Bula Retain

acessos
Cloridrato de aviglicina
3902
Sumitomo

Composição

Cloridrato de aviglicina 150 g/kg Etileno

Classificação

Regulador de crescimento
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não Classificado
Não Classificado
Pó solúvel (SP)
Não Classificado
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Regulador de crescimento
(Regulador de crescimento)
830 g p.c./ha 1000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 28 dias. É é recomendado em aplicação única, durante a estação de crescimento, 4 semanas antes da data prevista para a colheita

Caixa de papelão, contendo 10 sacos hidrossolúveis de 830 g. Saco de poliester com polietileno contendo internamente um pacote hidrossolúvel com 830 g.

INSTRUÇÕES DE USO DO PRODUTO: RETAIN é um regulador de maturação vegetal indicado para as Macieiras, cultivares Gala e Fuji, por promover: Retardamento da maturação da fruta; Menor queda de frutos; Maior firmeza e melhoria nas qualidades dos frutos; Aumento do peso médio dos frutos.

DOSE RECOMENDADA: 830 gramas de Retain por hectare (125 g ingrediente ativo por hectare) + 0,05% do espalhante adesivo silicone não iônico.

INÍCIO, NÚMERO E FREQUÊNCIA DAS APLICAÇÕES: Retain é recomendado em aplicação única, durante a estação de crescimento, 4 semanas antes da data prevista para a colheita.

MODO DE APLICAÇÃO: a aplicação é feita com o pulverizado tratorizado TURBO ATOMIZADOR, com pressão de 200 a 250 lb/po12, utilizar bicos J.52, sendo o número 5 referente a abertura da pastilha e o número 2 referente ao furo do difusor. Utilizar vazão de 1000 litros/ha e uma velocidade de 5 a 6 km/h.

IINTERVALO DE SEGURANÇA: 28 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS: o intervalo de reentrada é de 24 horas. Mantenha afastada da área de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas. Caso necessite entrar na área tratada antes de 24 horas ou se as partes tratadas estiverem úmidas, use avental impermeável, luvas e botas de borracha e óculos protetores.

LIMITAÇÕES DE USO: O produto não é fitotóxico quando aplicado nas doses recomendadas e na época correta do tratamento.

PRECAUÇÕES GERAIS: Produto para uso exclusivamente agrícola. Ao abrir a embalagem, faça de maneira a evitar derrames. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas. Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPI) danificados. Quando for descartar as embalagens, use luvas e botas de borracha.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo o nariz e a boca. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos. Use óculos protetores, macacão e avental impermeáveis, luvas e botas de borracha, chapéu impermeável de abas largas, máscara com filtro de carvão ativado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível o contato com a área de tratamento. Use óculos protetores, macacão e avental impermeáveis, luvas e botas de borracha, chapéu impermeável de abas largas, máscara com filtro de carvão ativado.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Mantenha o restante do produto em sua embalagem original, adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas, separado das roupas domésticas. Não reutilize as embalagens vazias. Após cada aplicação lave e faça a manutenção em todos os equipamentos de proteção individual.

PRIMEIROS SOCORROS: INGESTÃO: NÃO PROVOQUE VÔMITO. Procure imediatamente o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. OLHOS: lave com água em abundância e procure imediatamente o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. PELE: retire roupas e sapatos contaminados, lave com água e sabão em abundância e procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. INALAÇÃO: procure lugar arejado e procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (INFORMAÇÕES PARA MÉDICOS): Não há antídoto específico conhecido. Tratamento sintomático de acordo com o quadro clínico.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Testes realizados em animais de laboratório mostram que o Hidrocloreto de Aminoetoxivinilglicina (AVG) é rapidamente absorvido pelo trato gastrointestinal de ratos (-83% da dose administrada) e extensivamente metabolizado pelo fígado. O AVG é metabolizado em derivados de alpha-e terminal-N-acetyl, aminoácidos e CO2. Com o auxílio da radioatividade, observou-se sua distribuição em todo o corpo durante 168 horas pós-dose. Ao final deste período foi encontrada a concentração de 4 % da radioatividade distribuída entre o fígado, pâncreas e rins. A excreção ocorreu principalmente pela urina (- 65%) e fezes (-13%). A excreção inicialmente é rápida e ocorre principalmente durante as primeiras 48 horas.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: EFEITOS AGUDOS: Os sintomas descritos são todos de dados de experimentos com animais, quando administrado em altas doses em ratos de laboratório, o RETAIN causou redução da atividade, piloereção, poucas fezes e magreza. .Leve irritação dérmica apareceu após 4 horas de exposição, não havendo sinais de irritação após 24 horas. O produto causou irritação leve e passageira na conjuntiva ocular na primeira hora, sendo reversível após 72 horas.

EFEITOS CRÔNICOS: em estudos toxicológicos de longa duração, nos quais os animais são observados durante toda ou boa parte de suas vidas, expostos ao A VG, em diferentes concentrações, os animais apresentaram redução do ganho de peso, magreza, aumento da incidência de efeitos reversíveis no fígado e rins, apresentaram material vermelho ao redor do nariz, redução da atividade e redução do consumo alimentar.

TELEFONES DE EMERGÊNCIA: Centro de Informações Toxicológicas: 0800-170450 ou (0xx11) 5012-5311. Telefone da Empresa: 0800-141149.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é: Perigoso Ao Meio Ambiente (Classe III). Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para algas. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para aves. Evite a contaminação ambiental -Preserve a Natureza. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água, Evite a contaminação da água.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas -ABNT. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL REPRESENTAÇÕES LTDA. - Telefone de Emergência: 0800-111767 .Pró-Química-Abiquim: 0800-11-8270. Centro de Informações Toxicológicas (CIT): 0800-170450 ou (o XXII) 5012-5311. Utilize equipamento de proteção individual -EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado: recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.

Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante confonne indicado acima.

Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA).

ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA: O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA: É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

TRANSPORTE: As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS: A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM V AZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS: A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

A desativação do produto é feita através da elevação do pH (soda caústica) entre 12 e 13 durante 24 horas, após efetuar filtragem com posterior incineração (1200 °C por 2 segundos) em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmara de lavagem de gases de efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS: O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando-se as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
- Em caso de dúvidas, consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI);
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para a orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.