Bula Okay - Iharabras

Bula Okay

CI
Ciflumetofem
1214
Iharabras

Composição

Ciflumetofem 200 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Acaricida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato

Frasco plástico para 0,2; 0,25; 0,3; 0,35; 0,4; 0,45; 0,5; 0,8; 1; 2; 3; 4; 5 e 6 litros.

Bombona plástica para 5, 6, 10, 15, 20, 30, 40, 50, 100, 200, 300, 400 e 500 litros.

Container plástico para 1.000, 2.000, 3.000, 4.000 e 5.000 litros.

Tanque de fibra ou tanque em aço carbono para 1.000, 2.000, 3.000, 4.000 e 5.000 litros.

INSTRUÇÕES DE USO

OKAY é um acaricida de contato, do grupo químico Benzoilacetonitrila, usado para controle de ácaros na cultura do café, citros e maçã.

MODO DE APLICAÇÃO

Este produto pode ser aplicado por via terrestre, através de equipamentos pulverizadores costais (manuais ou motorizados), tratorizados e por via aérea, conforme recomendação para cada cultura. Utilize sempre tecnologias de aplicação que ofereçam boa cobertura das plantas.
As recomendações para aplicação poderão ser alteradas à critério do Engenheiro Agrônomo responsável, respeitando sempre a legislação vigente na região da aplicação, a especificação do fabricante do equipamento e tecnologia de aplicação empregada.

- Preparo da calda: Encher com água o tanque do pulverizador com ¾ da capacidade. Com o sistema de agitação do tanque do pulverizador funcionando, adicionar lentamente o produto diretamente no tanque do pulverizador de acordo com as doses recomendadas. Completar o volume do tanque com água. Devem-se respeitar os volumes de calda recomendados para que seja possível proporcionar uma boa cobertura da área a ser tratada;

- Via terrestre: Utilizar equipamentos motorizados, costal manual, turbo atomizadores tratorizados ou pulverizadores munidos de pistola. Toda a aplicação deve garantir uma cobertura uniforme sobre o alvo e toda a parte aérea da planta para garantir o bom funcionamento do produto por ter ação de contato.
O sistema de agitação no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação.

- Via aérea:
- Aplicação aérea: Esta modalidade de aplicação pode ser indicada para a cultura do café e citros.
Uso de barra ou atomizador rotativo Micronair AU 3.000/5000;
Volume de aplicação: Com barra: 20-30 L/ha; Com Micronair: máximo de 18 L/micronair/minuto.
Altura do voo: com barra ou micronair: 4-5 m em relação ao topo das plantas.
Largura da faixa de deposição efetiva: 20 m, para aviões do tipo Ipanema.
Tamanho/densidade de gotas: 110-140 micrômetros com mínimo de 40 gotas/cm².
No caso de barra, usar bicos cônicos da série D com disco (core) inferior a 45º.
Usando Micronair, o número de atomizadores devem ser quatro, onde para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo da pá, seguir a tabela sugerida pelo fabricante.
O sistema de agitação no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda operação de preparo da calda e aplicação.

- Condições Climáticas: Atentar-se para as condições climáticas para as aplicações terrestres e aéreas a fim de garantir boa deposição de gotas sobre o alvo:
A temperatura ambiente deve ser no máximo de 30ºC;
A umidade do ar não deve ser menor que 50%;
A velocidade do vento deve ser de 3 a 10 km/h.
Observação: Seguir as condições de aplicação acima indicadas e consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Café - 14 dias;
Citros - 7 dias;
Maçã - 3 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes deste período, utilize os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

- Incluir outros métodos de controle de pragas (ex.: controle cultural, biológico etc.) dentro do programa do Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponíveis e apropriados.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência.
O acaricida OKAY pertence ao grupo 25A (inibidores do Complexo II da cadeia de transporte de elétrons na mitocôndria) e o uso repetido deste acaricida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do OKAY como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a acaricidas, tais como:
- Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto do Grupo 25A. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
- Usar OKAY ou outro produto do mesmo grupo químico somente dentro de um “intervalo de aplicação” (janelas) de cerca de 30 dias.
- Aplicações sucessivas de OKAY podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do OKAY ou outros produtos do Grupo 25A quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de acaricidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em nematoides, insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).