Bula Myrim

CI
Trinexapaque-etílico
12022
TradeCorp

Composição

Trinexapaque-Etílico 250 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Regulador de crescimento
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Regulador de crescimento

Tipo: Bombona
Material: Polietileno
Capacidade: 20 L;

Tipo: Container
Material: Plástico
Capacidade: 1.000 L;

Tipo: Frasco
Material: Polietileno
Capacidade: 1 L.

INSTRUÇÃO DE USO

O produto é um regulador de crescimento, seletivo, recomendado para aplicação na cultura da cana-de-açúcar, visando a aceleração dos processos de maturação da planta e acúmulo de sacarose no colmo. Sua aplicação é indicada tanto na cana planta como na cana soca. Nas culturas de Trigo e Cevada, o produto é indicado para aplicação, visando reduzir o crescimento das plantas e o fortalecimento dos entrenós basais.

MODO DE AÇÃO

O produto, uma vez aplicado, é absorvido pela planta, e passa a atuar seletivamente através da redução do nível de giberelina ativa, induzindo a planta a uma inibição temporária ou redução do ritmo de crescimento, sem afetar, porém, o processo de fotossíntese e a integridade da gema apical. O retorno ao ritmo normal de crescimento das plantas depende da dose aplicada e condições ambientais reinantes. Os resultados experimentais obtidos indicam que o produto proporciona acúmulo de sacarose no colmo da cana-de-açúcar a partir de 30 dias após a aplicação, e mantém o incremento acumulado além de 90 dias. Os maiores incrementos de açúcar, no entanto, são observados entre 45 a 75 dias após a aplicação do produto (dependendo da dose aplicada), período este indicado para colheita que representa maior retorno econômico. Nas culturas de trigo e cevada a indução da inibição de crescimento passa a ser observada gradativamente 4 a 5 semanas após a aplicação cujo efeito se mantém até a época da colheita, final de ciclo.

Áreas de utilização/objetivo do tratamento

O produto é indicado para a maximização do manejo varietal, aumento do teor de sacarose da cana-de-açúcar, e inibição de florescimento das variedades floríferas. Pelas características do produto, sua utilização pode ser estendida durante todo o período de safra, visando sobretudo a obtenção de mais açúcar por hectare, nas diferentes fases de corte da cana-de-açúcar.

Início de safra

Manejo varietal, inibição do florescimento e antecipação da colheita;

Meio da safra

Exploração do potencial máximo de sacarose das variedades da época;

Final de safra

Manutenção do teor de sacarose, evitando o seu declínio e, principalmente, para a melhoria da qualidade da matéria-prima proveniente de cana-de-açúcar de ano. Nas culturas de trigo e cevada tem como principal objetivo evitar o problema do acamamento.

MODO DE APLICAÇÃO

Cana-de-açúcar

Deve ser aplicado na forma de pulverização, com auxílio de aeronaves agrícolas (aviões agrícolas ou helicópteros), dadas às características vegetativas da planta da cana-de-açúcar, época de aplicação e às extensivas áreas a serem tratadas.

Trigo e Cevada

Poderá ser aplicado com auxílio de pulverizador convencional terrestre tratorizado, ou, também, com auxílio de aeronaves agrícolas (aviões agrícolas ou helicópteros), nas lavouras cultivadas, em áreas extensivas.

Culturas da cana-de-açúcar

O manejo da cultura da cana-de-açúcar é importante para o escalonamento do corte e no suprimento da indústria, para os processos de moagem, cujo benefício poderá ser obtido conforme as recomendações abaixo:

- Aplicação nas doses diferenciadas

Aplicar às maiores dosagens (1,0 – 1,2 L/ha) para efetuar o corte da cana-de- açúcar a partir de 40 a 45 dias após o tratamento;
Aplicar as doses de (0,8 – 1,0 L/ha) para efetuar o corte a partir de 45 a 60 dias apos o tratamento. A aplicação do produto nas doses diferenciadas conduz a antecipação da maturação da cana-de-açúcar em diferentes fases possibilitando o corte em períodos distintos após o tratamento e permite traçar um cronograma de corte para assegurar o suprimento contínuo da matéria-prima para indústria, principalmente no início da safra. Para determinar a época da aplicação é importante que a cultura a ser tratada já tenha atingido o seu pleno desenvolvimento vegetativo.

Desta forma, a cana-de-açúcar que apresenta atraso no crescimento ou foi prejudicado neste processo por fatores climáticos adversos, deverão receber aplicações somente depois de atingir o seu desenvolvimento normal. Cultura de trigo e cevada: Nestas culturas recomenda-se aplicar em dosagem maior, nas lavouras que receberam elevadas doses de Nitrogênio.

FATORES RELACIONADOS COM A APLICAÇÃO

Cana-de-açúcar

A aplicação deve ocorrer com a cultura da cana-de-açúcar na fase final de desenvolvimento vegetativo, porém, sem que tenha alcançado um estádio avançado de maturação fisiológica, o que na maioria de nossas cultivares coincide entre os dez a doze meses de idade. A aplicação realizada antes dos doze meses de idade, poderá apresentar redução significativa no porte das plantas com possíveis efeitos na produtividade, enquanto que a aplicação efetuada muito além de doze meses terá menor probabilidade de resposta, devido ao processo natural de maturação da planta.

Culturas de Trigo e cevada

Deve ser aplicado durante a fase de desenvolvimento destas culturas para que o produto após absorvido venha a induzir o efeito desejável de redução de crescimento (redução de porte) e resposta positiva no fortalecimento dos entre-nós basais, evitando o acabamento.

