Bula Keltor - Basf

Bula Keltor

acessos
Saflufenacil
40718
Basf

Composição

Saflufenacil 700 g/kg Pirimidinadiona

Classificação

Herbicida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Contato, Seletivo condicional

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Erva de Santa Luzia
(Chamaesyce hirta)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Para o manejo de plantas daninhas em aplicações de jato dirigido na cultura do algodão também pode ser utilizado, evitando-se o contato com as partes verdes do algodão. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila. nos estágio de 4 a 6 folhas
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Para o manejo de plantas daninhas em aplicações de jato dirigido na cultura do algodão também pode ser utilizado, evitando-se o contato com as partes verdes do algodão. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila. nos estágio de 4 a 6 folhas
Joá de capote
(Nicandra physaloides)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Para o manejo de plantas daninhas em aplicações de jato dirigido na cultura do algodão também pode ser utilizado, evitando-se o contato com as partes verdes do algodão. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila. nos estágio de 4 a 6 folhas
Poaia-do-campo
(Borreria latifolia)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Para o manejo de plantas daninhas em aplicações de jato dirigido na cultura do algodão também pode ser utilizado, evitando-se o contato com as partes verdes do algodão. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila. nos estágio de 4 a 6 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do algodão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Algodão - dessecação Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Algodão
(Gossypium hirsutum)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo três aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação da cultura do algodão, para antecipação da colheita
Arroz S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Aguapé de flecha
(Sagittaria montevidensis)
100 a 210 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar no manejo de plantas daninhas no sistema de aplicação em benzedura em cultivo de arroz irrigado pré-germinado. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Angiquinho
(Aeschynomene rudis)
26 a 30 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar em pós-emergência do arroz irrigado de semeadura direta. Com estádio da planta daninha de 2 - 4 folhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicação em Pré-Emergência do Arroz Irrigado de Semeadura Direta
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 – 8 folhas
Corda de viola
(Ipomoea triloba)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. No pré - florescimento da planta daninha
Cruz de malta
(Ludwigia octovalvis)
26 a 30 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar em pós-emergência do arroz irrigado de semeadura direta. Com estádio da planta daninha de 2 - 4 folhas
Cruz de malta
(Ludwigia octovalvis)
100 a 210 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar no manejo de plantas daninhas no sistema de aplicação em benzedura em cultivo de arroz irrigado pré-germinado. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Erva de bicho
(Polygonum persicaria)
35 a 70 g p.c./ha 100 a 140 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 – 8 folhas
Falso alecrim da praia
(Fimbristylis dichotoma)
70 a 210 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar no manejo de plantas daninhas no sistema de aplicação em benzedura em cultivo de arroz irrigado pré-germinado. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 – 8 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicação em Pré-Emergência do Arroz Irrigado de Semeadura Direta
Aveia S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cruz de malta
(Ludwigia octovalvis)
100 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação das plantas daninhas de folhas largas em Pré - Plantio da cultura do arroz. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Batata
(Solanum tuberosum)
70 a 140 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 7 dias. Dessecação da cultura da batata, para antecipação da colheita
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Beldroega
(Portulaca oleracea)
40 a 120 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em operação de catação. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
40 a 120 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em operação de catação. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
70 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em pós-emergência total com a cana-de-açúcar com mais de 90 dias e estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em jato-dirigido na entrelinha com a cana-de-açúcar com 4 a 6 folhas e estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 70 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em pós-emergência total com a cana-de-açúcar com mais de 90 dias e estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
50 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas na pré-Colheita, para evitar problemas com o equipamento na colheita mecanizada da cana-de-açúcar. Com o estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea quamoclit)
35 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em jato-dirigido na entrelinha com a cana-de-açúcar com 4 a 6 folhas e estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea quamoclit)
35 a 70 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em pós-emergência total com a cana-de-açúcar com mais de 90 dias e estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
35 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em jato-dirigido na entrelinha com a cana-de-açúcar com 4 a 6 folhas e estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
50 a 70 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em pós-emergência total com a cana-de-açúcar com mais de 90 dias e estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Serralha
(Sonchus oleraceus)
35 a 140 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em jato-dirigido na entrelinha com a cana-de-açúcar com 4 a 6 folhas e estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
40 a 120 g p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na cultura da cana-de-açúcar em operação de catação. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do feijão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do feijão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Feijão
(Phaseolus vulgaris)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação da cultura do feijão para antecipação da colheita
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 250 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar aos 20 dias antes do plantio do feijão e aplicar somente em solos argilosos com mais de 30% de argila
Girassol (Dessecação) Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Girassol
(Helianthus annus)
70 a 140 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. 7 dias. Aplicar na dessecação da cultura do girassol, para antecipação da colheita
Mamona Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Corda de viola
(Ipomoea hederifolia)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 30 a 60 dias. Uso não alimentar. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na dessecação de plantas daninhas em jato dirigido em culturas perenes. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Erva de touro
(Tridax procumbens)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 30 a 60 dias. Uso não alimentar. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas na dessecação de plantas daninhas em jato dirigido em culturas perenes. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar no manejo de plantas daninhas de folhas largas em pré emergência da cultura e das plantas daninhas de folhas largas na cultura do milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
100 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar no manejo de plantas daninhas de folhas largas em pré emergência da cultura e das plantas daninhas de folhas largas na cultura do milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar no manejo de plantas daninhas de folhas largas em pré emergência da cultura e das plantas daninhas de folhas largas na cultura do milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Milho S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Buva
(Conyza canadensis)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Malva branca
(Sida cordifolia)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de milho. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Soja
(Glycine max)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação da cultura da soja, para antecipação da colheita
Soja
(Glycine max)
70 a 140 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar no manejo do vazio sanitário após a colheita da soja para evitar a ponte verde da ferrugem da soja de uma safra para outra
Soja S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Buva
(Conyza bonariensis)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Buva
(Conyza canadensis)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Corda de viola
(Ipomoea quamoclit)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea acuminata)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea purpurea)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha em pré-florescimento
Erva de touro
(Tridax procumbens)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Losna
(Artemisia verlotorum)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 - 8 folhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Trapoeraba
(Commelina diffusa)
35 a 50 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo duas aplicações. 7 dias. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura da soja. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 4 - 6 folhas
Trigo S.P.D. Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de trigo. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 a 8 folhas
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de trigo. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 a 8 folhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
35 a 70 g p.c./ha 150 a 300 L de calda/ha 40 a 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar uma aplicação. Não determinado. Aplicar na dessecação de plantas daninhas de folhas largas em plantio direto em pré plantio da cultura de trigo. Com estádio de desenvolvimento da planta daninha de 6 a 8 folhas

