Bula Bovemax EC - Novozymes

Bula Bovemax EC

CI
Beauveria bassiana isolado CG 716
13311
Novozymes

Composição

Beauveria bassiana isolado CG 716 30 g/L

Classificação

Terrestre
Inseticida microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Café

Calda Terrestre Dosagem
Hypothenemus hampei (Broca do café)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Diaphorina citri (Psilideo)

Erva-mate

Calda Terrestre Dosagem
Hedypathes betulinus (Broca-da-erva-mate)

Potes de plástico - 0,1; 0,5; 1,0; 5,0 e 20 Litros.

INSTRUÇÕES DE USO

BOVEMAX EC é um inseticida microbiológico de contato indicado via aplicação foliar para o controle da broca-do-café (Hypothenemus hampei) e psilídeo (Diaphorina citri), e direcionado ao tronco da planta onde o inseto oviposita para o controle da broca da erva-mate (Hedypathes betulinus).
Produto com eficiência agronômica comprovada nas culturas de erva-mate, café e citros, podendo ser utilizado em qualquer cultura com ocorrência dos alvos biológicos.

MODO DE APLICAÇÃO

Diluir a dose recomendada de BOVEMAX EC em água para cada situação. A calda deve permanecer em agitação para homogeneidade do ingrediente ativo.
Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente no final da tarde ou à noite, em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições a exposição dos conídios (esporos) do fungo à radiação UV do sol é menor.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não definido devido à natureza microbiológica do ingrediente ativo.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entrar na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 4 horas após a aplicação). Caso necessite entrar na área antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.
Para beneficiar a atuação do BOVEMAX EC, protegendo o patógeno dos fatores climáticos e melhorando as condições microclimáticas, são recomendadas as seguintes práticas culturais:
- Os usos deste produto estão restritos aos indicados em rótulo e bula;
- Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas;
- Aplicar o produto em temperatura entre 20 e 30ºC e umidade relativa acima de 60%;
- Após a aplicação evitar a prática de limpeza mecânica ou química de plantas daninhas, pois quando intensamente praticadas diminuem o inóculo;
- Fazer manutenção da cobertura verde entre as linhas do erval, propiciando condições ideais para o desenvolvimento e persistência do fungo;
- Evitar a aplicação em ervais podados, pois as folhas protegem o fungo dos efeitos deletérios da incidência solar;
- Conservar o produto em geladeira ou em lugar fresco e arejado, nunca deixar o produto exposto ao sol.
- Agitar o frasco durante 3 minutos antes de diluí-lo na água;
- Lavar bem o pulverizador antes de usá-lo ou de preferência utilizar um novo sem resíduos de agroquímicos;
- Iniciar a pulverização logo após o preparo da calda, nunca deixar a calda pronta para aplicar no outro dia;
- Não aplicar em período de chuvas intensas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência.
O uso repetido do BOVEMAX EC ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do BOVEMAX EC como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
- Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
- Aplicações sucessivas de BOVEMAX EC podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
- Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas.
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do BOVEMAX EC ou outros produtos quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).