Bula Previcur BCS - Bayer
CME MILHO (SET/20) US$ 3,146 (-24,19%)
| Dólar (compra) R$ 5,35 (0,64%)

Bula Previcur BCS

Cloridrato de propamocarbe
2309
Bayer

Composição

Cloridrato de propamocarbe 722 g/L

Classificação

Terrestre
Fungicida
Não Classificado
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Sistêmico

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Phytophthora infestans (Requeima)

Frasco de polietileno: 025; 0,3; 0,5; 1; 1,5; 2; 2,5; e 3 Litros.

Bombona de polietileno: 5; 10; 20; 25 e 50 Litros.

Tambor de polietileno: 100; 200; 250; 500; 1000; 2000; 2500 e 5000 Litros.

Tanque container estruturado de aço inox, com proteção anticorrosiva: 10.000; 15.000; 20.000; 23.000; 25.000 Litros.

INSTRUÇÕES DE USO

Previcur BCS é um fungicida sistêmico de aplicação foliar para o controle preventivo da requeima que ocorre nas culturas de tomate e batata.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Realizar no máximo 3 aplicações durante o ciclo da cultura.
O produto deve ser aplicado preventivamente, desde que haja temperatura baixa, umidade elevada e o tempo se mantiver nublado. Aplicar o PREVICUR BCS em intervalos médios de 7 dias. Esses intervalos entre aplicações podem ser aumentados quando as condições meteorológicas forem menos favoráveis para a doença, recomendando-se diminuir os intervalos entre aplicações em períodos extremamente favoráveis a doença. Recomenda-se volume de 1000 litros de calda/ha para tomate. Para a cultura da batata recomenda-se de 800-1000 litros de calda/ha de acordo com o desenvolvimento da cultura. Iniciar as aplicações a partir da fase vegetativa em batata e tomate.

MODO DE APLICAÇÃO

A dose recomendada deve ser diluída em água e aplicada na forma de pulverização terrestre com pulverizadores dos tipos costal, tratorizado ou pistolas, em área total até que se obtenha cobertura uniforme do produto nas partes da planta que necessitem ser protegidas com a calda fungicida.
- Tamanho da gota: em torno de 60 micras.
- Densidade das gotas: mínimo de 80 gotas/cm².
- Pressão de trabalho: 120 a 150 libras/pol².
- Condições de aplicação: Usar preferencialmente bicos de jato cônico da série D (D2 a D6) ou que permitam liberar o tamanho de gotas e volume de calda indicado. A velocidade de trabalho do trator em torno de 6 km/hora.
- Condições meteorológicas: O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (L/ha) para proporcionar a adequada densidade de gotas, obedecendo ventos de até 10 km/hora, não aplicar se a temperatura for superior a 27º C e umidade relativa menor que 60% visando reduzir ao máximo perdas por deriva ou evaporação.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Batata e Tomate: 3 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Fitotoxidade para as culturas indicadas:
O produto não é fitotóxico para as culturas de batata e tomate nas doses e condições recomendadas.
Outras restrições a serem recomendadas: Não há

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
Para prevenir o aparecimento de fungos resistentes, deve-se realizar no máximo 3 aplicações por safra de PREVICUR BCS nas culturas da batata e do tomate.
Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. Resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.
Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.
Se forem necessárias mais de 3 aplicações, deve se adotar a alternância com fungicidas de mecanismos de ação diferentes de PREVICUR BCS.

Corrosivo a metais.