Bula Provence 750 WG

acessos
Isoxaflutole
3297
Bayer

Composição

Isoxaflutol 750 g/kg Isoxazol

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Sistêmico, Seletivo condicional, Seletivo, Pré-emergência
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
40 a 50 g.p.c./ha 200 L de calda/ha - - 97 dias. Aplicado em pós emergência com jato dirigido sem atingir a cultura. Adicionar 0,25 % de surfactant Hoefix
Caruru rasteiro
(Amaranthus deflexus)
40 a 50 g.p.c./ha 200 L de calda/ha - - 97 dias. Aplicado em pós emergência com jato dirigido sem atingir a cultura. Adicionar 0,25 % de surfactant Hoefix
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
100 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - 70 dias. Pré emergência das plantas infestantes
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
100 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - 70 dias. Pré emergência das plantas infestantes
Joá de capote
(Nicandra physaloides)
100 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - 70 dias. Pré emergência das plantas infestantes
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
100 a 300 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
125 a 250 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
90 a 250 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
100 a 300 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
125 a 350 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
80 a 160 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru gigante
(Amaranthus retroflexus)
250 a 350 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru rasteiro
(Amaranthus deflexus)
125 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
80 a 350 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Mandioca Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
100 a 125 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
125 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
100 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
125 g.p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
80 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
80 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
80 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru rasteiro
(Amaranthus deflexus)
80 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
80 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Soja - Geneticamente Modificada Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Capim braquiária
(Brachiaria decumbens)
100 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
100 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Capim colchão
(Digitaria horizontalis)
100 a 140 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
100 a 140 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
100 a 140 g.p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Única aplicação. Não determinado. Pré emergência da cultura e das plantas daninhas

Sacos plásticos hidrossolúveis protegidos por sacos aluminizados com capacidade para 100, 150, 250, 500 g e 1 Kg. Sacos plásticos de 1 Kg acondicionados em caixa de papelão.

INSTRUÇÕES DE USO:
PROVENCE® 750 WG é um herbicida aplicado na pré-emergência da cultura do milho, mandioca e batata das plantas infestantes, e da pré à pós-emergência inicial da cana-de-açúcar, atuando tanto sobre as gramíneas como sobre algumas dicotiledôneas.
Na cultura do algodão deve ser aplicado na pós-emergência em jato dirigido.


NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

• Provence® 750 WG deve ser aplicado na pré-emergência das culturas de mandioca, milho e batata, e na pré-emergência das plantas infestantes com pulverizadores costais, manuais, equipamentos tratorizados e aeronaves agrícolas.
• Na cultura de cana-de-açúcar o produto poderá ser aplicado em pré-emergência ou em pós-emergência de jato dirigido.
• Na cultura do algodão o produto deverá ser aplicado somente em pós-emergência de jato dirigido.


Cana-de-açúcar
• Para plantios novos na cultura da cana-de-açúcar, a recomendação é de aplicação de metade da dose logo após o plantio, na pré-emergência da cultura e das plantas infestantes, seguido de uma segunda aplicação no momento da “quebra do lombo” na pré-emergência das plantas infestantes com a outra metade da dose em jato dirigido na entre linha da cultura aos 60 dias após a semeadura, desta forma a cultura irá permanecer ausente de plantas infestantes no período crítico de matocompetição.
• Com exceção da modalidade de aplicação em cana planta onde se recomenda a aplicação seqüencial, realizar somente uma única aplicação na pré-emergência da cultura e das plantas infestantes.


Milho
• Fazer uma única aplicação na pré-emergência da cultura do milho e das plantas infestantes.


Batata e Mandioca
• Fazer a aplicação em pré-emergência das plantas daninhas, logo após o plantio dessas culturas, utilizando volume de calda de 200 a 300 L/ha.


Algodão
• Na cultura de algodão, utilizar na modalidade de aplicação em pós-emergência de jato dirigido, utilizando bicos defletores e leque jato plano, com um volume de calda de 200 L d’água por hectare; aplicando-se na cultura em torno de 50 dias após a germinação. Sempre adicionar 0,25% de surfactante Hoefix no volume de calda, para melhorar a adesão e penetração do produto nas partes aéreas das plantas infestantes.


MODO DE APLICAÇÃO:

Forma de aplicação:
Pode ser aplicado com pulverizadores costais, manuais, equipamentos tratorizados e aeronaves agrícolas. Recomenda-se antes da aplicação o seguinte: efetuar uma pré-mistura da dose recomendada em um vasilhame separado com um pouco de água, despejar a seguir esta calda no pulverizador que deverá conter água até a metade de sua capacidade e misturar. Após este procedimento, completar a capacidade do reservatório do pulverizador com água, mantendo sempre o sistema em agitação antes e durante todo o processo de pulverização para manter homogênea a calda de pulverização.