Condições climáticas

As respostas às aplicações do produto são, aparentemente menos significativas quando as plantas se encontram no estado de “stress” hídrico. Nas culturas de trigo e cevada a adubação Nitrogenada quando realizada em doses altas poderá apresentar pouca resposta ao efeito do produto.

PREPARO DA CALDA

Pulverização terrestre com equipamentos terrestres tratorizados

A calda poderá ser preparada diretamente no tanque do pulverizador, procedendo-se da seguinte forma:
- Preencher o tanque do pulverizador abastecendo até ¼ da sua capacidade.
- Adicionar o produto na quantidade requerida.
- Completar o volume do tanque com o sistema de agitação em funcionamento.

Pulverização aérea com auxílio de aviões agrícolas ou helicópteros

A calda pode ser preparada basicamente através de suas maneiras:
a) Preparo diretamente no tanque da aeronave: neste caso adicionar a água, previamente no tanque e depois o produto, nos volumes requeridos.
b) Preparação de pré-mistura: utilizando um recipiente auxiliar (tanque ou tambor), preparar a pré-mistura do produto. Em seguida, com auxílio da moto-bomba transferir a mesma para o tanque da aeronave parcialmente cheio para, posteriormente, completar o volume desejado com água.

Observação

Em ambos os sistemas mencionados anteriormente, a relação Produto/água nunca devera ser inferior a 1:5, ou seja, uma parte de produto em cinco partes de água ou mais.

SEMPRE COLOCAR PRIMEIRO A ÁGUA, PARA DEPOIS ADICIONAR A DOSE DE MYRIM (NUNCA: O PRODUTO E DEPOIS ÁGUA).

INFORMAÇÕES SOBRE O EQUIPAMENTOS E PARAMETROS DE APLICACÃO

Pulverizadores terrestres- tratorizados

Parâmetros: Bicos tipo Leque (por exemplo: Teejet)
Especificações: 110.2/ 11.03 ou Cônico cheio

Parâmetros: Altura da barra
Especificações: Aproximadamente 50 m

Parâmetros: Pressão de trabalho
Especificações: 40 – 50 Ib/pol²

Equipamentos aéreos

Avião agrícola

Deve ser aplicado com aeronaves agrícolas, adaptadas com barra e equipadas com bicos hidráulicos ou rotativos tipo micronair.

Parâmetros para o avião Ipanema
Parâmetros: Equipamento
Especificações: Barra e bicos hidráulicos/rotativo

Parâmetros: Tipo de bico
Especificações: Cônico vazio/Micronair

Parâmetros: Ângulo dos bicos/pás
Especificações: 90° - 135°/40° - 60°

Parâmetros: Altura de vôo sobre a cultura
Especificações: 3 a 4 metros

Parâmetros: Faixa de aplicação
Especificações: 15 metros

Parâmetros: Diâmetro das gotas
Especificações: 200 – 400 µm

Parâmetros: Volume de aplicação
Especificações: 30 a 40 L/ha

Parâmetros: Distribuição dos bicos
Especificações: 17 cada asa e 3 sob fuselagem/3 a 4 por asa

IMPORTANTE

Nas operações com aeronaves, atender às normas vigentes da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Planejamento operacional

Recomenda-se para maior uniformidade de distribuição da pulverização e agilidade na aplicação aérea, o planejamento e demarcação prévia da área a ser tratada.

Parâmetros climáticos

Recomenda-se o acompanhamento das condições ambientais no momento da pulverização, de modo a obter a máxima segurança e eficiência biológica do produto.
- Temperatura máxima: 30ºC;
- Velocidade do vento: 3 a 10 km/hora;
- Umidade relativa do ar: mínimo 55%.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

A reentrada na lavoura após a aplicação, só deverá ocorrer quando a calda aplicada estiver seca (24 horas). Caso seja necessária a reentrada na lavoura antes desse período, é necessário utilizar aqueles mesmos equipamentos de proteção individual usados durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade para as culturas indicadas

Cana-de-açúcar

Dentro das doses recomendadas e nas condições indicadas para aplicação, se mostra bastante seguro para a cultura da cana-de-açúcar. Como consequência da aplicação do produto, a planta apresentará redução dos internódios, engrossamento do palmito, e eventuais emissões de brotações laterais, especialmente em lavouras acamadas, onde as gemas foram expostas à luz. Uma eventual redução de porte da planta poderá ser observada, se a aplicação for realizada em plantas muito jovens, ou se o corte da cana-de-açúcar for realizado após um período muito longo ao recomendado. Os sintomas do produto na planta acima descritos são temporários, após o que a mesma retomará o processo de desenvolvimento normal.

Trigo e cevada

Aplicado nas dosagens de 0,4 e 0,5 L/ha, foi bastante seguro para estas culturas e não foi constatado qualquer sintoma de fitotoxicidade, mostrando que estas gramíneas são tolerantes ao produto.

Outras restrições a serem observadas

Cana-de-açúcar

- Não deve ser aplicado com a cultura no estado de estresse por deficiência hídrica.
- Não deve ser aplicado em plantas jovens, normalmente com menos de 10 meses de idade ou com a estrutura produtiva não formada.
- Recomendam-se evitar a manutenção prolongada da planta da cana-de-açúcar tratada no campo, após atingir o pico de maturação.
- Não é recomendado deixar calda pronta do produto de um dia para o outro.

Trigo e cevada

Nas culturas de trigo e Cevada não deve ser aplicado antes do aparecimento do primeiro nó ou muito tardiamente com as plantas na fase de desenvolvimento muito adiantado, pois o produto não apresentará efeito desejado. As culturas de trigo e cevada tratadas com o produto não devem ser utilizadas para alimentação de animais, quando no estádio vegetativo.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Não se aplica por tratar-se de regulador de crescimento.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.