Bula K-Othrine 2P - Bayer
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Bula K-Othrine 2P

Deltametrina
1497
Bayer

Composição

Deltametrina 2 g/kg

Classificação

Terrestre
Inseticida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó seco (DP)
Contato, Ingestão

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Calda Terrestre Dosagem
Acromyrmex crassispinus (Quenquém de cisco)
Atta sexdens rubropilosa (Saúva limão)

Embalagens: 1, 5, 100, 200, 750 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

K-Othrine 2P é um formicida, à base do ingrediente ativo Deltametrina que atua por contato, no controle de Atta sexdens rubropilosa (saúva-limão) e Acromyrmex crassispinus (quenquém-de-cisco) em culturas agrícolas.

MODO DE APLICAÇÃO

A aplicação é feita insuflando-se o pó para o interior do formigueiro através de polvilhadeiras manuais ou elétricas, introduzindo-se a mangueira das mesmas o mais profundo possível. Os olheiros devem ser preparados com antecedência escolhendo-se para aplicação 1/3 dos olheiros ativos do formigueiro, dando preferência para os olheiros de alimentação. Determina-se a área do formigueiro multiplicando-se o maior comprimento pela maior largura do murundum (terra solta).
Condições climáticas: Não há restrições, desde que os olheiros estejam desobstruídos.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Manter afastados crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas, durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Não utilizar como inseticida aquático, bem como não misturar com produtos que não contemplem essa indicação autorizada nos seus respectivos registros.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex: controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. O inseticida K-OTHRINE 2P pertence ao grupo 3A (Moduladores dos canais de sódio - Piretróides), Deltametrina, e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do K-OTHRINE 2P como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
• Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto do Grupo 3A. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
• Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas.
• Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do K-OTHRINE 2P ou outros produtos do Grupo 3A (Piretróides) quando for necessário;
• Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
• Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
• Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).

PT - Decis Técnico BCS registro nº 4105.