Bicos de pulverização:
1) Equipamentos aéreos: Aeronaves equipadas com barra e bicos. Bicos de jato plano (leque) da série 8010, 8015, 8020, empregando de 20 a 40 L de calda por hectare, e pressão de 20 a 30 psi. Manter a barra de aplicação do avião com 40 - 42 bicos abertos e fechar 4 a 5 bicos nas extremidades das asas. Os bicos da fuselagem do avião (barriga) devem ser mantidos abertos (em número de 8) e no mesmo ângulo dos bicos das barras de pulverização. Manter a altura de vôo de 4 a 5 metros em relação ao alvo de deposição e uma faixa de aplicação de 15 metros. O ângulo da barra deverá ser entre 130 e 180 graus em relação à linha de vôo e de acordo com as condições climáticas locais. Não utilizar bicos rotativos do tipo Micronair.
2) Equipamentos terrestres: Utilizar bicos de jato plano (leque) da série 80 ou 110 a uma pressão de 60 psi de tal forma que se obtenha uma densidade mínima de 20 gotas/cm2. Utilizar de 200 a 400 litros de calda por hectare. A faixa de deposição do produto será limitada pelo comprimento da própria barra. Suspender a aplicação se a temperatura for superior a 27°C, ou a umidade relativa do ar for inferior a 55% ou a velocidade do vento for superior a 10 km/hora (3m/seg.).
Em aplicações com qualquer tipo de equipamento, observar as condições climáticas recomendadas, considerando que a umidade relativa do ar é o fator mais importante, já que determina uma maior ou menor evaporação das gotas ocasionando uma deposição irregular ou desvio acentuado do alvo desejado.
Obs.: recomenda-se o uso de anti-gotejantes nas pontas de pulverização, e durante as aplicações evitar sobreposição de barras.


INTERVALO DE SEGURANÇA:

Algodão ......................................................................... 97 dias
Batata ............................................................................ 70 dias
Cana-de-açúcar, mandioca, milho ....................................... (1)
(1) Não determinado devido à modalidade de uso.


INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS)


LIMITAÇÕES DE USO:
Não aplicar o produto em áreas que receberam calagens pesadas no intervalo de 90 dias.


Para a cultura da cana-de-açúcar:
Não aplicar o produto em solos arenosos nos meses de maior incidência de chuvas (novembro a fevereiro) para região Centro Sul e (maio a agosto) para a região Nordeste.


Para a cultura do milho:
Não aplicar o produto em cultivares, variedades de milho branco, milho pipoca e linhagens puras.


INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA.


INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide Modo de Aplicação.


DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE;
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.


INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS;
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.


INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO.
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

PRECAUÇÕES GERAIS: Produto para uso exclusivamente agrícola. Ao abrir a embalagem, faça de maneira a evitar derrames. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas. Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPI) danificados. Quando for descartar as embalagens, use luvas e botas de borracha.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. .Use luvas de borracha. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embaJagem, faça de modo a evitar derrames. Use óculos protetores, macacão e avental impermeáveis, luvas e botas de borracha, chapéu impermeável de abas largas, máscara com filtro de carvão ativado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação. Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança. Não aplique o produto contra o vento, o produto produz neblina. Use óculos protetores, macacão e avental impermeáveis, luvas e botas de borracha, chapéu impermeável de abas largas, máscara com filtro de carvão ativado.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível o contato com a área já aplicada até o término do intervalo de reentrada na área. Mantenha o restante do produto em sua embalagem original, adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas, separado das roupas domésticas. Não reutilize as embalagens vazias. Após cada aplicação lave e faça a manutenção em todos os Equipamentos de Proteção
Individual.

PRIMEIROS SOCORROS: INGESTÃO: NÃO PROVOQUE VÔMITO e procure logo o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. OLHOS: lave com água em abundância e procure logo o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. PELE: lave com água e sabão em abundância. Procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto INALAÇÃO: Procure lugar arejado, procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO/ANTíDOTO: Não há antídoto específico conhecido. O tratamento a ser administrado está relacionado diretamente com os sintomas apresentados. Em caso de importante alteração da homeostase deve ser considerada a hipótese de internação em terapia intensiva. Qualquer medicamento deve ser administrado por pessoa habilitada, sob supervisão médica.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Testes realizados em animais de laboratório mostram que o ISOXAFLUTOLE é absorvido rapidamente pelo trato gastrointestinal e rapidamente metabolizado. A concentração máxima do
ISOXAFLUTOLE no sangue ocorreu aproximadamente 1 hora após a administração da dose. A excreção do produto seus metabolitos ocorreu 48 horas após a administração da dose. A principal via de excreção foi a urina (70-75%) e fezes (24- 27%). Apenas pequenas quantidades de ISOXAFLUTOLE e seus metabóltios são encontrados nos órgãos excretores.

EFEITOS AGUDOS: Efeitos adversos em humanos não foram relatados, os sintomas descritos são todos de dados de experimentos com animais. Quando administrado em altas doses em ratos de laboratório, o Isoxaflutole causou diarréia, manchas escuras na pele perianal, respiração rápida.

EFEITOS CRÔNICOS: Em estudos toxicológicos de longa duração, nos quais os animais são observados durante toda ou boa parte de suas vidas, expostos ao lsoxaflutole, em diferentes concentrações, os animais apresentaram redução do consumo alimentar, menor ganho de peso e redução da atividade enzimática do citocromo P450.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar os efeitos colaterais.

TELEFONES DE EMERGÊNCIA: (51) 562-1250 e 0800170450.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: Muito Perigoso ao Meio Ambiente (Classe II). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos. Evite a contaminação ambiental -Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamento. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água. A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas -ABNT. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa AVENTIS CROPSCIENCE BRASIL LTDA. -telefone de Emergência: (OXX51) 562-1250. Utilize equipamento de proteção individual -EPJ (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado: recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, contate a empresa registrante , pelo telefone indicado acima, para que seja feito o recolhimento pela mesma. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.

Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em, caso de incêndio, use extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, DE CO2, PÓ QUIMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA: O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias. Use luvas no manuseio dessa embalagem.

Essa embalagem vazia deve ser armazenada separadamente das lavada em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas -modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA: No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.

Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, a devolução deverá ocorrer até o fim do seu prazo de validade.

TRANSPORTE: As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS: A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS: A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA:
O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura.
Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.