Bula Inseto Estéril Moscamed

acessos
Pupa estéril de macho de Ceratitis capitata linhagem tsl
4711
Biomoscamed

Composição

Pupa estéril de macho de Ceratitis capitata linhagem tsl 60000 pupas por litro Biológico

Classificação

Agente Biológico de Controle
Não determinado devido à natureza do produto
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Insetos vivos
Agente biológico de Controle (inseto estéril)
Acerola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Ameixa Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Caja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Carambola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Castanhola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Goiaba Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Nectarina Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Pêra Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Pêssego Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Seriguela Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta
Mosca do mediterrâneo
(Ceratitis capitata)
30 a 150 mL de pupas - - Uma vez por semana, durante todo o ciclo da cultura. Não determinado. 52 liberações anuais por hectare, uma vez por semana durante todo o ciclo da fruta

Sacos de polipropileno de 1 Litro.

INSTRUÇÕES DE USO:
Para utilizar os insetos estéreis de MOSCAMED, deve-se retirar, cuidadosamente, a fita que lacra o saco plástico. Acondicionar as pupas em sacos de papel (50 mL de pupas/saco de 5L). No fundo do saco deve ser colocado papel picado para facilitar a emergência dos machos e abertura completa de suas asas, além disso deve ser fornecido alimento em forma de fitas de papel besuntadas com xarope de açúcar a 50% de concentração. Os sacos com as pupas deverão ser fechados com grampo e mantidos em ambientes entre 23-25°C por 3 a 4 dias antes da liberação no campo.

CULTURA:
Fruteiras hospedeiras desta praga (manga; uva; goiaba; acerola; carambola; castanhola; seriguela; laranja: cajá: pêssego. nectarina: ameixa: maçã: pêra: café)

DOSE:
De 1000 (30 mL de pupas) a 5000 indivíduos (150 mL de pupas) por hectare

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Recomenda-se 52 liberações anuais, uma vez por semana, durante todo o ciclo da fruteira. Para a utilização deste produto, o MAD (mosca/armadilha/dia) deve estar abaixo de 0,1

MODO DE APLICAÇÃO:
OS machos estéreis deverão ser liberados até as 09hOOmin da manhã e deverão ser distribuídos homogeneamente dentro do pomar, em distâncias de até 100 metros entre pontos de liberação. VENDA APLICADA.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Não se aplica para o caso de agentes biológicos de controle (organismos).

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não se aplica para o caso de agentes biológicos de controle (organismos).

LIMITAÇÕES DE USO:
Sem restrições.

PRECAUÇÕES GERAIS:
Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individua1 (EPI) recomendados. Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem:
botas, máscara, óculos e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados
Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
Utilize equipamento de proteção individual - EPI: botas de borracha, máscaras de filtro P2, óculos de segurança com proteção lateral, luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: óculos, botas, luvas e máscara.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
Não reutilizar a embalagem vazia.

Primeiros socorros: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.

Ingestão: se engolir o produto, não provoque vômito. caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. não dê nada para beber ou comer.

Olhos: em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. evite que a água de lavagem entre no outro olho.

Pele: em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.

Inalação: se o produto for inalado (respirado), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.

INTOXICAÇÕES MOSCAMED®

Informações Médicas:


Nome Científico: Ceratitis capitata trata-se de um inseto macho estéril na fase adulta da mesma espécie do inseto praga.



Classe toxicológica:
Não determinada devido á natureza do produto (inimigos naturais)


Mecanismos de toxicidade/patogenicidade:
Não existem na literatura relatos que indique a relação do inseto com outros patógenos de organismos não visados.

Sintomas e sinais clínicos:
Não é esperado qualquer efeito ao ser humano.

ATENÇÃO:
Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica RENACIAT – ANVISA/MS.
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN / MS)
Telefone de Emergência da empresa: (74) 3612-5399 Fax: (74) 3612-5118

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO: Não foram realizados testes com animais experimentais e também não são conhecidos dados sobre o metabolismo em seres humanos.

EFEITOS AGUDOS E EFEITOS CRÔNICOS: Não há dados que indiquem a ocorrência de danos agudos ou crônicos causados pelo inseto macho estéril de Ceratitis capitata (Mosca-do-Mediterrâneo), agente biológico do produto INSETO ESTÉRIL MOSCAMED.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
Este produto é: POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE IV)
- Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
- Aplique somente as doses recomendadas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
Para a emergência dos machos estéreis em boas condições biológicas, os sacos com as pupas deverão ser mantidos em ambientes entre 23-25°C por 3 a 4 dias antes da liberação no campo.
Não há riscos de acidentes, pois o produto é inócuo à saúde humana e ao meio ambiente.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
Não se aplica




PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Não se aplica

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
Não se aplica

TRANSPORTE
Não se aplica

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
Não se aplica

DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
Não se aplica

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Não se aplica, se os machos estéreis não forem liberados dentro de 4 dias morrerão dentro do saco de papel.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS COMPONENTES E AFINS
Não se aplica

Incluir outros métodos de controle de insetos (tais como, controle cultural, químico, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Não se aplica.