Bula Óleo Vegetal Samaritá - Bio Soja

Bula Óleo Vegetal Samaritá

acessos
Óleo vegetal
1508
Bio Soja

Composição

Óleo vegetal 880 g/L Ésteres de ácidos graxos

Classificação

Inseticida
IV - Pouco tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
2 a 3 L p.c. / 100 L de água 12 L de calda / planta - A frequência da aplicação vai depender da intensidade da reinfestação Sem restrições Detectar o nível de infestação da praga, conforme os níveis de dano econômico

Frasco plástico (PEAD) de 1 litro. Balde de polietileno de 5 e 20 litros. Bombona de polietileno de 50 e 200 litros. Caminhão tanque de 10.000, 15.000 e 20.000 litros.

Este produto é um INSETICIDA de contato e ADJUVANTE do grupo químico éster.

INSTRUÇÕES DE USO:

CULTURAS / PRAGAS / DOSES:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

• Óleo Vegetal Samaritá como Adjuvante:
Conforme o agrotóxico ao qual o produto foi agregado.

A dose recomendada do Óleo Vegetal Samaritá é de 0,25 litro do produto / 100 litros de água.

• Óleo Vegetal Samaritá como inseticida:
No controle da cochonilha-pardinha (Selenapidus articulatus) na cultura de citros, recomenda-se a dose de 2 a 3 litros do produto / 100 litros de água.

Recomenda-se empregar um volume médio de calda de 12 litros por planta adulta: volumes diferentes podem ser empregados conforme orientação do engenheiro agrônomo de acordo com a conformação do pomar e tendo-se sempre em consideração que a pulverização deve saturar a capacidade de retenção de líquido no alvo, molhando-o até o ponto de escorrimento.

Informações Adicionais:
Deve-se promover a alternância de produtos empregados no controle dos insetos, pois apesar do controle promovido pelo óleo vegetal se dar por meio físico (asfixia) pode haver desenvolvimento de mecanismos de resistência (exemplo: mudança de hábitos) do alvo.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
a) Adjuvante: conforme o agrotóxico ao qual o produto foi agregado.
b) Controle de cochonilha: detectar o nível de infestação da praga, através de inspeção visual nos talhões e aplicar o produto quando atingir o "Nível de Ação" conforme se segue:

- Nível de infestação visual:
1= ataque esparso.
2= um ramo da planta atacado.
3= mais que dois ramos da planta atacados.

- Níveis de Ação:
10% de plantas com níveis 2 + 3.
20% de plantas com nível 2
foco inicial - beira de carreador.

A freqüência da aplicação vai depender da intensidade da reinfestação; aplicar o produto, toda vez que o "Nível de Ação" for atingido (conforme acima).

MODO DE APLICAÇÃO:
a) Adjuvante: conforme o agrotóxico ao qual o produto foi agregado.
b) Controle de cochonilha: pulverizador tratorizado munido de pistola, regulado conforme as instruções do fabricante, para pressão de 300 lb/pol².

INTERVALO DE SEGURANÇA:
a) Adjuvante: conforme o agrotóxico ao qual o produto foi agregado.
b) Controle de cochonilha: sem restrições.

LIMITAÇÕES DE USO:
Não aplicar nas horas mais quentes do dia para não provocar queimaduras.

- Compatibilidade: Não adicionar o Óleo Vegetal Samaritá às caldas de produtos cujo rótulo contra-indique a adição de Adjuvante.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes sejam implementados.

Deve-se promover a alternância de produtos empregados no controle dos insetos, pois apesar do controle promovido pelo óleo vegetal se dar por meio físico (asfixia) pode haver desenvolvimento de mecanismos de resistência (exemplo: mudança de hábitos) do alvo.