Bula Pausato - Sinon

Bula Pausato

CI
Abamectina
2211
Sinon

Composição

Abamectina 18 g/L

Classificação

Terrestre
Acaricida, Inseticida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Alabama argillacea (Curuquerê)
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)

Café

Calda Terrestre Dosagem
Leucoptera coffeella (Bicho mineiro)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Phyllocoptruta oleivora (Ácaro da falsa ferrugem)

Coco

Calda Terrestre Dosagem
Eriophyes guerreronis (Ácaro da necrose do coqueiro)

Crisântemo

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)

Maçã

Calda Terrestre Dosagem
Panonychus ulmi (Ácaro da macieira )

Mamão

Calda Terrestre Dosagem
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Manga

Calda Terrestre Dosagem
Pinnaspis aspidistrae (Cochonilha escama farinha)

Melancia

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Melão

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Morango

Calda Terrestre Dosagem
Tetranychus urticae (Ácaro rajado) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pepino

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)

Pimentão

Calda Terrestre Dosagem
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)

Uva

Calda Terrestre Dosagem
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

CONTEÚDO: 250, 300, 400 e 500 mL e 1, 5 litros

INSTRUÇÕES DE USO

Pausato é inseticida/acaricida que age por contato e ingestão.

MODO DE APLICAÇÃO

Equipamentos de aplicação terrestre. O Pausato pode ser aplicado com equipamentos manual ou motorizado, costal, estacionário ou tratorizado equipado com barra e bicos de jato em cone, séries X ou D, tipo JÁ-2, D2 ou similares.
A pressão dos bicos deverá ser regulada entre 80 a 200 lb/pol², com gotas entre 110 a 250 micrômetros/diâmetro e densidade mínima de 40 gotas/cm². Não aplicar com ventos fortes, nas horas mais quentes do dia e quando a umidade relativa do ar estiver abaixo de 50%.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão: 21 dias;
Batata, café, feijão, maçã, mamão, soja: 14 dias;
Citros, manga, melão, melancia: 7 dias;
Coco: 4 dias;
Crisântemo: Uso não alimentar;
Morango, pepino, pimentão, tomate: 3 dias;
Uva: 28 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os EPI’s recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.
No período que vai entre 10 dias antes e 10 dias após a aplicação, não devem ser utilizados nas culturas produtos que possuam os princípios ativos Captan, Folpet e Enxofre.
A calda deve ser aplicada no mesmo dia da preparação. A utilização da mesma preparada de um dia para o outro reduz a eficiência do produto.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Além dos métodos utilizados para o manejo de resistência a inseticidas, incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

GRUPO 6 ACARICIDA / INSETICIDA

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. O inseticida Pausato pertence ao grupo 6 (moduladores alostéricos de canais de cloro mediados pelo glutamato – Avermectinas/Milbemicinas) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do Pausato como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
- Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto do Grupo 6. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
- Usar Pausato ou outro produto do mesmo grupo químico somente dentro de um “intervalo de aplicação” (janelas) de cerca de 30 dias.
- Aplicações sucessivas de Pausato podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
- Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas. No caso específico do Pausato, o período total de exposição (número de dias) a inseticidas do grupo químico das Avermectinas/Milbemicinas não deve exceder 50% do ciclo da cultura ou 50% do número total de aplicações recomendadas na bula.
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do Pausato ou outros produtos do Grupo 6 quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).