Bula Oppa BR EC - Petrobrás
CME MILHO (SET/20) US$ 3,114 (0,39%)
| Dólar (compra) R$ 5,34 (0,94%)

Bula Oppa BR EC

Óleo Mineral
1338905
Petrobrás

Composição

Óleo mineral 800 g/L

Classificação

Terrestre
Inseticida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato

Frasco plástico de 1 e 5 litros.
Balde metálico de 20 litros.
Tambor de aço-carbono de 200 litros.
Tanque de aço inox: 1000; 5000; 10000; 15000; 20000; 25000 e 300100L.
Bombona plástica (polietileno de alta densidade) para 5, 10 e 20 litros.
Contêiner de polietileno de alta densidade para 1000 litros.

INSTRUÇÕES DE USO

Culturas:
Usado como inseticida nas culturas de citros para cochonilha-pardinha.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Realizar uma aplicação a cada 20 dias, se houver reinfestação, nas doses recomendadas para cada época de aplicação.

MODO / EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:
AGITAR O PRODUTO NA EMBALAGEM ANTES DE USAR. Adicionar o OPPA-BR-EC à calda de pulverização.
Como inseticida, no controle da cochonilha-pardinha, deve ser aplicado na parte aérea das plantas cítricas, quando houver a presença de praga. Em caso de reinfestação, repetir após 20 dias. Não aplicar nas horas mais quentes do dia e nem durante a floração.

MÉTODO DE APLICAÇÃO

OPPA-BR-EC pode ser aplicado através de pulverizadores terrestres tratorizados e costais manuais ou motorizados, dotados de bico cônico vazio, com volume de calda suficiente para promover boa cobertura das plantas com a calda de pulverização.
OPPA-BR-EC pode ser aplicado também através de pulverizações aéreas com aeronaves agrícolas devidamente equipadas, empregando-se o volume em torno de 20 a 30 litros de calda/hectare, procurando pulverizar quando a velocidade do vento estiver entre 3 a 8 km/h e com alta umidade relativa do ar (superior a 70%), seguindo sempre as recomendações de voo.

EQUIPAMENTOS

PULVERIZAÇÃO TERRESTRE: Utilizar-se de pulverizadores costais manuais ou motorizados ou de barra tratorizado com bicos cônicos. Densidade de 50 a 70 gotas/cm² com diâmetros de 50 a 200 micra. Pode-se utilizar outros tipos de equipamentos, mas procurar sempre obter uma cobertura uniforme da parte aérea das plantas, de modo a atingir a praga.

PULVERIZAÇÃO AÉREA: Recomenda-se a utilização de barra com bicos pulverizadores tipo cônicos, pontas D6 a D12, e disco (core) inferior a 45°, ou atomizador rotativo "Micronais". Volume de calda 20 - 30 L/ha. Altura do voo: 3 a 4 metros acima da cultura-alvo. Tamanho / densidade de gotas: partículas com diâmetro entre 50 e 200 micra, com densidade de 50 a 70 gotas/cm². Condições climáticas: recomenda-se aplicação com velocidade do vento entre 3 e 8 km/h, temperatura abaixo de 27°C e umidade relativa do ar superior a 60%, visando reduzir perdas por deriva e evaporação.
OBSERVAÇÃO: seguir as recomendações técnicas de aplicação e consultar sempre um Engenheiro(a) Agrônomo(a).

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não apresenta restrições.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:

Não apresenta restrições.

ATENÇÃO: QUANDO OPPA-BR-EC FOR USADO EM MISTURA COM OUTROS AGROTÓXICOS, DEVERÃO SER SEGUIDAS AS RECOMENDAÇÕES DA BULA DO PRODUTO COM O QUAL OPPA-BR-EC SERÁ APLICADO.

LIMITAÇÕES DE USO

OPPA-BR-EC não é fitotóxico nas doses recomendadas para o uso indicado.
OPPA-BR-EC é incompatível com enxofre e seus compostos, recomendando-se um intervalo de 30 dias entre as aplicações dos dois produtos.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas - IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
•Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
•Utilizar somente as doses recomendadas na bula/rótulo.
•Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas.
•Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. Controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.