Bula Evolution

acessos
Acephate
7598
Arysta Lifescience

Composição

Acephate 970 g/kg Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não Classificado
Não Classificado
Granulado Solúvel (SG)
Ingestão, Sistêmico
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
75 g p.c./100 L de água 400 a 600 L de calda/ha - 15 a 20 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
40 g p.c./100 L de água 16 L de calda / planta - 15 a 20 dias. 21 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
75 g p.c./100 L de água 500 a 750 L de calda/ha - 15 a 20 dias. 14 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão verde
(Myzus persicae)
75 g p.c./100 L de água 500 a 750 L de calda/ha - 15 a 20 dias. 7 dias. Quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico

EMBALAGEM MATERIAL CAPACIDADE
Saco Plástico/aluminio/papel Contendo sacos hidrossolúveis
polietileno ou metalizado de 0,1;0,15;0,2;0,25;0,3;0,5;1;1,5;
2;2,5;3;3,5;4;5;6;8;10;15;20 e
25 Kg

Frasco Plástico ou metalizado Contendo sacos hidrossolúveis de
1;1,5;2;2,5;3;4;5;8;10;15;20 e
25 Kg

Cartucho Papelão com proteção Contendo sacos hidrossolúveis de
impermeável 0,1;0,15;0,2;0,25;0,5;1;1,5;2;2,5;
8;10;15;20 e 25 Kg

Fibrolata Corpo de papel com tampa Contendo sacos hidrossolúveis de
e/ou fundo de flandres(metal) 0,5;1;2;3;4;5 Kg

Tambor Metálico(com revestimento Uso exclusivo industrial 50;100;
anticorrosivo) ou plástico 200;250 e 500 Kg

Big bag Tecido com proteção Uso exclusivo industrial 100;200
impermeável 250;500;600;625;650;700;800;
900;1.000;1.100;1.200 e 1.500 Kg

INSTRUÇÕES DE USO:

Evolution é um inseticida organofosforado que atua principalmente por ação sistêmica, importante para o controle de insetos vetores ou não de viroses em plantas, e atua também por contato e ingestão no controle eficiente de mastigadores. Evolution é solúvel em água e sua estabilidade é maior em meio ácido. É completamente estável á ação da luz solar. A pressão de vapor é de 1,7 x 10-6 mmHg a 24 ºC, indicando que o produto é pouco volátil. Estudo de biodegradabilidade do Acephate no solo indica que o produto não é persistente e sua meia vida é menor que 30 dias.

NÚMERO, ÉPOCA E INTEVALO DE APLICAÇÃO:
Os tratamentos devem ser iniciados quando as pragas alcançarem o nível de dano econômico e repetir se necessário com intervalo de 15 a 20 dias, respeitando o intervalo de segurança de cada cultura (período entre a aplicação e a colheita).

MODO DE APLICAÇÃO:O produto deve ser aplicado em pulverização via terrestre, utilizando-se aplicador costal manual ou motorizado ou pulverizador de barra tratorizado equipado com bicos cônicos, tamanho das partículas de 250-350 µ e densidade de 40 gotas/cm2. Utilizando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter pulverizações uniformes da parte aérea das plantas. Obs.: Em caso de dúvidas, consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Tomate: 7 dias; Citros: 21 dias; Batata e Repolho: 14 dias; Crisantêmo e Fumo: Não determinado, uso não alimentar.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: (De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana- ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:
FITOTOXICIDADE: Não há problema de fitotoxicidade para as culturas indicadas e nas doses recomendadas.
OUTRAS RESTRIÇÕES: Não há.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Se houver contato com os olhos, lave-os imediatamente com água em abundância e veja Primeiros Socorros. Use luvas de borracha. Ao contato com a pele, lave-a imediatamente e veja Primeiros Socorros.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Não aplique o produto contra o vento. Use macacão com mangas compridas, chapéus de aba larga, luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS APLICAÇÃO: Não utilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado longe do alcance das crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: provoque vômito e procure logo o médico. Olhos: lave imediatamente com água corrente em abundância durante 15 minutos e procure o médico. Pele: lave imediatamente com água corrente em abundância durante 15 minutos e se houver irritação, procure o médico. Inalação: procure local arejado. Obs: ao procurar o médico, leve a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

SINTOMAS DE ALARME: Fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólicas abdominais.

ANTÍDOTO E TRATAMENTOS: Sulfato de atropina: pelas vias intravenosa ou muscular (eventualmente também por via oral), 1 a 6 mg/cada 5 a 30 minutos, até atropinização leve. Oximas (Contrathion), 1 a 2 g/dia, nos 3 primeiros dias.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Em estudos realizados com ratos por via oral, observou-se que o produto é rapidamente excretado. A maior parte da excreção dar-se a no período de 12 horas (ref: 60).

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Efeitos agudos - DL50 oral para ratos: 866-945 mg/kg (Técnico). DL50 dérmica para coelhos: >2000 mg/kg (Técnico). Efeitos Crônicos: testes realizados em animais de laboratório, administrando-se o produto na dieta alimentar por um período de dois anos, não determinaram quaisquer formas de anormalidade de comportamento e nem em exames hematológicos, histológicos, de órgãos e de urina. Apenas em dosagem elevadas, constataram-se pequenas reduções da atividade colinesterase.

EFEITOS COLATERAIS: Não se conhece qualquer efeito colateral a não ser sintomas de intoxicação com o produto em animais que são: fraqueza generalizada do corpo, tremores, ataxia, miose, salivação e diarréia.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO Á PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é muito perigoso ao meio ambiente (classe II).Este produto é altamente tóxico para aves. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave embalagens ou equipamentos aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTE: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produto tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter o piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns deverão ser seguidas as instruções constante da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competente e a Empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPIs (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções: Piso pavimentado: recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. Remova conforme orientações de destinação adequada de resíduo e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido; Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUO E EMBALAGENS: Não reutilize embalagens. As embalagens devem ser perfuradas de maneira a torná-la inadequadas para outros usos. Observe as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido o enterrio de embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio-Ambiente.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO DO PRODUTO: A desativação do produto é feita por incineração em forno rotativo com câmara de pós-combustão e capacidade normal em torno de 7,5 ton/dia, operando conforme a Norma ABNT NBR 1265. Temperatura do forno rotativo: 900 ºC. Temperatura da câmara de pós-combustão 1200 ºC. Tempo de residência dos gases FR 2,5 seg. Tempo de residência dos gases FR CPC 3,2 seg. Tempo de residência dos sólidos FR 30 min. Pressão de operação -0,2 mbar. Oxigênio em excesso na chaminé 11%. Monitoramento on Line para CO2 e O2.

Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar monos efetivo ao longo do tempo, se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de ação Resistência à Inseticida- IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a a inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente doses recomendadas na bula/rótulo
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre Manejo de Resistência