Bula Cultar 250 SC

acessos
Paclobutrazol
7900
Syngenta

Composição

Paclobutrazol 250 g/L Triazol

Classificação

Regulador de crescimento
IV - Pouco tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Não Classificado
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
2 a 6 ml/m de diâmetro da copa da ár - - Aplicar diluído em 1 ou 2 litros de água antes da aplicação, 90 a 120 dias antes da quebra de dormência. Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego. Aplicar diluído em 1 ou 2 litros de água antes da aplicação, 90 a 120 dias antes da quebra de dormência
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
0,67 a 2,67 mL p.c./100 kg de sementes 0,9 a 1,2 mL de calda/100 kg de sementes - Uma aplicação. Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego. Tratamento de semente, diluir o produto na dose recomendada em água até completar o volume de calda desejado, suficiente para tratar a quantidade de sementes desejada

Frascos tipo PET de 0,5 L e 1,0 L.
Bombonas de polietileno de 3,0 ; 5,0 e 10,0 L.
Balde de polietileno de 20 L.
Tambores de aço de 100, 200 e 220 L.
Frasco plástico de 0,1, 0,25, 0,5, 1, 1,5, 2,0 L.
Tambor de ferro de 180 e 200 L para uso industrial.
Lata metálica 0,25, 0,5, 1, 1,5, 2, 5 L
Bombona plástica 5, 10, 15, 20, 25, 100, 180, 200, 220 L
Balde metálico 5, 10, 15, 20, 25 L
Tambor metálico/plástico 100, 180, 200, 220 L
Tambor fibra celulósica 5, 10, 15, 20, 25, 100, 180, 200, 220 L
IBC plástico 500, 600, 750, 1000 L
Tanque plástico/metálico 5000 e 20000 L
Bag in box plástico/papelão 5, 10, 15, 20, 100, 180, 200, 220, 500 e 1000 L

INSTRUÇÕES DE USO:

CULTAR 250 SC contém PACLOBUTRAZOL, um fitorregulador, que atua inibindo a síntese de giberelinas, produzindo uma diminuição do crescimento vegetativo. O benefício advindo do uso do produto manifesta-se numa folhagem mais equilibrada e na redução de crescimento vegetativo e podas. Eventualmente, efeitos na qualidade de frutos (cores, tamanhos, maturação e produção) também podem ser observados. No cultivo da manga, juntamente com boas práticas culturais, pode estimular e adiantar a floração. A absorção de CULTAR 250 SC aplicado ao solo (mais eficiente) é feita através das raízes, sendo transportado pelo xilema até os pontos de crescimento vegetativo.

NÚMERO, INÍCIO, ÉPOCA E INTERVALOS DE APLICAÇÃO:
MANGA:
Aplicar na pós-colheita depois da poda e quando o 2º fluxo de brotação já estiver totalmente expandido. Após cerca de 90 a 120 dias da aplicação, as plantas começam a apresentar ramos sem brotação ou vegetação nova, ou folhagem verde-escura, podendo ocorrer floração espontânea, dependendo da época. Nos anos seguintes, de acordo com a resposta de redução de crescimento vegetativo, será determinado, a critério do Técnico responsável, a necessidade de aplicação ou não.
-Recomendações:
Recomenda-se aplicar CULTAR 250 SC em árvores em idade de produção durante a época de crescimento e desenvolvimento vegetativo, depois da poda e adubação, aplicando o produto na base ou ao redor do tronco, tendo o cuidado de se eliminar as plantas daninhas e a folhagem para assegurar que o produto se deposite diretamente onde há maior concentração de raízes. Após 90 a 120 dias da aplicação de CULTAR 250 SC, recomenda-se a prática de quebra de dormência com pulverização de nitrato de potássio (KNO3) a 4%.

Tratamento de sementes:
TOMATE – Tratamento industrial de sementes
Diluir o produto na dose recomendada em água até completar o volume de calda desejado, suficiente para tratar a quantidade de sementes desejada, conforme instruções a seguir:

Volume de calda recomendado:
0,9 a 1,2 mL de calda para 1000 sementes. (Multiplicar o volume de acordo com a quantidade de semente a ser tratada).

Instruções para preparo da calda:
Passo 1 - colocar a quantidade de produto desejada em um recipiente próprio para o preparo da calda (ex: copo béquer);
Passo 2 - colocar parte da água desejada gradativamente, misturando e formando uma mistura homogênea;
Passo 3 - completar com a quantidade de água restante até atingir o volume de calda recomendado.

Importante:
Manter a calda em agitação permanente, para evitar decantação.

MODO DE APLICAÇÃO:
MANGA:
Prepare a quantidade necessária de produto de acordo com o diâmetro da copa e em quantidade de água que for requerida conforme a área onde será aplicado o produto, que pode variar de 1 a 2 litros de solução por árvore; se a aplicação for feita na base do tronco, requer-se menos solução do que quando se faz ao redor do tronco, na projeção da copa, na zona de maior concentração radicular, onde a quantidade de solução será maior.

