Bula Dacostar 500 - Arysta Lifescience
CME MILHO (SET/20) US$ 3,176 (-23,47%)
| Dólar (compra) R$ 5,31 (1,85%)

Bula Dacostar 500

Clorotalonil
428804
UPL

Composição

Clorotalonil 500 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato

Frasco de plástico ou metálico 0,1;0,15;0,2;0,25;0,5;1;1,5;2,5;2 e 3 L.
Bombona, balde plástico ou metálico: 4,5,8,10,15,20,25 e 50 L.
Tambor plástico ou metálico: 100,200,250,500 e 1000L.
Tanque container estruturado em aço inox: 1000,2000,5000,10.000,15.000,20.000,23.000 e 25.000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

MODO DE APLICAÇÃO

Via terrestre:
- Usar pulverizador tratorizado de barra com bicos cônicos tipo TEEJET X2 ou X3, tamanho de partículas de 250 µs e densidade de gostas de 50 – 70 gotas/cm².
- Condição climática: as aplicações devem ser feita em condições de temperatura menor que 27ºC e umidade relativa do ar acima de 60% e ventos até 15 km/h.
- A velocidade do trator deve ser em torno de 6km/h e pressão de 40 – 60 libras.
- Usando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter pulverizações com cobertura uniforme da aérea das plantas.

Via aérea:
- Uso de barra ou atomizador rotativo “micronair”.
- Volume de aplicação: 30 – 40 L/ha de calda.
- Altura do voô: com barra: 2 – 3 metros; Micronair: 3 – 4 metros.
- Largura da faixa de deposição efetiva 20m
- Tamanho / densidade de gotas: 80 micras, com mínimo de 60 gotas/cm².
- Condições climáticas: Diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (l/ha) para proporcionar adequada densidade de gotas, obedecendo-se ventos de até 10 km/h, temperatura média e umidade relativa de 70 %, visando reduzir o mínimo de perda por deriva e evaporação. - No caso de barra, usar bicos cônicos, pontas D6 a D12, disco (core), inferior a 45º. Usandose Micronair, o número de atomizadores devem ser de 4, onde para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo de pá, seguir tabela sugerida pelo fabricante. - O sistema de agitação do produto no tanque deve ser mantido em funcionamento durante a aplicação. Em caso de dúvida consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Arroz: 15 dias
Amendoim e Feijão: 14 dias
Gladíolo: Uso não alimentar
Trigo: 30 dias
Uva, batata, citros, melão, melancia, pepino, berinjela, pimentão, tomate e cenoura: 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Não adicionar óleo mineral a calda de aplicação, pois esta poderá ocasionar fitotoxicidade.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Seguir as recomendações atualizadas do manejo de pragas de resistência do FRAC – BR (Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas no Brasil). Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de Manejo de Resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar fungicidas somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendado no rótulo/bula.
- Sempre consultar um profissional legalmente habilitado para a orientação sobre as recomendações para o Manejo da Resistência.