MODO DE APLICAÇÃO:
Aplicação Terrestre:
Utilizar equipamento de pulverização tratorizado ou costal manual, com volume de calda na faixa de 150 a 400 litros por hectare, dependendo do alvo a ser atingido, produzindo pulverizações com gotas de categoria média a grossa (250 a 400 micra), com pressão de trabalho de 30 a 40 lb/pol2. Nas aplicações de jato dirigido, evitar que o produto atinja as folhas da cultura, sendo recomendado o uso de “Chapéu de Napoleão” ou barras laterais protetoras específicas para jato dirigido que evitem deriva de calda sobre as partes verdes das culturas. Aplique apenas em condições ambientais favoráveis, temperaturas menores que 30º C e umidade relativa do ar acima de 60%. Utilizar bicos XR TeeJet (em boas condições ambientais) ou os bicos de baixa deriva DG TeeJet, Turbo TeeJet (em condições ambientais mais críticas). Também podem ser utilizados bicos ADI Jacto e LD Jacto, AD Magnum e BD Magnum e ALBUZ (em boas condições ambientais) e ADGA Magnum, BJ Jacto (em condições ambientais mais críticas). Durante a aplicação mantenha a calda de aplicação do equipamento em agitação constante no interior do tanque em funcionamento.

Aplicação Aérea:

