Bula Dacostar 500

CI
Clorotalonil
428804
UPL

Composição

Clorotalonil 500 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato

Amendoim

Calda Terrestre Dosagem
Cercospora arachidicola (Mancha castanha) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phoma arachidicola (Mancha barrenta) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudocercospora personata (Mancha preta) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sphaceloma arachidis (Verrugose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Arroz

Dosagem
Bipolaris oryzae (Mancha parda) ( veja aqui )

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria solani (Pinta preta grande) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora infestans (Requeima) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Berinjela

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria solani (Pinta preta grande) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Cenoura

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria dauci (Mancha de alternaria) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Elsinoë australis (Verrugose da laranja doce) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum lindemuthianum (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Gladíolo

Calda Terrestre Dosagem
Uromyces transversalis (Ferrugem) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Melancia

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum orbiculare (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudoperonospora cubensis (Míldio) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Melão

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum orbiculare (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudoperonospora cubensis (Míldio) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pepino

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum orbiculare (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudoperonospora cubensis (Míldio) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pimentão

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria solani (Pinta preta grande) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora infestans (Requeima) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Stagonospora nodorum (Mancha das glumas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Stemphylium solani (Mancha de stemphylium) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Trigo

Dosagem
Puccinia graminis (Ferrugem do colmo) ( veja aqui )
Puccinia triticina (Ferrugem da folha) ( veja aqui )
Stagonospora nodorum (Mancha das glumas) ( veja aqui )

Uva

Calda Terrestre Dosagem
Elsinoë ampelina (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Plasmopara viticola (Míldio) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Frasco de plástico ou metálico 0,1;0,15;0,2;0,25;0,5;1;1,5;2,5;2 e 3 L.
Bombona, balde plástico ou metálico: 4,5,8,10,15,20,25 e 50 L.
Tambor plástico ou metálico: 100,200,250,500 e 1000L.
Tanque container estruturado em aço inox: 1000,2000,5000,10.000,15.000,20.000,23.000 e 25.000 L.

MODO DE APLICAÇÃO

Via terrestre:
- Usar pulverizador tratorizado de barra com bicos cônicos tipo TEEJET X2 ou X3, tamanho de partículas de 250 µs e densidade de gostas de 50 – 70 gotas/cm².
- Condição climática: as aplicações devem ser feita em condições de temperatura menor que 27ºC e umidade relativa do ar acima de 60% e ventos até 15 km/h.
- A velocidade do trator deve ser em torno de 6km/h e pressão de 40 – 60 libras.
- Usando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter pulverizações com cobertura uniforme da aérea das plantas.

Via aérea:
- Uso de barra ou atomizador rotativo “micronair”.
- Volume de aplicação: 30 – 40 L/ha de calda.
- Altura do voo: com barra: 2 – 3 metros; Micronair: 3 – 4 metros.
- Largura da faixa de deposição efetiva 20m
- Tamanho / densidade de gotas: 80 micras, com mínimo de 60 gotas/cm².
- Condições climáticas: Diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (l/ha) para proporcionar adequada densidade de gotas, obedecendo-se ventos de até 10 km/h, temperatura média e umidade relativa de 70 %, visando reduzir o mínimo de perda por deriva e evaporação.
- No caso de barra, usar bicos cônicos, pontas D6 a D12, disco (core), inferior a 45º. Usandose Micronair, o número de atomizadores devem ser de 4, onde para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo de pá, seguir tabela sugerida pelo fabricante.
- O sistema de agitação do produto no tanque deve ser mantido em funcionamento durante a aplicação. Em caso de dúvida consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Arroz: 15 dias
Amendoim e Feijão: 14 dias
Gladíolo: Uso não alimentar
Trigo: 30 dias
Uva, batata, citros, melão, melancia, pepino, berinjela, pimentão, tomate e cenoura: 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Não adicionar óleo mineral a calda de aplicação, pois esta poderá ocasionar fitotoxicidade.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo de irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso sucessivo de fungicidas com mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento na população de fungos menos sensíveis a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto como consequência da resistência.
Como prática de manejo de resistência afim de evitar a seleção de fungos menos sensíveis ou resistentes aos fungicidas, seguem algumas recomendações:
- Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distinto do Grupo M05 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
- Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc.;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M05 FUNGICIDA

O produto fungicida DACOSTAR 500 é composto por Casugamicina, que apresenta mecanismo de ação de contato multissítio, pertencente ao Grupo M05, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.