Bula Rizotec - Rizoflora

Bula Rizotec

CI
Pochonia chlamydosporia, isolado PC10
5816
Rizoflora

Composição

Pochonia chlamydosporia, isolado PC10 280 g/kg

Classificação

Terrestre
Nematicida Microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Nematicida microbiológico

Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico

Dosagem
Meloidogyne javanica (Nematóide das galhas)

Tipo: Saco
Material: Plástico de polietileno
Capacidade de acondicionamento: 2 Kg

INSTRUÇÕES DE USO

RIZOTEC é um nematicida microbiológico, eficaz no combate aos nematóides, principalmente o nematóide das galhas, gênero Meloidogyne. Tem como principal mecanismo de ação o parasitismo de ovos dos nematoides, o que proporciona redução no potencial de multiplicação dos nematoides e, consequentemente, redução dos danos ocasionados às culturas. Eficiência agronômica comprovada na cultura de alface e de tomate.
RIZOTEC deve ser sempre associado a outras práticas dentro do manejo integrado de controle de nematoides, pois, ainda que seja eficiente no controle de nematoides o produto não elimina totalmente essa praga do solo.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

- A maior dose deverá ser utilizada em áreas com histórico de maior população de nematoides ou em condições mais favoráveis ao seu desenvolvimento, relacionadas às condições climáticas, tipos de solo e culturas antecessoras. A escolha da dose, também dependerá da cultura que será implantada na área e do seu grau de suscetibilidade ao nematoide.
- O produto deve ser aplicado no solo antes do plantio, ou no momento do plantio ou transplante das mudas, ou na cultura já instalada, durante o início do período chuvoso, sempre em uma única aplicação.

MODO/ EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

- Modo de aplicação:
RIZOTEC deve ser aplicado em jato dirigido no solo, através da pulverização no sulco ou no canteiro, via drench (esguicho) ou água de irrigação, visando atingir o local de implantação da cultura.
Para as aplicações via sulco, canteiro ou na cova, evitar que o produto fique exposto à radiação solar, devendo-se realizar o cobrimento da área tratada ou a incorporação do solo. Evitar aplicação nas horas mais quentes do dia e em solos com baixa umidade.

- Equipamento de aplicação: pulverizador tratorizado ou costal, sistemas de irrigação localizada por gotejamento, contendo pontas e filtros específicos para cada finalidade, conforme recomendação do fabricante. O pulverizador tratorizado deverá conter sistema de retro-lavagem e agitadores de tanque. Já o sistema de irrigação localizada deve conter tanque com agitação constante e coeficiente de uniformidade adequado.

Limpeza do Equipamento
- Realizar a lavagem completa do tanque, ponta e filtro do pulverizador antes e após a aplicação, com água limpa, utilizando os EPIs recomendados. O equipamento sempre deve ser guardado limpo.
Atenção:
a) Não realizar a limpeza do pulverizador próximo de lagos, rios ou reservas de água.
b) realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação.

Preparação da calda
O produto deve ser diluído em água limpa. Preparar diluições utilizando 1kg do produto em 10 litros de água através de um recipiente plástico/balde com capacidade de 20L e adicionar ao tanque de pulverização, que deverá conter no mínimo 75% da sua capacidade com água. Adicionar o restante de água para o volume de calda adequado para cada cultura. Manter o agitador ligado durante o preparo da calda.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este ingrediente ativo.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 4 horas após aplicação). Caso necessite entrar na área tratada antes desse período, utilize os equipamentos de proteção (EPIs) recomendados para a aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula. Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa publica ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Uso como nematicida
A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência.
O uso repetido do Rizotec ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do Rizotec prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
- Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
- Aplicações sucessivas de Rizotec podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
- Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas.
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do Rizotec ou outros produtos quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).