TOMATE
Utilizar equipamentos que propiciem uma distribuição uniforme da calda sobre as sementes. Existem máquinas específicas para tratamento de sementes pequenas como as máquinas peletizadoras fornecidas por fabricantes estrangeiros (ex: Innojet, Aeromatic, Seed Processing Holland BV e panelas farmacêuticas de fabricação de pílulas são normalmente utilizadas). IMPORTANTE: O equipamento deve possuir dispositivo de secagem e regulagem de rotação para uma distribuição mais homogênea da calda mantendo a umidade original das sementes e dispositivos de segurança para evitar o contato com o produto ou acidentes como derramamento.


INTERVALO DE SEGURANÇA: Manga....................................278 dias.
Tomate....................................Não se aplica.


LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade para a cultura indicada: O produto, quando aplicado nas doses e formas indicadas, não causa efeito fitotóxico á cultura tratada.

Outras restrições a serem observadas:
MANGA
Não aplique em condições de estiagem ou estresse por qualquer causa (enfermidade, praga) visto que o efeito esperado pose ser reduzido nessas condições. Não aplique em árvores muito jovens que não estiverem prontas pra iniciar produção comercial. Recomenda-se que CULTAR 250 SC seja aplicado apenas em plantas sadias e de acordo com a maturidade das mesmas. Não é recomendado o plantio de outras culturas nos espaços entre plantas tratadas com CULTAR 250 SC. A reutilização do solo para novas culturas ou para replante de plantas novas deverá observar um intervalo de 180 dias após a ultima aplicação, para evitar os efeitos do produto sobre a nova cultura ou sobre as novas plantas. Não recomendado o plantio de qualquer cultura nas entrelinhas das mangueiras, porque o desenvolvimento dessas culturas pode ser afetado pelo produto. O uso não indicado do produto ou em desacordo com a orientação de técnico habilitado poderá causar prejuízo à cultura. Fertilizantes e nutrientes deverão ser aplicados de acordo com a produção obtida das plantas tratadas e de acordo com a boa prática agrícola.

TOMATE
Na operação de semeadura das bandejas com sementes tratadas, estas podem apresentar uma aderência diferente no momento do semeio comparativamente a sementes não tratadas. Para evitar utilizar uma quantidade menor ou maior de sementes que a usual recomendada, deve-se regular a semeadora com as sementes já tratadas. As semeadoras e seus kits de distribuição de sementes devem ser limpos após e antes da utilização para evitar o acúmulo de resíduos nos picos ou orifícios da semeadora. A falta deste tipo de manutenção pode alterar o fluxo de semeadura ou até mesmo provocar o bloqueio do equipamento. A não observância destas indicações pode resultar em baixa ou alta plantabilidade de sementes por célula ou outras irregularidades na semeadura.
Em função da baixa quantidade do produto, a ser uniformemente distribuída em 1000 sementes, recomenda-se cuidados especiais nessa operação.

As sementes tratadas não devem ficar expostas ao sol e umidade.
As sementes tratadas não devem ser usadas para alimentação humana, animal ou para fins industriais.
Armazenar as sementes tratadas em local seguro, separado de alimentos e rações e fora do alcance de crianças e animais. Preferencialmente armazenar as sementes lacradas e em câmera fria.
Após o tratamento das sementes, possíveis sobras do produto devem retornar a embalagem original de CULTAR 250 SC

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA:

PRECAUÇÕES GERAIS
Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos
Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
Evite o máximo possível o contato com a área tratada
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. Verifique a direção do vento e aplique o produto de forma a evitar o contato do aplicador com o produto, dependendo do equipamento de aplicação
Aplique o produto somente nas doses recomendadas
Utilize equipamento de proteção individual - EPI macacão de algodão hidro-repelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral/ viseira facial, touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem. touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante. Não reutilizar a embalagem vazia.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI macacão de algodão impermeável com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS:
Procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto,
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorrer naturalmente, deite a pessoa de lado.
Nunca dê nada para beber ou comer a uma pessoa inconsciente.
Inalação Se o produto for inalado ("respirado"), levar a pessoa para um local aberto e ventilado Se o acidentado para de respirar faça imediatamente respiração artificial e providencie assistência médica.
Olhos: Em caso de contato, lave com água corrente durante 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.

