Bula Ponto

acessos
Novaluron
2113
FMC - Campinas

Composição

Novaluron 100 g/L Éter difenílico

Classificação

Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
100 mL p.c./ha 200 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. 93 dias. 2 lagartas / planta ou 25 % de desfolha
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
150 mL p.c./ha 300 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. 83 dias. Surgam os primeiros sintomas de ataque ao cartucho, presença de fezes das lagartas e folhas raspadas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
50 a 75 mL p.c./ha 120 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. 53 dias. Antes da florada: 30 % de destruição da área foliar ou 40 lagartas grandes / amostragem. Após a florada: 15 % de desfolha ou 40 lagartas grandes / amostragem
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
20 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. 7 dias. Quando constatado a presença de adultos na lavoura

Tipo: Saco Plástico ( Capacidade : 10, 20, 25, 50, 100, 150, 200, 250, 349, 400, 500 e 550 Litros)

Tipo: Tambor de Metal ( Capacidade : 10, 20, 25, 50, 80, 100, 150, 2000, 226,8 , 227, 250, 400, 500 e 1000 Litros)

Tipo: Container Plastico/Metal (Capacidade : 950, 946,25 e 1000 Litros)

Tipo: Barrica Fibra de Plástico/Fibra de Papelão ( Capacidade: 20, 25, 50, 100, 200, 250, 500 e 1000 Litros )

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Realizar a aplicação de PONTO para as culturas de algodão, milho, soja e tomate sempre que atingir o NC (Nível de Controle) da praga estabelecido pelo MIP (Manejo Integrado de Pragas), respeitando-se o numero máximo de aplicações conforme a tabela abaixo.
Mantenha a lavoura inspecionada.
Ao pulverizar, procurar dar boa cobertura em toda a planta.

CULTURAS E NUMERO MÁXIMO DE APLICAÇÕES POR CICLO DA CULTURA OU DA SAFRA:
ALGODÃO- 3
MILHO-2
SOJA- 2
TOMATE- 4

ALGODÃO:
Curuquerê (Alabama argillacea): As lagartas costumam se alimentar da parte superior das plantas e as fêmeas depositam seus ovos geralmente ao anoitecer. O produto pode ser aplicado quando for constatado 2 lagartas por planta ou 25% de desfolha do ponteiro.
MILHO:
Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda): O nível de controle dessa praga é de 20% de plantas com folhas raspadas, até o 30° dia após o plantio, e de 10% de plantas com folhas raspadas do 40° ao 60° dia. Recomenda-se, então, efetuar o controle logo que surjam os primeiros sintomas de ataques ao cartucho, presença de fezes das lagartas e folhas raspadas. Deve-se aplicar o produto com jato dirigido para o cartucho da planta.
SOJA:
Lagarta-da-soja (Anticarsia gemmatalis): A aplicação deve ser feita nos seguintes casos: 1 °caso: antes da floração se houver uma destruição de 30% ou mais da área foliar com 40 lagartas grandes (1,5 cm) por amostragem e, 2° caso: após a floração até o
desenvolvimento das vagens se houver 15% ou mais de desfolhamento com 40 lagartas grandes (1,5 cm) por amostragem.
TOMATE:
Traça-do-tomateiro (luta absoluta): Essa praga ocorre durante todo o ciclo da cultura e ataca toda a planta em qualquer estádio de desenvolvimento, fazendo galeria nas folhas, ramos e principalmente nas gemas apicais, onde destroem brotações novas, além dos
frutos que são depreciados para a comercialização. As aplicações devem ser iniciadas quando for constatada a presença de adultos na lavoura.
MODO DE APLICAÇÃO:
PONTO é recomendado para aplicação em pós-emergência, através de pulverização
foliar, com equipamentos que proporcionem uma vazão adequada para se obter uma boa cobertura das plantas.
Equipamentos de aplicação Aplicação Terrestre.
PONTO deve ser aplicado na parte aérea das plantas (pulverização foliar) através de pulverizadores costais manuais, motorizados, tratorizados e atomizadores. O diâmetro das gotas deve ter entre 150 a 200 p (micra) VMD, utilizando o diâmetro maior, nas condições mais críticas de evaporação e/ou deriva, monitorando-se sempre as variáveis meteorológicas. A densidade de gotas deve ser entre 20 a 30 gotas/cm2, variando com o tamanho de gota e/ou volume de aplicação. Quando se emprega pulverizadores de barra, recomenda-se usar bicos cônicos D2 ou D3 e pressão d bomba, 80 a 100 lb/pol2 ou bicos cônicos TVXS12 com pressão de 40 lb/pol2.
A regulagem do pulverizador deve ser aferida diariamente. Poderá ser utilizada a
seguinte formula para calibragem do pulverizador: Litros/hectare = (60.000 x litros/minuto) x (km/h x E)
E= espaçamento entre bicos na barra (cm); Litros/minuto=vazão do bico;
Km/h=velocidade do pulverizador

Condições climáticas: deve-se observar as condições climáticas ideais para a aplicação do produto, tais como:
-Temperatura ambiente até 30°C;
-Umidade relativa do ar no mínimo de 60% e,
-Velocidade do vento entre 3 e 10 km/h

INTERVALO DE SEGURANÇA: F* Fed al Agropecuário
cGAA/DFINSDA
Algodão: 93 dias
Milho: 83 dias
Soja: 53 dias
Tomate: 7 dias
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Não há limitações de uso para as culturas e doses recomendadas.
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana — ANVISA/MS)
INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: Vide Modo de Aplicação.
DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TÉCNOLOGIA EQUIVALENTE:
Vide dados relativos à proteção do Meio Ambiente.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO,
TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
Vide dados relativos à proteção do Meio Ambiente.
INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide dados relativos à proteção do Meio Ambiente.
INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:
O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC-BR) recomenda as
seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas e acaricidas:
- Não utilizar consecutivamente para a mesma praga produtos para controle de pragas da mesma classe ou de mesmo modo de ação.
- Somente utilizar doses recomendadas no rótulo/bula.
- Sempre que possível e apropriado, incluir outros métodos de controle de pragas (ex.
controle cultural, biológico etc.), visando um programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP).
- Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.
INFORMAÇÕES SOBRE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:
É recomendado o manejo integrado das pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, assim como o uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura,
adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros visam o melhor equilíbrio do sistema. DADOS RELATIVOS A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo meio ambiente (IBAMA/MMA). DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA.
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana (ANVISA/MS).
RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.
Campinas, 10 de dezembro de 2012.

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA.
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana (ANVISA/MS).
RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.

DADOS RELATIVOS A PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.
De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo meio ambiente (IBAMA/MMA).

Incluir outros métodos de controle de insetos dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência à Inseticidas (MRI) podemos prolongar a vida útil dos inseticidas.
Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI
Incluir outros métodos de controle de insetos dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.