Aplicação aérea em pulverização de área total conforme as recomendações para as culturas do algodão, arroz, cana-de-açúcar, feijão, girassol, milho, soja e trigo. Com aeronaves agrícolas, aplicar volume de calda de 40-50 litros/ha utilizando bicos D-10 ou D-12 com core 45, diâmetro de gotas em torno de 250 micra, altura de vôo de 4 a 5 metros do alvo a ser atingido, faixa de aplicação de 12 a 15 metros e ângulo do bico de 90º em relação à direção de vôo. Evite derivas para as culturas vizinhas, principalmente para culturas de folhas largas com pouca tolerância ao produto. Aplique apenas em condições ambientais favoráveis temperaturas menores que 30ºC e umidade relativa acima de 60%. Evite sobreposição de faixas de pulverização durante a aplicação. A boa prática agrícola recomenda a aplicação sem vento ou com velocidade do vento menor do que 8 km/h. Obs.: Com outros equipamentos assegurar uma boa cobertura de pulverização. A critério do Engenheiro Agrônomo ou do Técnico responsável as condições poderão ser alteradas.
FATORES IMPORTANTES PARA O SUCESSO DO SISTEMA DE MANEJO DE PLANTAS DANINHAS OU DESSECAÇÃO DE CULTURAS COM O HERBICIDA KELTOR®:
Aplique Keltor® conforme as recomendações de bula.
1. Aplicação em pós-emergência na dose recomendada adicione sempre adjuvante não iônico conforme descrito em cada cultura.
2. Faça a aplicação dentro do período ideal do estágio de desenvolvimento das plantas daninhas de folhas largas evitando que haja rebrotas de algumas espécies, inclua no manejo de plantas daninhas de folhas estreitas herbicidas devidamente recomendados e registrados.
3. Potencialize o controle com:
a. Com uma boa cobertura das plantas a serem atingidas;
b. Uso de dose mais alta de adjuvante em condições mais críticas;
c. Aplicação em plantas em pleno desenvolvimento vegetativo;
d. Presença de luz solar intensa aumenta a velocidade de controle;
e. Condições de alta umidade relativa e temperatura entre 20 e 30oC.
4. Evite aplicações nas horas mais quentes do dia, temperaturas acima de 30oC, e com baixa umidade relativa do ar, umidade relativa abaixo de 60%, ou com ventos acima de 10 km/hora, principalmente quando essas condições causem stress hídrico nas plantas e favoreçam a deriva da pulverização.
5. Limpe completamente o equipamento de aplicação (tanque, barra e os bicos) antes de utilizá-los com outros produtos.
Preparação da Calda Para Pulverização: Coloque água limpa no tanque do pulverizador até 3/4 de sua capacidade. Com o agitador (retorno) acionado, adicione a quantidade recomendada de Keltor®, adicione o adjuvante somente no caso da aplicação em pós-emergência da planta daninha ou em dessecação da cultura e complete o volume do tanque com água.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
CULTURA INTERVALO DE SEGURANÇA (DIAS)
Arroz 60
Algodão, Batata, Cana-de-açúcar, Feijão, Girassol, Soja 7
Milho e Trigo Não estabelecido devido à modalidade de aplicação
Mamona UNA (uso não alimentar)
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Seletividade: O produto é seletivo dentro das recomendações de uso. Durante a aplicação, evite que a calda herbicida atinja as partes verdes das plantas cultivadas. Caules lignificados de plantas não são danificados pelo Keltor®.
1. PRECAUÇÃO: Para a cultura do algodão e do feijão NÃO APLICAR em condições de solo leve, arenoso (menos de 30% de argila) e não aplicar em períodos menores que 20 dias antes do plantio.
Para a cultura da soja NÃO APLICAR em períodos menores que 10 dias antes do plantio em solos arenosos com mais de 70% de areia.

Para a cultura da mamona NÃO APLICAR em solos arenosos com menos de 30% de argila.

2. Culturas subsequentes: Manter intervalo de 60 dias para o plantio subsequente do girassol.

3. Algumas espécies de plantas daninhas como Buva e Corda-de-viola são sensíveis em qualquer estágio, outras plantas daninhas devem ser observadas as recomendações desta bula para que sejam evitadas rebrotas. As aplicações de plantio direto onde o manejo é feito com herbicidas a base de glifosato, tem mostrado excelente complementação tanto para controle de gramíneas e para estágios mais avançados de algumas espécies de plantas daninhas de folhas largas.

4. Assim como ocorre com outros herbicidas, em culturas perenes, podem ocorrer plantas daninhas perenizadas como a trapoeraba de difícil controle onde podem ocorrer rebrotas.

5. Não roçar ou capinar as áreas infestadas com plantas daninhas antes da aplicação do Keltor®, o produto é absorvido pelas folhas verdes da planta em estágio de crescimento vegetativo.

6. Durante a aplicação do produto evite a deriva para as culturas adjacentes e/ou limítrofes à área a ser tratada.

7. Para maiores esclarecimentos consulte representante técnico da BASF S.A.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS: Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: Vide MODO DE APLICAÇÃO.

INFORMAÇÕES SOBRE DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE: Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS: Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

Precauções quanto a saúde:
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

Precauções quanto ao Meio ambiente:
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PLANTAS DANINHAS:

O manejo de plantas daninhas é um procedimento sistemático adotado para minimizar a interferência
plantas daninhas e otimizar o uso do solo, por meio da combinação de métodos preventivos de
controle. A integração de métodos de controle: (1) cultural (rotação de culturas, variação de
espaçamento e uso de cobertura verde), (2) mecânico ou físico (monda, capina manual, roçada,
inundação, cobertura não viva e cultivo mecânico), (3) controle biológico e (4) controle químico tem
como objetivo mitigar o impacto dessa interferência com o mínimo de dano ao meio ambiente.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA DE PLANTAS DANINHAS:

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode
contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de
ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a
resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo E para o controle do
mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias
regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser
consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
(SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas
aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO E HERBICIDA

O produto herbicida Keltor® é composto por saflufenacil, que apresenta mecanismo de ação dos
inibidores da fotossíntese no fotossistema II, pertencente ao Grupo E, segundo classificação
internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).