvão ativado como uma pasta:
A) ADULTO: 25 a 100g de carvão em 240mL de água.
B) CRIANÇAS (1 a 12 anos): 25 a 50g de carvão em 240mL de água.
Corrija os distúrbios hidroeletrolíticos e metabólicos.

Monitore as funções renais e hepática.
EXPOSIÇÃO INALATÓRIA
Administre oxigênio umidificado.
EXPOSIÇÃO OFTÁLMICA
Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre outro olho.

EXPOSIÇÃO DÉRMICA
Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
As reações podem requerer o tratamento com antiinflamatórios tópicos.

TESTES LABORATORIAIS
O monitoramento para todas as exposições ao grupo dicarboximida e baseado na determinação dos metabó1itos urinários que contem a 3,5 dicloroanilina (3,5 - DCA). O 3,5 DCA e um marcador para a exposição a estes fungicidas. Execute os testes de função hepatica e renal, de oximetria e radiografia da caixa toracica.
Faça eletrocardiograma para avaliar arritmia, taquicardia, ou a prorrogação do intervalo.
O conteúdo do sangue, da urina e gástrico são amostras analíticas otenciais e devem ser a roveitadas.

CONTRA-INDICAÇÕES:
A indução do vômito e contra-indicada em razão do risco de aspiração e de pneumonite química.

ATENÇÃO:
Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistencia Toxicológica
RENACIAT - ANVISAIMS
Notifique ao sistema de informaçãoo de agravos de notificaçãoo (SINAN / MS)
Telefone de Emergência da empresa: 0800-7010450

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO AMBIENTAL DO MEIO AMBIENTE:

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

ESTE PRODUTO É:
PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III)

Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas.
Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
A construção deve ser de alvenaria ou de material nao combustível.
O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente criançaas. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
Isole e sinalize a área contaminada.
Contate as autoridades locais competentes e a Empresa BAYER CROPSCIENCE LTDA. - telefone de emergência: 0800-243334.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara com filtros).
Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado - absorva o produto com serragem ou áreia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não devera mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.

Solo - retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.

Corpos d'água - interrompa imediatamente a captação para o consumo humane ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incendio, use extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLlNA, CO2 OU PÓ QUÍMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGEM RÍGIDA NÃO LAVÁVEL
ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem.
Essa emabalagem deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quanto existente, separadamente das embalagens lavadas.

DEVOLUÇÃO DA EMABALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, e obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no até da compra.
Caso o produto não tenha side totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, sera facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.
Embalagens - SACARIAS - utilizadas para acondicionar as sementes tratadas com Attic.
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER UTILIZADAS PARA OUTROS FINS.
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER LAVADAS.

ARMAZENAMENTO DA EMABALAEGNS VAZIAS.
O armazenamento das embalagens - SACARIAS - vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde estão guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem - SACARIA.
As embalagens - SACARIAS - vazias devem ser armazenadas separadamente das lavadas, em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas - modele ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA)
ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.
EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE, DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS:
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU DESUSO:
Caso este produto venha a se tomar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto e feita através de incineração em fomos destinados para este tipo de operação, equipados com câmeras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte esta sujeito as regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ORGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os principios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. 0 Comite Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estrategias de manejo de resistência visando prolongar a vida util dos fungicidas:
• Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
• Sempre consultar um Engenheiro Agronomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.