Grupo quimico: Triazol.
Classe toxicológica : IV - Pouco Tóxico.
Vias de absorção :Oral, inalatória e dérmica.
Toxicocinética :A toxicocinética e metabolismo do Paclobutrazol foram estudas em ratos e cães A absorção foi relativamente rápida, e sem evidências de saturação excreção também foi rápida - 70% da substãncia radio-marcada foi excretada 48 h após a administração. A metabolização ocorreu por oxidação formando o paclobutrazol diol, que pode ser excretado ou ainda oxidado a ácido carboxílico. Mais de 75% foi eliminado através da urina e fezes em 24 h, Não foram evidenciados nos estudos realizados sinais de bioacumulação da substância teste ou de seus metabólitos.
Mecanismos de toxicidade : O paclobutrazol é um regulador de crescimento das plantas, não existe um mecanismo de toxicidade especifico para mamiferos.
Sintomas e sinais clinicos : Os sinais e sintomas de intoxicação não foram especificos após a exposição ao paclobutrazol para mamíferos. Os triazóis são irritantes aos olhos, sensibilizantes da pele e das membranas mucosas. A' I administração de altas doses em animais, provocou salivação, convulsâo, letargia, redução na atividade, tremor, diarréia e ataxia.
Diagnóstico: O diagnóstico deve ser estabelecido pela confirmação da exposição ao CUL TAR 250 SC pela ocorrência dos sinais e sintomas clínicos.
Tratamento: Não existe antídoto ou antagonista especifico para os fungicidas triazólicos. O tratamento médico sintomático, Medidas terapêuticas imediatas devem ser tomadas para reduzir ou impedir a neutralizar a ação do produto e intensificar sua eliminação, Analise os sinais vitais e as funções, como o monitoramento do estado cardiaco; a temperatura corpórea e o estado mental. O tratamento deve ser baseado nos achados clínicos. Os pacientes em coma ou estado mental alterado devem receber oxigênio, Naloxona, Tiamina e ter o nivel de glicose medido, ou receber imediatamente glicose
EXPOSIÇÃO ORAL
Administre o carvão como uma pasta A) ADULTO: 25 a 100g de carvão em 240mL de água B) CRIANÇAS (1 a 12 anos) 25 a 50g de carvão em 240mL de água.
Corrija os distúrbios hidroeletroliticos e metabólicos,
Monitore as funções renal e hepática,
TESTES LABORATORIAIS
Avalie a acidose metabólica .
. Execute os testes de função hepática e renal, de oximetria e radiografia da caixa torácica, Faça eletrocardiograma para avaliar arritmia, taquicardia, ou a prorrogação do intervalo,
O conteúdo do sangue, da urina e gástrico são amostras analíticas potenciais e devem ser. aproveitadas.
Contra-indicações: A indução do vômito é contra-indicada em razão do risco potencíal de aspiração.
ATENÇÃO: . Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica
RENACIAT - ANVISA/MS
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN / MS) lTelefone de Emergência da empresa: 0800-7044304 (24 horas)

EFEITOS AGUDOS:
Dados de toxicidade aguda da formulação:
DLsD oral em ratos 2,14 m Ukg DLsD dérmica em ratos 4,0 mUkg
Irritação ocular em coelhos: Pouco irritante. Efeitos reversíveis em 24 h. Irritação dérmica em coelhos: Não irritante.
Sensibilização cutânea: negativo

EFEITOS CRÔNICOS:
OS resultados dos estudos de longo prazo realizados com ratos e camundongos demonstraram que o fígado foi o órgão alvo nos dois animais. Em ratos, as principais observações foram hipertrofia centriolobular, acompanhada de esteatose e aumento do peso hepático. Em camundongos, as principais observações foram: aumento da gordura metabólica, aumento da severidade de esteatose e redução do colesterol sérico e níveis de triglicérides. Não foram observados evidências de efeitos de carcinogenicidade. No estudo com cães - 1 ano - foi observado na maior dose testada (300 mg/kg/dia) aumento do peso hepático, ínchaço hepatocelular e diminuição do peso corpóreo Na menor dose 75 mg/kg/dia, alterações hepáticas leves indicaram uma resposta adaptativa, o que não foi considerado um efeito adverso ao tratamento.

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
• Este produto é Perigoso ao Meio Ambiente ( Classe III ).
• Este produto é AL T AM ENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
• Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
• Aplique somente as doses recomendadas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
• A destinação inadequada das embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos,
bebidas, rações ou outros materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

3. INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. - telefone de emergência: 0800-160210
• Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetor e máscara com filtros).
• Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga a instrução abaixo:
• Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso consulte o registrante, através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
• Solo: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante, conforme indicado acima.
• Corpos d'água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade de produto envolvido.
• Em caso de incêndio, use extintores (DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, DE CO2 ou PÓ QUíMICO), ficando a favor do vento para evitar intoxicação.
4. PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

I EMBALAGEM RÍGIDA LAVÁVEL - LAVAGEM DA EMBALAGEM
Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPls Equipamentos de Proteção Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.

• Tríplice Lavagem (Lavagem Manual):
Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos;
Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos; Adicione água limpa à embalagem até ~ do seu volume; Tampe bem a embalagem e agite-a, por 30 segundos; Despeje a água de lavagem no tanque pulverizador; Faça esta operação três vezes;
Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

• Lavagem sob pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos:
Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador; Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador; Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos:
Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-Ia invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador; Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem Sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo da chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro do seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 (seis) meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem.
Essa embalagem deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens lavadas.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 (seis) meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA) - ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PARA TODOS OS TIPOS DE EMBALAGENS
• DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.
• É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILlZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

- PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.
• TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECI DAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DO DISTRITO FEDERAL OU DO MUNICÍPIO:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis).

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes sejam implementados.

Não se aplica, devido tratar-se de de um regulador de crescimento.